Conceitos de desvio positivo na ação pedagógica do programa Etnomatemática

Autores

  • Milton Rosa Universidade Federal de Ouro Preto
  • Daniel Clark Orey Universidade Federal de Ouro Preto

DOI:

https://doi.org/10.26843/rencima.v8i4.1494

Palavras-chave:

Insubordinação Criativa, Etnomatemática, Ação Pedagógica, Desvio Positivo, Subversão Responsável

Resumo

Um importante dilema em educação matemática é o seu contundente viés contra uma orientação local em seu paradigma de pesquisa. Assim, a busca por metodologias inovadoras como a etnomatemática é necessária para registrar formas históricas de ideias, procedimentos e práticas matemáticas desenvolvidas em contextos culturais diversos. É importante ressaltar que o programa etnomatemática não é uma tentativa de substituir a matemática acadêmica, mas, ao mesmo tempo, é necessário reconhecer a existência de conhecimentos matemáticos locais no currículo de matemática. Nesse contexto, a insubordinação desencadeada pela etnomatemática é criativa, pois evoca um distúrbio que desencadeia uma revisão das regras e regulamentos do currículo matemático. Esse contexto permite que os professores utilizem o desvio positivo para desenvolverem ações para lidar com essas normas. Assim, o desvio positivo envolve um ato intencional de quebrar as regras para servir um bem maior. Esse potencializa crescimento contínuo do debate sobre a natureza da matemática em relação à cultura uma vez que propõe um diálogo entre as abordagens locais e globais para a construção do conhecimento matemático.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

21.12.2017

Como Citar

ROSA, Milton; OREY, Daniel Clark. Conceitos de desvio positivo na ação pedagógica do programa Etnomatemática. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, São Paulo, v. 8, n. 4, p. 62–79, 2017. DOI: 10.26843/rencima.v8i4.1494. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/rencima/article/view/1494. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)