Tensões conceituais e procedimentais nos discursos dos alunos durante as atividades experimentais de Física

Palavras-chave: Tensões nos discursos, Tensões conceituais, Tensões procedimentais, Laboratório didático, Experimentação em ensino de Física

Resumo

O conceito de Tensão nos Discursos foi elaborado por Andréia Oliveira com base na teoria dos códigos de Basil Bernstein e estabelece que as descontinuidades entre os diferentes discursos observados na prática educacional são marcadas pelas contradições, rupturas e dilemas gerados pelos espaços que separam as categorias de discursos especializados presentes nas diferentes disciplinas escolares. Essas Tensões tendem a se manifestar durante a realização de atividades experimentais de Física, de modo que esta pesquisa objetivou identificar e caracterizar as Tensões Conceituais e Procedimentais nos discursos dos estudantes quando realizam essas atividades empregando roteiro fechado e estruturado. A metodologia utilizada foi qualitativa e se constituiu em analisar as transcrições dos áudios gravados durante a realização de alguns experimentos no laboratório didático de Física.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, M. S. T.; ABIB, M. L. V. Atividades Experimentais no Ensino de Física: Diferentes Enfoques, Diferentes Finalidades. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 2, n. 25, p. 176–194, 2003.

ARAÚJO, M. S. T.; LABURÚ, C. E.; GURIDI, V. M. Laboratório didáctico de ciencias: caminhos de investigación. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 9, n. 1, p. 88–110, 2010.

BERNSTEIN, B. A Estruturação do Discurso Pedagógico, vol. IV: Classe, Códigos e Controle. Petrópolis: Editora VOZES, 1996. 307 p.

BERNSTEIN, B. A Pedagogização do Conhecimento: estudos sobre recontextualização. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 120, p. 75–110, 2003.

BERNSTEIN, B. Class, Codes and Control, vol. IV: The Structuring of Pedagogic Discourse. London: Routledge, 1990. 235 p.

BERNSTEIN, B. Pedagogy, Symbolic Control and Identity: Theory, Research, Critique. Lanham: Rowman & Littlefield, 2000. 230 p.

BERNSTEIN, B. Vertical and Horizontal Disciurse: an essay. British Journal of Sociology Education, v. 20, n. 2, p. 157–173, 1999.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação Qualitativa em Educação: Uma Introdução à Teoria e aos Métodos. Porto: Porto Editora, 1a edição, 1994. 336 p.

BORGES, A. T. Novos Rumos para o Laboratório Escolar de Ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 19, n. 3, p. 291–313, 2002.

CAMARGO FILHO, P. S.; LABURÚ, C. E.; BARROS, M. C. Para além dos paradigmas de medição. Ciência e Educação, v. 21, n. 4, p. 817–834, 2015.

CAMPOS, L. S. Articulação entre Modelagem Matemática e Experimentação: uma Proposta para a Construção de Conhecimentos em Física. São Paulo: UNICSUL, 2010. 299 f. Dissertação (Mestrado) Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática. Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo, 2010.

CAMPOS, L. S. Tensões nos Discursos dos Alunos Durante a Realização das Atividades Experimentais no Ensino de Física. São Paulo: UNICSUL, 2016. 321 f. Tese (Doutorado) Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática. Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo, 2016.

CAMPOS, L. S.; ARAÚJO, M.S.T. Articulação do ensino de Física com o ensino de Matemática através da modelagem matemática e das atividades experimentais. Revista Metáfora Educacional, Feira de Santana – Bahia (Brasil), n. 19, p. 21–52, 2015.

CAMPOS, L. S.; ARAÚJO, M.S.T.; AMARAL, L. H. Levantamento de dissertações e teses envolvendo a Experimentação em Ensino de Física e o Laboratório didático de Física entre 2002 e 2011. Rev. de Produção Discente em Educação Matemática, v. 3, n. 1, p. 50–65, 2014.

GASPAR, A. Atividades experimentais no ensino de Física: uma nova visão baseada na teoria de Vigotski. São Paulo: Livraria da Física, 1a edição, 2014. 252 p.

KARAM, R. A. S.; PIETROCOLA, M. Habilidades técnicas versus habilidades estruturantes: resolução de problema e o papel da matemática como estruturante do pensamento físico. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v. 2, n. 2, p. 181–205, 2009.

MOREIRA, M.A.; LEVANDOWSKI, C. A. Diferentes Abordagens ao Ensino de Laboratório. Porto Alegre: Editora da Universidade, 1983. 117 p.

OLIVEIRA, A. M. P. Modelagem Matemática e as Tensões nos Discursos dos Professores. 2010. 187 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2010.

OLIVEIRA, A. M. P.; BARBOSA, J. C. Modelagem Matemática e Situações de Tensão na Prática Pedagógica dos Professores. Bolema, Rio Claro, v. 24, n. 38, p. 265–296, abril, 2011.

PERUZZO, J. Experimentos de Física Básica – Mecânica. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2012. 323 p.

PIETROCOLA, M. A matemática como estruturante do conhecimento físico. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 19, n. 1, p. 88–108, 2002.

RIBEIRO, M. S.; FREITAS; D, S.; MIRANDA, D. E. A Problemática do Ensino de Laboratório de Física na UEFS. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 19, n. 4, p. 444–447, 1997.

STAKE, R. E. Pesquisa Qualitativa Estudando Como as Coisas Funcionam. Porto Alegre: Editora Penso, 2011. 263p.

Publicado
2019-06-21
Como Citar
CAMPOS, L. DA S.; ARAÚJO, M. S. T. DE. Tensões conceituais e procedimentais nos discursos dos alunos durante as atividades experimentais de Física. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 3, p. 223-242, 21 jun. 2019.
Seção
Artigos Gerais

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)