Faces da Banda de Möbius

  • José Carlos Pinto Leivas Universidade Franciscana
  • Anne Desconsi Hasselmann Bettin Secretaria de Estado da Educação do Rio Grande do Sul
  • Rosvita Fuelber Franke Universidade do Vale do Rio dos Sinos
Palavras-chave: Máxi Banda de Möbius, Psicanálise, Arquitetura, Indústria moveleira, Literatura

Resumo

Neste artigo, apresentamos uma pesquisa bibliográfica-teórico-metodológica realizada por um grupo de pesquisa, que teve por objetivo investigar possibilidades de uso e aplicações da Banda de Möbius em diversas áreas, como forma de inserir tal conteúdo no ensino de Geometria. Iniciamos com a obtenção dessa superfície por faixas de papel como recurso didático concreto e usamos intuição para caracterizar uma superfície topológica unilateral. Buscamos ligações interdisciplinares, identificando seu uso em obras literárias onde a mistura entre funções do autor e leitor, em passagem contínua, ocorre de forma análoga ao que acontece com a superfície de Möbius. Estabelecemos sua conexão com a obra de Lacan, ao utilizá-la para explorar diversos estágios da psique humana. Identificamos, ainda, a beleza visual da Banda na arquitetura, explorando paisagismo/turismo, além da indústria moveleira. Exploramos no GeoGebra 3D, para desenvolver habilidades visuais, em que propriedades topológicas são indicadas, de modo a estimular o professor a elaborar atividades para o ensino de Geometria nos diversos níveis de escolaridade. Como finalização, o nosso grupo de estudos e pesquisas em Geometria indica o uso da Topologia, por independer de medidas, como no caso da Geometria Euclidiana, para o ensino e aprendizagem de Geometria por meio de atividades intuitivas/exploratórias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMOULOUD, S. Ag. Modelo de ensino/aprendizagem baseado em situações-problema: aspectos teóricos e metodológicos. REVEMAT. Florianópolis (SC), v.11, n. 2, p. 109-141, 2016.

ARAÚJO, P. V. Geometria Diferencial. Instituto de Matemática Pura e Aplicada. Rio de Janeiro. 1998.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de Licenciatura, de graduação plena. Resolução n.11 de 18 de fevereiro de 2002.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais (Ensino Médio). Brasilia: MEC/SEF. 109p. 2000.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática/ Secretaria de Educação Fundamental. – Brasilia: MEC/SEF. 148p. 1998.

DIENES, Z. P., GOLDING, E.W. A Geometria pelas transformações I: Topologia, Geometria Projetiva e Afim, 1. reimpressão. São Paulo: E.P.U. Editora Pedagógica e Universitária Ltda. 1975.

FIORENTINI, D. & LORENZATO, S. Investigação em educação matemática – percursos teóricos e metodológicos. Campinas: Autores Associados. 2006.

GRAVINA, M. A et. al. Formação de professores de matemática para o uso efetivo de tecnologias em sala de aula. Revista Renote Novas Tecnologias na Educação. v. 13 n.2, dezembro, 2015.

LEITE, M. P. de S. Psicanálise Lacaniana: cinco seminários para analistas kleinianos. São Paulo: Iluminuras, 2010.

MAGELA, G. M. Psicanálise e Topologia – escritura do dizer analítica (conversando com Geraldo Majela Martins. Revista da Matemática. FACET – UNICENTRO NEWTON PAIVA. Ano 2, n.2, 1998, pp. 5-11.

MOREIRA, M.A. Metodologias de Pesquisa em Ensino. São Paulo: Editora Livraria da Física. 2009.

MOREIRA, M.E.R. E FUX, J. Letras de Hoje. Porto Alegre, v. 45, n. 2, p. 62-70, abr./jun. 2010.

PIAGET, J. ; INHELDER, B. A representação do espaço na criança. Porto Alegre: Artes Médicas. 1993.

PORGE, E. Fundamentos da clínica psicanalítica. Campinas, SP: Mercado das Letras. 2014.

SILVA, D.C. DA; LEIVAS, J.C.P. GEOMETRIA NO ENSINO MÉDIO PARA DEFICIENTE VISUAL. Anais… Matemática na escola: dez anos do PPGEMAT -UFRGS- 20-22 out. 2014. Porto Alegres, RS.

Publicado
2019-06-21
Como Citar
LEIVAS, J. C. P.; BETTIN, A. D. H.; FRANKE, R. F. Faces da Banda de Möbius. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 3, p. 93-110, 21 jun. 2019.
Seção
Artigos Gerais