Faces da Banda de Möbius

Autores

  • José Carlos Pinto Leivas Universidade Franciscana
  • Anne Desconsi Hasselmann Bettin Secretaria de Estado da Educação do Rio Grande do Sul
  • Rosvita Fuelber Franke Universidade do Vale do Rio dos Sinos

DOI:

https://doi.org/10.26843/rencima.v10i3.1480

Palavras-chave:

Máxi Banda de Möbius, Psicanálise, Arquitetura, Indústria moveleira, Literatura

Resumo

Neste artigo, apresentamos uma pesquisa bibliográfica-teórico-metodológica realizada por um grupo de pesquisa, que teve por objetivo investigar possibilidades de uso e aplicações da Banda de Möbius em diversas áreas, como forma de inserir tal conteúdo no ensino de Geometria. Iniciamos com a obtenção dessa superfície por faixas de papel como recurso didático concreto e usamos intuição para caracterizar uma superfície topológica unilateral. Buscamos ligações interdisciplinares, identificando seu uso em obras literárias onde a mistura entre funções do autor e leitor, em passagem contínua, ocorre de forma análoga ao que acontece com a superfície de Möbius. Estabelecemos sua conexão com a obra de Lacan, ao utilizá-la para explorar diversos estágios da psique humana. Identificamos, ainda, a beleza visual da Banda na arquitetura, explorando paisagismo/turismo, além da indústria moveleira. Exploramos no GeoGebra 3D, para desenvolver habilidades visuais, em que propriedades topológicas são indicadas, de modo a estimular o professor a elaborar atividades para o ensino de Geometria nos diversos níveis de escolaridade. Como finalização, o nosso grupo de estudos e pesquisas em Geometria indica o uso da Topologia, por independer de medidas, como no caso da Geometria Euclidiana, para o ensino e aprendizagem de Geometria por meio de atividades intuitivas/exploratórias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

21.06.2019

Como Citar

LEIVAS, José Carlos Pinto; BETTIN, Anne Desconsi Hasselmann; FRANKE, Rosvita Fuelber. Faces da Banda de Möbius. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, São Paulo, v. 10, n. 3, p. 93–110, 2019. DOI: 10.26843/rencima.v10i3.1480. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/rencima/article/view/1480. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos