Estado da arte da análise praxeológica de livros brasileiros de Matemática: um recorte em dissertações e teses da BDTD

Palavras-chave: Análise praxeológica, Teoria antropológica do didático, Livro didático, Ensino de matemática

Resumo

A análise praxeológica de Yves Chevallard (1999) tem sido amplamente utilizada como ferramenta de investigação dos fenômenos educacionais, em particular em se verificar como alunos, professores, livros didáticos e instituições têm relacionado a teoria à prática dentro dos conteúdos a serem trabalhados em sala de aula (práxis = prática, logos = razão). Ela pode ser realizada em várias instâncias: propostas de atividades de sala de aula, organizações de livros, organizações de documentos oficiais, experiências de professores, dentre outros. Neste artigo, foi realizado um estado da arte das análises praxeológicas debruçadas sobre livros brasileiros de matemática, através de levantamentos por palavras-chave na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações. Após a pesquisa, verificou-se que é ampla a abordagem da análise praxeológica sobre livros didáticos, e que, em geral, tal análise propicia uma boa verificação de como os conteúdos em matemática estão organizados nas obras, de como os livros poderiam ser complementados com maiores explicações das técnicas matemáticas utilizadas, e como os mesmos estão em sintonia com os documentos oficiais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABREU, Vanja Marina Prates de. A calculadora como recurso didático nos anos iniciais do ensino fundamental. 2009. 136f. Dissertação (Mestrado em Educação). Centro de Ciências Humanas e Sociais do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Campo Grande.

ALMOULOUD, Saddo Ag; SILVA, Maria José Ferreira. Engenharia didática: evolução e diversidade. REVEMAT: R. Eletr. de Edu. Matem. Florianópolis, v. 07, n. 2, p. 22-52, 2012.

ARAÚJO, Abraão Juvêncio de. O ensino de álgebra no Brasil e na França: estudo sobre o ensino de equações do 1º grau à luz da teoria antropológica do Didático. 2009. 292f. Tese (Doutorado em Educação). Curso de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Pernambuco. Recife.

ARTUSO, Alysson Ramos;DE MARTINO, Luiz Henrique; COSTA, Henrique Vieira; LIMA, Letícia. As características do livro didático de física mais valorizadas pelos professores brasileiros. Revista Electrónica de Enseñanza de lãs Ciencias, Vigo/Espanha, v. 19, nº 1, p. 26-44, 2019.

BARBOSA, Aline Oliveira da Silva. A trigonometria do ciclo trigonométrico: uma análise da transposição didática realizada pelo livro didático na 2ª série do ensino médio à luz da teoria antropológica do didático. 2015. 100 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Ensino das Ciências) - Universidade Federal Rural de Pernambuco. Recife.

BARBOSA, Edelweis José Tavares. Equação do primeiro grau em livros didáticos sob a ótica da teoria antropológica do didático. 2011. 143 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Física) - Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande.

BARBOSA, Edelweis Jose Tavares; LIMA, Ana Paula Avelar Brito. Organizações matemática e didática entre duas coleções didáticas sobre equações do primeiro grau. REVEMAT. Florianópolis (SC), v.9, n. 2, p. 110. 2014.

BARBOSA, Elton Fernandes. Sequências aplicáveis para o ensino médio. 2015. 67 f. Dissertação. (Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional). Instituto de Matemática da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Campo Grande.

BROUSSEAU, G. Ingénieredidactique. D’unproblème à l’étude à priori d’une situationdidactique. DeuxièmeÉcole d’Été de Didactiquedesmathématiques, Olivet : 1982.

CARVALHO, Cláudia Cristina Soares de. Uma análise praxeológica das tarefas de prova e demonstração em tópicos de álgebra abordados no primeiro ano do ensino médio. 2007. 163 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

CARVALHO, Dierson, Gonçalves de. Uma análise da abordagem da área de figuras planas no guia de estudo do projovemurbano sob a ótica da teoria antropológica do didático. 2012. 122f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática e Tecnológica). Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática e Tecnológica da Universidade Federal de Pernambuco. Recife.

CHAVES, AdielPraseres. Função Quadrática: análise em termos de contextos, de organizações matemáticas e didáticas propostas em Livros Didáticos de Ensino Médio. 2016. 111 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

CHEVALLARD, Yves. L’analisedes pratiques enseignantes em théorieantropologique Du didactique. Recherches em Didactique dês Mathématiques. Grenoble: La PenséeSauvage-Editions, v.19.n.2, p.221-265, 1999.

COSTA, Acylena Coelho. Geometria Analítica no Espaço: análise das organizações matemática e didática em materiais didáticos. 2015. 113 f. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

CRUZ, Eliana da Silva. A noção de variável em livros didáticos de Ensino Fundamental: um estudo sob ótica da organização praxeológica. 2005. 106 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

DUVAL, Raymond. Registros de representação semiótica e funcionamento cognitivo do pensamento. Tradução: MériclesThadeu Moretti. REVEMAT. Florianópolis, v. 07, n. 2, p.266-297, 2012.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. As pesquisas denominadas estado da arte. Educação & Sociedade. 2002. Ano XXIII. N. 79.

FNDE. Dados Estatísticos. Disponível em https://www.fnde.gov.br/index.php/programas/programas-do-livro/pnld/dados-estatisticos. Acesso em 01/06/2020.

FRIOLANI, Luis Cesar. O pensamento estocástico nos livros didáticos do ensino fundamental. 2007. 150 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

GONÇALVES, Mauro César. Concepções de professores e o ensino de probabilidade na escola básica. 2004. 150 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

GOULART, Amari. O discurso sobre os conceitos probabilísticos para a escola básica. 2007. 88 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Resumo Técnico. Resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. DEED/DAEB, 2018.

MAIA, Cristini Kuerten. A organização praxeológica do objeto triângulo nos livros didáticos da 7ª série do ensino fundamental. 2008. 195f. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Tecnológica). Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.

MARPICA, Natália Salan; LOGAREZZI, Amadeu José Montagnini. Um panorama das pesquisas sobre livro didático e educação ambiental. Ciência & Educação, Bauru, v. 16, n. 1, p. 115-130, 2010.

MATEUS, Pedro. Cálculo Diferencial e Integral nos livros didáticos: uma análise do ponto de vista da organização praxeológica. 2007. 188f. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo.

MEC - Ministério da Educação. PNLD. Disponível em http://portal.mec.gov.br/pnld/apresentacao; Acesso em junho de 2017.

NAKAMURA, Keiji. Conjunto dos números irracionais: a trajetória de um conteúdo não incorporado às práticas escolares. 2008. 126 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

NETO, Fernando de Simone. Análise do letramento estatístico nos livros didáticos do ensino médio. 2008. 161f. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo.

NOGUEIRA, Rosane Corsini Silva. A álgebra nos livros didáticos do ensino fundamental: uma análise praxeológica. 2008. Dissertação. Mato Grosso do Sul.

ORDEM, Jacinto. Prova e demonstração em geometria: uma busca da organização matemática e didática em livros didáticos de 6ª a 8ª séries de Moçambique. 2010. 143 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

PINHEIRO, Carlos Alberto de Miranda. Análise combinatória: organizações matemáticas e didáticas nos livros escolares brasileiros no período entre 1895-2009. 2015. 145 f. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

SANTOS, Marcelo Câmara; MENEZES, Marcus Bessa. A Teoria Antropológica do Didático: uma releitura sobre a teoria. Perspectivas da educação matemática, Cuiabá, v. 8, n. 18, p. 648 – 670, 2015.

SANTOS, Paulo Avelino dos. A modelagem como proposta para a introdução à probabilidade por meio dos passeios aleatórios da Mônica. 2010. 201 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo

SILVA, Francisca Jocineide da Costa e Silva; CARVALHO, Maria Eulina Pessoa de. 18º Redor: Perspectivas feministas de gênero: desafios no campo da militância e das práticas. Novembro. O estado da arte das pesquisas educacionais sobre gênero infantil: uma introdução. Universidade Federal Rural de Pernambuco. Recife.2014.

SILVA, Júlio César da. Conhecimentos estatísticos e os exames oficiais: SAEB, ENEM E SARESP. 2007. 105 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

VARELLA, Márcia. Prova e demonstração na geometria analítica: uma análise das organizações didática e matemática em materiais didáticos. 2010. 214 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

VERAS, Claudio Monteiro. A estatística nas séries iniciais: uma experiência de formação com um grupo colaborativo com professores polivalentes. 2010. 137 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

YAMAUTI, Marcelo Massahiti. Regressão linear simples nos livros de estatística para cursos de Administração: um estudo didático. 2013. 146 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

Publicado
2020-10-01
Como Citar
SANTOS, R.; GONTIJO, C. Estado da arte da análise praxeológica de livros brasileiros de Matemática: um recorte em dissertações e teses da BDTD. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 6, p. 779-797, 1 out. 2020.
Seção
Artigos Gerais