A constituição de associações livres para o trabalho com as questões sociocientíficas na formação de professores

Palavras-chave: Teoria da Ação Comunicativa, Agrotóxicos, Ensino de Ciências, Habermas, Pesquisa Participante

Resumo

Na pesquisa que realizamos, buscamos desenvolver uma proposta de formação de professores no âmbito das associações livres, interpretadas a partir da teoria da ação comunicativa proposta por Jürgen Habermas, além de integrar a compreensão e a formulação de práticas docentes com as questões sociocientíficas. Particularmente, no grupo de professores, denominado pequeno grupo de pesquisa (PGP) que acompanhamos, o tema desenvolvido foi em relação a uma questão sociocientífica, que abordava as controvérsias do uso de agrotóxicos na agricultura local. Para fins de compreendermos e interpretarmos o processo de formação docente vivenciado, as metodologias de trabalho e de constituição de dados foram variadas, de acordo com a pesquisa participante e uma adaptação da análise de conteúdo aos referenciais teóricos discutidos ao longo do trabalho. Ao final deste processo, pudemos apontar contribuições importantes sobre as relações entre universidade e escola, o potencial de formação a partir das associações livres e a autonomia dos professores ao proporem o trabalho com as questões sociocientíficas na escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMORIM, Carlos R. de. Relaciones entre ciencia tecnologia y sociedad en la formación de profesores/; contribuciones de la historia y de la sociologia de la ciencia. Física y Cultura: Cuadernos sobre Histotia y Enseñanza de lãs Ciencias, n.6, 1999, p.59

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo, SP. Ed. 70, 1977.

CANÁRIO, Rui. INAFOP, Formação profissional de professores no ensino superior. A prática profissional na formação de professores. Universidade de Aveiro, 2000, p.3.

CHAPANI, Daisi T.; ORQUIZA-DE-CARVALHO, Lizete M.; TEODORO, António. Políticas de formação docente na Bahia: uma análise a partir de pressupostos da teoria social de Habermas. Belo Horizonte: Formação Docente, v.03, n.03, p. 66-85, 2010.

CONTRERAS, José. A autonomia de professores. Tradução: Sandra Trabucco Valenzuela. São Paulo: Cortez, 2002.

FREITAS, Zulind L. Um projeto de interação universidade-escola como espaço formativo para a docência do professor universitário. Tese (doutorado). 140f. Programa de pós- graduação em educação para a ciência, Faculdade de Ciências, Unesp campus Bauru. Bauru, 2008.

GAJARDO, Marcela. Pesquisa Participante na América Latina. Tradução: Tânia Pellegrini, São Paulo: Editora Brasiliense, 1986.

GIROUX, Henry A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

GOMES, Luiz R. Educação e consenso em Habermas. Campinas: editora Alínea, 2007. 160p.

Habermas, Jügen. Soberania popular como procedimento: um conceito normativo de espaço público. Novos Estudos Cebrap, n.26, 1990, p.100-113.

Habermas, Jügen. Racionalidade e comunicação. Tradução: Paulo Rodrigues. Lisboa: edições 70, 1996.

Habermas, Jügen. Teoria do agir comunicativo: Racionalidade da ação e racionalização social (1). Tradução de Paulo Astor Soethe. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

KEMMIS, Stephen. La formación del profesor y la creación y extensión de comunidades críticas de profesores. Investigación en la escuela, n.19, 1993, p.15-38.

LORENTE, Paz G. ¿Puede la institución escolar contribuir en la construcción de sociedades más racionales? La institución escolar a la luz de la teoria de la acción comunicativa. Teoría de la Educación, vol.VI, p.93-126, 1994.

MARTINS, Isabel P.; PAIXÂO, Maria de F. Perspectivas atuais Ciência-Tecnologia-Sociedade no ensino e na investigação em educação em ciência. In: SANTOS, Wildson; AULER, Décio (Orgs.) CTS e educação científica: desafios, tendências e resultados de pesquisa. Brasília: Editora UnB, 2011, p.135-160, 2011

MIZUKAMI, Maria da G. N. A pesquisa sobre formação de professores: metodologias alternativas. In:BARBOSA, Raquel l.L. Formação de educadores: desafios e perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, 2003, p.201-232.

MORAES, Roque. Análise de Conteúdo. Porto Alegre: Revista Educação, v.22, n.37, p.7-32, 1999. Disponível em: http://cliente.argo.com.br/~mgos/analise_de_conteudo_moraes.html . Acesso em 23-08-2012.

MÜHL, Eldon H. Habermas: ação pedagógica como agir comunicativo. Passo Fundo: Editora da Universidade de Passo Fundo, 2003.

PEDRETTI, Erminia. Teaching Science, Technology, Society and Environment (STSE) Education. In: ZEIDLER, D. (Org.) The role of the moral reasoning on socioscientific issues and discourse is science education. London, Dordrecht, Boston: Kluwer Academic Publishers, p.219-240, 2003.

PEDRETTI, Erminia; NAZIR, Joanne. Currents in STSE education: Mapping a complex field, 40 years on. In: Science Education, 2011.

PERES, Frederico; ROZEMBERG, Brani. É veneno ou é remédio? Os desafios da comunicação rural sobre agrotóxicos. In: PERES, Frederico; MOREIRA, Josino C. (Orgs.). É veneno ou é remédio? Agrotóxicos, saúde e ambiente. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2003, p.329-348.

PRESTES, Nadja. Educação e Racionalidade: conexões e possibilidades de uma razão comunicativa na escola. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1996.

RATCLIFFE, Mary; GRACE, Marcus. Science Education for citizenship: Teaching socio- scientific issues. USA: Open University Press, 2003. 181 p.

SADLER, Troy D. Situating sócio-scientific issues in classrooms as a means of achieving goals of science education. In: SADLER, Troy D. (ed.) Socio-scientific issues in the classroom: teaching, learning and research. New York: Springer Science+Business Media, 2011.

SANTOS, Wildson. Significados da educação científica com enfoque CTS. In: SANTOS, Wildson; AULER, Décio (Orgs.) CTS e educação científica: desafios, tendências e resultados de pesquisa. Brasília: Editora UnB, 2011, p.21-48.

Publicado
2018-06-28
Como Citar
LOPES, N. C.; CARVALHO, W. L. P. DE. A constituição de associações livres para o trabalho com as questões sociocientíficas na formação de professores. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 3, p. 01-20, 28 jun. 2018.
Seção
Artigos Gerais