Dificuldades e avanços na utilização de roteiros investigativos: a prática investigativa na prática

  • Laudileni Olenka Universidade Federal de Rondônia
Palavras-chave: Experimentos investigativos, Ensino de Física, Formação docente

Resumo

A prática de laboratório vem se estabelecendo nas atividades docentes, entretanto faz se necessário que seja trabalhada de forma mais investigativa, apresentando “situações problemas” com liberdade de investigação, favorecendo a reflexão dos alunos para a correta interpretação dos resultados. Para os graduandos de licenciatura em física, trabalhar com essa metodologia pode ser um desafio a ser superado na sua formação docente, pois também no ensino superior não estão familiarizado com metodologias num contexto mais investigativo. Neste trabalho, visando à formação de graduandos de licenciatura em física, discutimos possíveis recursos para trabalhar com roteiros investigativos nos experimentos de física e apontamos algumas dificuldades na utilização dessa metodologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laudileni Olenka, Universidade Federal de Rondônia

Departamento de Física. Núcleo de Ciências Exatas e da Terra.

Referências

BELLUCCO, A. CARVALHO, A. M. P. Uma proposta de sequência de ensino investigativa sobre quantidade de movimento, sua conservação e as leis de Newton. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. v. 31, n. 1, p. 30-59, 2014.

CARVALHO, A. M. P. Pesquisas em sala de aula: Um importante fator na formação do professor. Perspectiva, v. 17, p. 47-57, 1992.

CARVALHO, A. M. P. O ensino de Ciências e a proposição de sequências de ensino investigativas. In: Carvalho, Anna Maria Pessoa de (org.). Ensino de Ciências por Investigação: Condições para Implementação em Sala de Aula. São Paulo:Cengage Learning, p. 1-20, 2013.

DELIZOICOV, D. Problemas e problematizações. In: Pietrocola, M. (Org.). Ensino de Física: conteúdo, metodologia e epistemologia em uma concepção integradora. Florianópolis, p. 1-17, 2005.

GIL-PEREZ, D. CASTRO, P. V. La orientación de las practices de laboratório como invetigagación: un ejemplo ilustrativo. Enseñanza de las ciencias, v. 14, n. 2, p. 155-163, 1996.

HERNANDES, C. L.; CLEMENT, L.; TERRAZZAN, E. A. Uma Atividade Experimental Investigativa de Roteiro Aberto Partindo de Situações do Cotidiano. In:Encontro de Pesquisa em Ensino de Física – VIII EPEF, Águas de Lindóia, São Paulo, 2002.

MACHADO, V. F.; SASSERON, L. H. As perguntas em aulas investigativas de Ciências: a construção teórica de categorias. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 12, n. 2, p. 29-44, 2012.

MUNFORD, D.; LIMA, M. E. C. C. Ensinar ciências por investigação: em quê estamos de acordo? Revista Ensaio, v. 9, n. 1, p. 89-111, 2007.

RICARDO, E. C. Problematização e Contextualização no Ensino de Física. In: Carvalho, A. M. P.; (Org.). Ensino de Física. Editora Cengage Learning, p. 29-47, 2010.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. Almejando a Alfabetização Científica no Ensino Fundamental: A Proposição e a procura de Indicadores do Processo. Investigações em Ensino de Ciências, v. 13, n. 3, p. 333-352, 2008.

SASSERON, L. H.; DUSCHL, R. A. Ensino de Ciências e as Práticas Epistêmicas: O Papel do Professor e o Engajamento dos Estudantes. Investigações em Ensino de Ciências, v. 21, n. 2, p. 52-67, 2016.

ZÔMPERO, A. F.; LABURÚ, C. E. Atividades Investigativas no Ensino de Ciências: Aspectos Históricos e Diferentes Abordagens. Revista Ensaio, v. 13, n. 3, p. 67-80, 2011.

Publicado
2019-10-07
Como Citar
OLENKA, L. Dificuldades e avanços na utilização de roteiros investigativos: a prática investigativa na prática. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 5, p. 119-130, 7 out. 2019.
Seção
Artigos Gerais