Produto educacional para o Ensino de Ciências como proposta para aprendizagem mediada

  • Juliana Yporti de Sena Universidade Tecnologica Federal do Paraná
  • Zenaide de Fátima Dante Correia Rocha
Palavras-chave: Atividade mediada, Conceitos científicos, Produto educacional, Ensino de Ciências

Resumo

Este artigo objetiva demonstrar o papel da atividade mediada na aprendizagem de conceitos científicos. Os dados apresentados são um recorte de uma pesquisa desenvolvida em um mestrado profissional cuja proposta de ensino tinha como intuito aplicar uma Sequência didática Interativa (SDI) para investigar a aprendizagem de conceitos científicos sobre doenças epidêmicas no Ensino de Ciências. Os resultados demonstraram uma mudança conceitual por parte dos estudantes sobre o conteúdo trabalhado, esse processo está relacionado à atividade mediada, proporcionada pelas diversas atividades contidas no produto educacional, que possibilitaram a identificação, definição e utilização dos conceitos, contribuindo para a atenção voluntária e memória, processos cruciais para internalização de conceitos.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Yporti de Sena, Universidade Tecnologica Federal do Paraná

 

Referências

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

CARVALHO, Ana. Amélia. Amorim. Podcast no Ensino: Contributos para uma Taxonomia. Revista Ozarfaxinars, n. 8, p. 1-15, 2009. Disponível em: http//www.cfaematosinhos.eu/Podcast%20n0%20Ensino_08.pdf. Acesso em: 20 dez 2014.

CHASSOT, A. Alfabetização Científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de educação, n. 21, p. 157-158, 2002, seção de documentos. In: III Cumbre Iberoamericana de Rectores de Universidades Públicas, 25 a 27 de abril de 2002.

GASPARIN, J. L. Uma Didática para a Pedagogia Histórico-Crítica. 5 ed., rev. Campinas - SP: Autores Associados, 2012.

GIL PEREZ. D. El papel de la educación ante las transformaciones científico-tecnológicas. Revista Iberoamericana de Educación, v. 18, p. 11-23, 1999.

GONÇALVES, M. E. Cultura científica e participação pública. Oieiras: Celta Ed, 2000.

JIMÉNEZ, M. P. e OTERO, L. La ciencia como construcción social. Cuadernos de Pedagogía, n. 180, p. 20-22, 1990.

MINISTÉRIO, Educação da. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior. Brasília, 2012.

MORTIMER, E. F. Linguagem e formação de conceitos no ensino de Ciências. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2000.

MORTIMER, E. F.; SILVA. A. C. T. As estratégias enunciativas de uma professora de química e o engajamento disciplinar produtivo dos alunos em atividades investigativas. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 11, n. 2, 2011.

NARDI. R. A área de Ensino de Ciências no Brasil: Fatores que determinam sua constituição e suas características segundo os pesquisadores brasileiros. 2005. 166f. Faculdade de Ciências. Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2005.

OLIVEIRA, M. K. de. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento um processo sócio- histórico. São Paulo: Scipione, 2010.

THIOLLENT. M. Metodologia da pesquisa-ação. 7 ed. São Paulo: Cortez, 1996.

VEIGA, M. L. Formar para um conhecimento emancipatório pela via da educação em ciências. Revista Portuguesa de Formação de Professores, v. 2, p. 49-62, 2002.

VIGOTSKI. L. S. A Formação Social da Mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, selo Martins, 2007.

VIGOTSKI. L. S. A Construção do Pensamento e da Linguagem. 2° tiragem. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

Publicado
2018-12-18
Como Citar
SENA, J. Y. DE; ROCHA, Z. DE F. D. C. Produto educacional para o Ensino de Ciências como proposta para aprendizagem mediada. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 5, p. 205 - 219, 18 dez. 2018.
Seção
Artigos Gerais

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)