Ensino de Biologia evolutiva (bio-evo): concepções de professores pós-graduandos em ensino de ciências

  • Suelen Bomfim Nobre Universidade Luterana do Brasil
  • Leticia Azambuja Lopes Universidade Luterana do Brasil https://orcid.org/0000-0003-4790-5053
  • Maria Eloisa Farias Universidade Luterana do Brasil
Palavras-chave: Biologia Evolutiva, Concepções, Ensino de Ciências, Formação de professores, Interdisciplinaridade

Resumo

Para o entendimento das questões relacionadas a Biologia Evolutiva (BIO-EVO) é necessária a articulação de diferentes saberes científicos, oriundos de distintas áreas de conhecimento. Entretanto, observa-se em estudos da área de Ensino de Ciências que este potencial interdisciplinar ainda é explorado de forma incipiente nas escolas brasileiras. Diante deste cenário, este artigo busca analisar as concepções de professores pós-graduandos (stricto sensu), de Mestrado e Doutorado, em torno do ensino da BIO-EVO e as potencialidades da articulação do pensamento globalizador aos pressupostos teóricos evolucionistas. Metodologicamente este estudo caracteriza-se na perspectiva qualitativo, com exploração de instrumento de coleta de dados adaptado. Os resultados indicaram que o evolucionismo é a teoria mais reconhecida pela comunidade científica, embora os participantes da pesquisa percebem as falhas no ensino da BIO-EVO.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALENCAR, E. J.; NASCIMENTO, J. de N.; FARIAS, C. da C.; DIAS, M.A. da S.

Sequência didática para o ensino de classificação e evolução biológica. Anais: V Encontro de Iniciação à Docência da Universidade Estadual da Paraíba – UEPB, 2015. Disponível em:

<http://www.editorarealize.com.br/revistas/eniduepb/trabalhos/TRABALHO_EV043_MD1_ SA1_ID630_01072015142253.pdf> Acesso em: 12 jun. 2017.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Edição revista e ampliada. São Paulo, SP: Edições 70, 2011.

BARROS, H.L.De. Entropia e Vida: a questão do tempo linear. Capítulo 8. In: EL-HANI, C.N.; VIDEIRA, A.A.P. O que é vida? Para entender a Biologia do Século XXI. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2000. 187-208p.

BIZZO, N. M. V. From Down House landlord to Brazilian high school students - what has happened to evolutionary knowledge on the way? Journal of Research in Science Teaching, v. 31, p. 537-556, 1994. Disponível em:<https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/tea.3660310508> Acesso em: 05 mai. 2017.

BIZZO, N. M. V. Ciências: fácil ou difícil? 2ª edição. São Paulo: Biruta, 2002, 158p.

BIZZO, N. M. V. Pensamento científico: a natureza da ciência no ensino fundamental. 1 ed. São Paulo: Melhoramentos. 2012. (Série como eu ensino) 175p.

BRAGA, L. Entre a Fé e a Ciência: uma análise sobre a Teoria do Design Inteligente. Dissertação. Mestrado em Antropologia Social: Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, Campinas, 2016. 154p.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental, Parâmetros Curriculares Nacionais:

Ciências Naturais / Ensino de Quinta a Oitava Série, 138 p. Brasília. MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). (2ª edição). Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf Acesso em 08 abril 2017.

CARLETTI, C.; MASSARANI, L. O que pensam crianças brasileiras sobre a teoria da evolução? Alexandria Revista de Educação em Ciências e Tecnologia, v. 4, n. 2, p. 205-223, 2011. Disponível em: < https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/view/37688> Acesso em: 10 mai. 2017.

CORRÊA, A. L. História e Filosofia da Biologia na formação inicial de professores: reflexões sobre o conceito da evolução biológica. Dissertação (Mestrado em Educação para Ciências): Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Bauru, 2010. 148 p.

FUTUYMA, D.J. Biologia Evolutiva. Ribeirão Preto: FUNPEC Editora, 2009.

JOUCOSKI, E.; SERBENA, A. L.; MELO, C.C.; ZANON, E.K; SANTOS, J. dos; CHAVES,

R.K.C.; REIS, R.A. A construção dos jogos didáticos de cartas colecionáveis como instrumento de divulgação científica no programa de extensão LabMóvel. Anais: VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências- ENPEC, 2012. Disponível em:<http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R0338-1.pdf> Acesso em: 12 jun. 2017.

LICATTI, F. O ensino de Evolução Biológica no nível Médio. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência) - UNESP, Bauru, 2005. 242p.

MAYR, E. Isto é Biologia: a ciência do mundo vivo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

MEGLHIORATTI, F. A. História da Construção do Conceito de Evolução Biológica: possibilidades da percepção dinâmica da ciência pelos professores de Biologia. Dissertação. Faculdade de Ciências: Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” - UNESP, Bauru, 2004. 272 p.

MELLO, A. De C. Evolução biológica: concepções de alunos e reflexões didáticas. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS, Porto Alegre, 2008. 116p.

MEYER, D.; EL-HANI, C. N. Evolução: o sentido da biologia. São Paulo: Ed. UNESP, 2005.

OLEQUES, L. C.; BARTHOLOMEI-SANTOS, M. L.; BOER, N. Evolução biológica: percepção de professores de biologia. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 10, n. 2, 2011. Disponível em: <http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen10/ART2_VOL10_N2.pdf> Acesso em: 01 abr. 2017.

OLIVEIRA, G. S.; BIZZO, N.; PELLEGRINI, G. Evolução biológica e os estudantes: um estudo comparativo Brasil e Itália. Ciência & Educação, v. 22, n. 3, p. 689-705, 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516- 73132016000300689&script=sci_abstract&tlng=pt> Acesso em: 03 abr. 2017.

PALMER, D. Evolução: a história da vida. São Paulo: Larousse do Brasil, 2009.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. de. Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013. Disponível em: <https://www.feevale.br/cultura/editora- feevale/metodologia-do-trabalho-cientifico 2-edicao>. Acesso em: 03 abr. 2017.

RIDLEY, M. Evolução. 3 ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

SANTOS, C. M. D.; CALOR, A. R. Ensino de Biologia Evolutiva utilizando a estrutura conceitual da sistemática filogenética. Revista Ciência & Ensino, vol.2, n.1, 2007. Disponível em: <https://prc.ifsp.edu.br/ojs/index.php/cienciaeensino/article/view/100/133> Acesso em: 12 jun. 2017.

SANTOS, A. G.; FALCÃO, E. B.; CERQUEIRA, R. Praticar Ciência: estudantes ensinam como aprender teoria da evolução e lidar com crenças religiosas. ALEXANDRIA Revista de Educação em Ciências e Tecnologia, v. 9, n. 1, 2016. Disponível em: < https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/view/1982-5153.2016v9n1p103> Acesso em: 10 mar. 2017.

SCHWANKE, C.; SILVA, M.A.J. Educação e Paleontologia. In: CARVALHO, I. de S. (ed.) Paleontologia, v. 2. Editora Interciência, p. 123-130, 2010.

SEPÚLVEDA, C.; EL-HANI, C. N.; REIS, V. P.G.S. Análise de uma sequência didática para o ensino de Evolução sob uma perspectiva sócio-histórica. Anais VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências - Enpec, Florianópolis, 2009. Disponível em: <http://posgrad.fae.ufmg.br/posgrad/viienpec/pdfs/747.pdf> Acesso em: 12 jun. 2017.

STAUB, T.; STRIEDER, D. M.; MEGLHIORATTI, F. A. Análise da controvérsia entre evolução biológica e crenças pessoais em docentes de um curso de Ciências Biológicas. Revista Electrónica de Investigación em Educación en Ciencias, v. 20, n. 2, 2015. Disponível em: http://ppct.caicyt.gov.ar/index.php/reiec/article/view/7767 Acesso em: 20 fev. 2017.

Publicado
2018-04-05
Como Citar
NOBRE, S. B.; LOPES, L. A.; FARIAS, M. E. Ensino de Biologia evolutiva (bio-evo): concepções de professores pós-graduandos em ensino de ciências. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 1, p. 88-102, 5 abr. 2018.
Seção
Artigos Gerais