Um olhar docente sobre as dificuldades do trabalho da Educação Ambiental na escola

Autores

  • Vanessa Regal Maione Jeovanio-Silva Instituto Federal do Rio de Janeiro
  • Andre Luiz Jeovanio-Silva Instituto Nacional da Propriedade Industrial
  • Sheila Pressentin Cardoso Instituto Federal do Rio de Janeiro https://orcid.org/0000-0002-1822-8420

DOI:

https://doi.org/10.26843/rencima.v9i5.1357

Palavras-chave:

Educação Ambiental, Tema Transversal, Professores

Resumo

O presente artigo relata pesquisa desenvolvida com professores de ciências, química, física e matemática, que lecionam no ensino fundamental e/ou ensino médio, cujo objetivo foi identificar as dificuldades observadas ou enfrentadas na abordagem de temas de educação ambiental. A metodologia foi de natureza qualitativa, com emprego de um questionário para a coleta de dados. Dos quinze professores participantes, seis relataram dificuldades na abordagem de temas ambientais, as quais variaram conforme a área de formação. Os professores formados em ciências biológicas sentem dificuldade em questões referentes à legislação ambiental, em como trabalhar a educação ambiental de forma transversal e crítica, e no desenvolvimento de atividades práticas fora da escola. Já os professores de química, física e matemática apresentam dificuldades ainda mais básicas, relacionadas à falta de conhecimento sobre temas ambientais, e a integrá-los com os conteúdos de suas disciplinas. Quanto aos temas de maior dificuldade de compreensão por parte dos estudantes, somente os formados em ciências biológicas apresentaram respostas coerentes, reforçando a dificuldade e/ou a falta da abordagem de temas ambientais pelos professores das demais áreas. Os docentes manifestaram interesse em material de apoio e sinalizaram vários aspectos nos quais este auxiliaria em relação ao trabalho da educação ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Regal Maione Jeovanio-Silva, Instituto Federal do Rio de Janeiro

Graduada em Ciências Biológicas, ESpecialista em Ensino de Ciências e Biologia, Mestranda em Ensino de Ciências.

Andre Luiz Jeovanio-Silva, Instituto Nacional da Propriedade Industrial

Graduado em Ciências Biológicas, Mestre e Doutor em Ciências Biológicas. Atuou como professor da FAETEC e FAETERJ, atualmente e pesquisador do INPI

Sheila Pressentin Cardoso, Instituto Federal do Rio de Janeiro

Licenciada em química, mestre em química orgânica e doutora em ciências. Professora titular aposentada do IFRJ, atualmente atuando como professora do programa de pós-graduação stricto-sensu em ensino de ciências do IFRJ. Linha de pesquisa em ensino de ciências e corrosão

Referências

BRASIL. Lei 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/Leis/L6938.htm>. Acesso em: 24 mai. 2017.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 08 mai. 2017.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação dos temas transversais / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1998. 138p. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ciencias.pdf>. Acesso em: 23 abr. 2017.

BRASIL. Lei 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a política nacional de educação ambiental e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm>. Acesso em: 23 abr. 2017.

BRASIL. Lei 12.608, de 10 de abril de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção e Defesa Civil. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011- 2014/2012/lei/l12608.htm>. Acesso em: 23 abr. 2017.

BRASIL. Lei 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis nºs 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação. Disponível em: <http://www.normaslegais.com.br/legislacao/Lei-13415-2017.htm>. Acesso em: 04 mai. 2017.

BUCK, Sônia; LACHICA, Keith Werneck Brasil. A formação dos Pedagogos para a Educação Ambiental. Em: III EPEA - Encontro Pesquisa em Educação Ambiental, 2005, Ribeirão Preto/SP, p. 1636-1647, 2005.

CARVALHO, I. C. de M. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 5ª Ed., São Paulo: Cortez, 2011.

CZAPSKI, S. A implantação da educação ambiental no Brasil. 1ª ed., Brasília: MEC, 1998.

FRACALANZA, H. As pesquisas sobre educação ambiental no Brasil e as escolas: alguns comentários preliminares. Em: TAGLIEBER, J. E.; GUERRA, A. F. S. (org.). Pesquisa em Educação Ambiental: pensamentos e reflexões. I Colóquio de Pesquisadores em EA. Pelotas: Ed. Universitária/UFPEL; 2004.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 43ª Ed., São Paulo: Paz e Terra, 2011.

GIUBBINA, Fernanda Furlan; CAMPOS, Maria Lúcia A. de M.; ABREU, Daniela Gonçalves de. A formação ambiental segundo a percepção de licenciandos em química. Em: XIV Encontro Nacional de Ensino de Química (XIV ENEQ), 2008, Paraná-SC, p. 1-11, 2008.

INEP. Censo Escolar da Educação Básica 2013. Brasília, p. 39, 2014. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/educacao_basica/censo_escolar/resumos_tecnicos/resumo_ tecnico_censo_educacao_basica_2013.pdf>. Acesso em: 11 mar. 2017.

LEITE, Rosana Franzen; RODRIGUES, Maria Aparecida. Aspectos sociocientíficos e a questão ambiental: uma dimensão da alfabetização científica na formação de professores de química. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 3, p. 38-53, 2018.

RAMOS, Irene de Lacerda; VASCONCELOS, Tomás Noel Herrea. Prática pedagógica a partir da aplicação de atividades contextualizadas sobre o tratamento de água no ensino de química e educação ambiental. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 6, n. 3, p. 72-90, 2015.

RUPEA. Relatório Final da Pesquisa: Mapeamento da Educação Ambiental em instituições brasileiras de Educação Superior: elementos para discussão sobre políticas públicas. Brasília, p. 156, 2005. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/educacaoambiental/rel_rupea.pdf>. Acesso em: 13 fev. 2017.

SILVA, A. D. V. Sustentabilidade no ensino superior: a emergência de uma universidade ambientalmente responsável. Em: GUERRA, A. F. S. & TAGLIEBER, J. E. (Orgs.). Educação Ambiental: fundamentos, práticas e desafios. Itajaí: Universidade do Vale do Itajaí, p.143-162, 2007.

SILVA, Marilena Loureiro da. A educação ambiental no ensino superior brasileiro: do panorama nacional às concepções de alunos (as) de pedagogia na Amazônia. Revista Eletrônica de Educação Ambiental, v. especial, p. 18-33, 2013.

SILVA, Luciano Fernandes; CARVALHO, Luiz Marcelo de. A temática ambiental e as diferentes compreensões dos professores de física em formação inicial. Ciência & Educação, v. 18, n. 2, p. 369-383, 2012.

SOUZA, P. C. M.; TRAJANO. S. As interfaces da Educação Ambiental na dimensão curricular: Uma análise documental. 2010 (Trabalho de conclusão de disciplina Stricto Sensu do PROPEC - Mestrado Profissional em Ensino de Ciências do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro).

TOZZONI-REIS, Marília Freitas de Campos. Educação Ambiental: referências teóricas no ensino superior. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v. 5, n. 9, p. 33-50, 2001.

VERONA, Matheus Fabricio; LORENCINI JÚNIOR, Álvaro. Concepções de educação ambiental e a formação inicial de professores de ciências e biologia: uma análise da universidade estadual de londrina (UEL/PR). Em: V EPEA - Encontro Pesquisa em Educação Ambiental, 2009, São Carlos/SP, p. 1-15, 2009.

Downloads

Publicado

2018-12-18

Como Citar

JEOVANIO-SILVA, V. R. M.; JEOVANIO-SILVA, A. L.; CARDOSO, S. P. Um olhar docente sobre as dificuldades do trabalho da Educação Ambiental na escola. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 9, n. 5, p. 256–272, 2018. DOI: 10.26843/rencima.v9i5.1357. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/1357. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos