Repercussões de um curso de formação continuada a distância em Matemática na visão dos participantes

Palavras-chave: Formação Continuada de Professores, Formação a Distância, Identidade Profissional Docente, ; Ensino e Aprendizagem da Matemática

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa que teve por objetivo geral avaliar as repercussões de um curso de formação continuada a distância em matemática na visão dos participantes. Contou com a participação de um grupo de dezoito professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental, participantes do referido curso.  Para coletar os dados, utilizaram-se questionários, entrevistas semiestruturadas, documentos relacionados ao curso realizado e memoriais construídos pelos docentes ao longo da formação.  Para analisar os dados coletados, utilizou-se a Análise Textual Discursiva, de Moraes e Galiazzi (2011), delineada em quatro etapas: organização do corpus, unitarização dos elementos de significado, definição das categorias e produção de metatexto. Da análise resultaram duas categorias, intituladas Qualificação da prática pedagógica e Aprimoramento da formação inicial. Os resultados evidenciaram que o curso de formação continuada contribuiu para qualificar a formação dos professores e a sua prática pedagógica. Neste sentido, destaca-se a importância de promover espaços formativos e socializadores de conhecimento, visando a uma formação que integre e articule diferentes saberes e, ao mesmo tempo, admita as singularidades dos sujeitos no seu processo de formação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALARCÃO, I. (Org.). Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto Portugal. Porto Editora. 1996.

ALARCÃO, I.; TAVARES, J. Paradigmas de formação e investigação no ensino superior para o terceiro milênio. IN: ALARCÃO, Isabel. (Org.). Escola reflexiva e nova racionalidade. Porto Alegre: Artmed. 2001.

ARROYO, M.G. Ofício de mestre: imagens e auto-imagens. Petrópolis, RJ: Vozes. 2013.

BORGES, L. F. F. Um currículo para a formação de professores. In: VEIGA, I. P. A. DA SILVA, E. F. (Org.) A escola mudou. Que mude a formação de professores. 3 ed – Campinas, SP: Papirus. 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Guia Geral Pró- Letramento: programa de formação continuada de professores dos anos/séries iniciais do ensino fundamental: matemática: fascículo do tutor e encartes. Brasília: MEC/SEB. 2010.

BRASIL. LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 [recurso eletrônico]. – 8 ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara. 2013.

CURI, E. A Matemática e os professores dos anos iniciais dos anos iniciais. São Paulo: Musa Editora. 2005.

ESTEVE, J.M. Mudanças Sociais e função docente. NÓVOA, A. (Org.). Profissão professor. Porto: Porto Editora. 2014.

FALSARELLA, A.M. Formação continuada e prática de sala de aula: os efeitos da transformação continuada na atuação do professor. Campinas, São Paulo: Autores Associados. 2004.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à Prática Educativa. 41 ed. São Paulo: Paz e Terra. 2014.

GATTI, B. A. (coord.); BARRETTO, E.S.S. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO. 2009.

GATTI, B.A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. In: Revista Educação & Sociedade. Campinas: v. 31; n.113.Disponível na internet via http://www.scielo.br.php?pid=S0101-7330201000016&script-sci_arttext. Arquivo capturado em 22/07/2015. 2010.

GATTI, B.A. Valorização da docência e avaliação do trabalho docente: o papel da avaliação participativa em um contexto institucional. In: GATTI, B.A. O trabalho docente: avaliação, valorização, controvérsias. (Org.). Campinas, SP: Autores Associados; São Paulo: Fundação Carlos Chagas. 2013.

GIL, A.C. Estudo de caso: fundamentação científica – subsídios para coletas e análise de dados – como redigir o relatório. São Paulo: Atlas. 2009.

GUÉRIOS, E. Espaços intersticiais na formação docente: indicativos para a formação continuada de professores que ensinam matemática. In: FIORENTINI, D; NACARATO,

A.M. (Org.). Formação e desenvolvimento profissional de professores que ensinam Matemática. São Paulo: Musa Editora. 2005.

GUIMARÃES, V.S. Os saberes dos professores: Ponto de partida para a formação contínua. Boletim Salto para o Futuro, v.13, p. 33-38. 2005.

IMBERNÓN, F. Formação permanente do professorado: novas tendências. São Paulo: Cortez. 2009.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed. 2010.

IMBERNÓN, F. Formação docente profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 2. ed. São Paulo: Cortez. 2001.

JOSSO, M.C. Da formação do sujeito.... Ao sujeito da formação. In: NÓVOA, A. FINGER, M. (Org.). O método (auto) biográficos e a formação, Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus. 2010.

LIBERALI, F.C. Formação crítica de educadores: questões fundamentais. Campinas SP: Pontes. 2010.

LITWIN, E. Educação a distância: temas para debate de uma nova agenda educativa. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

MARÇAL, L. M. P. C. L. A formação inicial dos educadores: professores e professoras. Rizoma Freireano. vol.12. Disponível na internet via http://www.rizoma- freireano.org/index.php/a-formacao-inicial-dos-educadores-professores-e-professoras- lena-maria-pires-coreia-lopes-marcal. Arquivo capturado em 10/08/2015. 2012.

MORAES, M.C. O paradigma educacional emergente. Campinas: Ed. Papirus. 1997. MORAES, R. GALIAZZI, M.C. Análise textual discursiva. Ijuí: Ed. Unijuí. 2011.

MURTA, C. P.C; SILVA, D. M; CORDEIRO, V. L.S. Guia do Curso. In: BRASIL. Ministério

da Educação. Secretaria da Educação Básica. Pró-Letramento: programa de formação continuada de professores dos anos/séries iniciais do ensino fundamental: matemática: fascículo do tutor e encartes. Brasília: MEC/SEB. 2008.

NEDER, M.L.C. A formação do professor a distância: desafios e inovações na direção de uma prática transformadora. Florianópolis: UFSC, Tese de doutorado. 2004.

NÓVOA, A. Professores: imagens do futuro presente. Educa: Lisboa, 2009.

SCHON, D.A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed. 2000.

VEIGA, I.P.A. Professor: tecnólogo de ensino ou agente social. In: VEIGA, I.P. A. AMARAL, A.L. (Org.) Formação de professores: políticas e debates. Campinas, SP: Papirus. 2014.

YIN, R.K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman. 2005.

Publicado
2018-06-28
Como Citar
OLIVEIRA FILHO, V. H. DE; SANTOS, G. T. DOS. Repercussões de um curso de formação continuada a distância em Matemática na visão dos participantes. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 3, p. 249-264, 28 jun. 2018.
Seção
Artigos Gerais