Um estudo de conceitos do sistema de numeração decimal por alunos do 4º ano do ensino fundamental mediante o uso de jogos

  • Thaís Coelho do Nascimento Silva Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Ensino Fundamental, Jogos, Sistema de Numeração Decimal, Representações Semióticas

Resumo

No presente artigo apresentamos uma discussão acerca dos conhecimentos de alunos dos anos iniciais referentes ao Sistema de Numeração Decimal (SND) por meio de atividades realizadas com jogos. Para tanto, nos concentramos em analisar os conceitos e propriedades que os alunos mobilizaram tendo como aporte teórico a teoria de Registros de Representação Semiótica. Os principais registros analisados são os numéricos, o registro da língua natural, bem como representações próprias dos alunos investigados. Para desenvolvimento do trabalho nos apoiamos na construção de uma sequência didática inspirada nos princípios da Engenharia Didática. Como resultados, constatamos que os alunos muitas vezes trabalham com a representação do número em seu registro numérico sem compreensão das propriedades do sistema de numeração decimal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARTIGUE, Michelle. Engenharia Didática. In : BRUN, Jean. Didactica das matematicas. 1ª edição. Ipiaget Editora – Instituto Piaget. 2000.

BRANDT, Célia Finck. Contribuições dos registros de representação semiótica na conceituação do sistema de numeração. 242 f. Tese (Doutorado em Educação Científica). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares nacionais: matemática. Ensino de 1ª a 4ª Série. 2 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 1997.

DAMM, R. F. Registros de representação. In: MACHADO, S.D.A. (Org.). Educação matemática: uma (nova) introdução. 3. ed. São Paulo: Educ, 2010. p. 167-188.

DUVAL, Raymond. Ver e ensinar a matemática de outra forma: entrar no modo matemático de pensar: os registros de representações semióticas. Org. Tânia M. M. Campos; [tradução Marlene Alves Dias]. 1 ed. São Paulo: PROEM, 2011.

DUVAL, Raymond. Registros de representação semiótica e funcionamento cognitivo do pensamento. Revemat: R. Eletr. de Edu. Matem. Tradução Méricles Moretti. Florianópolis, v. 07, n. 2, p.266-297, 2012.

GRANDO, Regina C. O jogo e suas possibilidades metodológicas no processo ensino-aprendizagem da matemática. 175 f. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1995.

HUIZINGA, J. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 6 ed. São Paulo: Perspectiva, 2010.

LUVISON, Cidinéia C. Mobilizações e (re)significações de conceitos em processos de leitura e escrita de gêneros textuais a partir dos jogos. 208 f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade São Francisco. Itatiba, 2011.

MACEDO, L., PETTY, A. L. S., PASSOS, N. C. 4 Cores, Senha e Dominó. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1997.

MUNIZ, Cristiano Alberto. Brincar e jogar: enlaces teóricos e metodológicos no campo da educação matemática. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.

NUNES, Terezinha. Educação matemática 1: números e operações numéricas. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2009

PIAGET, Jean. A formação do símbolo na criança. 3 ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.

Publicado
2020-01-01
Como Citar
DO NASCIMENTO SILVA, T. C. Um estudo de conceitos do sistema de numeração decimal por alunos do 4º ano do ensino fundamental mediante o uso de jogos. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 1, p. 327-340, 1 jan. 2020.
Seção
Artigos Gerais