Produzindo problemas abertos utilizando Tecnologias Digitais no processo de formação inicial de professores de Matemática

Autores

  • Fabiane Fischer Figueiredo Universidade Luterana do Brasil
  • Claudia Lisete Oliveira Groenwald Universidade Luterana do Brasil

DOI:

https://doi.org/10.26843/rencima.v8i2.1220

Palavras-chave:

Design de problemas abertos, Formação inicial de professores de Matemática, Resolução de Problemas, Tecnologias Digitais

Resumo

Neste artigo apresentamos um recorte de um processo formativo realizado no Curso de Extensão Design de problemas com a utilização das Tecnologias Digitais na Educação Matemática, onde dois licenciandos realizaram o Design de um problema aberto com a utilização de Tecnologias Digitais, com o propósito de que o problema fosse proposto em uma prática pedagógica e resolvido por um grupo de alunos do 9º ano do Ensino Fundamental. Nesse processo formativo, os licenciandos puderam tomar decisões, escolher as Tecnologias Digitais que seriam utilizadas no Design do problema, trocar ideias com outro grupo de licenciandos e com a pesquisadora e planejar a prática pedagógica, determinando os objetivos de ensino e aprendizagem que poderiam ser atingidos com a resolução do problema que produziram. As ações desenvolvidas contribuíram para a formação dos licenciandos, uma vez que houve a oportunidade de experienciar os papéis de designers de problemas e como docentes, possibilitando, também, a discussão, investigação e reflexão sobre essas práticas e potencializando a produção de conhecimentos matemático, metodológico, tecnológico e social, de forma integrada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiane Fischer Figueiredo, Universidade Luterana do Brasil

Discente do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECIM) da ULBRA. Docente de Matemática da Escola Estadual de Ensino Médio João Habekost.

Claudia Lisete Oliveira Groenwald, Universidade Luterana do Brasil

Coordenadora e docente do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECIM) da ULBRA.

Referências

ALLEVATO, N. S. G. Associando o computador à resolução de problemas fechados: análise de uma experiência. 2005. 378f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Rio Claro, 2005.

AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MOODLE. Ambiente virtual do Curso de Extensão Design de problemas com a utilização das Tecnologias Digitais na Educação Matemática. Disponível em: <http://matematica.ulbra.br/moodle>. Acesso em: 10 nov. 2016.

BORBA, M. C.; SILVA, R. S. R. da; GADANIDIS, G. Fases das tecnologias digitais em Educação Matemática: sala de aula e internet em movimento. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2014. 149 p. (Coleção Tendências em Educação Matemática).

BRASIL. Parecer CNE/CES nº 1.302, de 6 de outubro de 2001. Aprova as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Matemática, Bacharelado e Licenciatura. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 5 mar. 2002. Seção 1, p. 15.

FIGUEIREDO, F. F. Design de problemas com a utilização das Tecnologias Digitais na formação inicial de professores de Matemática. 2017. 275f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática) – Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Universidade Luterana do Brasil, Canoas, 2017.

FIGUEIREDO, F. F.; DALLA VECCHIA, R. O design de problemas com as tecnologias digitais no ensino da Matemática. In: CONFERENCIA INTERAMERICANA DE EDUCACIÓN MATEMÁTICA, 14., 2015b, Chiapas. Anais eletrônicos... Chiapas: XIV CIAEM, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2015.

FIORENTINI, D. A Pesquisa e as Práticas de Formação de Professores de Matemática em face das Políticas Públicas no Brasil. Bolema, Rio Claro, v. 21, n. 29, p. 43-70, fev. 2008.

GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. 8. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004. 107 p.

GOOGLE DOCS. Site de produção, edição e colaboração de documentos. Disponível em: <https://docs.google.com/document/u/0/>. Acesso em: 10 nov. 2016.

GOOGLE MAPS. Site de visualização de mapas. Disponível em: <https://maps.google.com.br>. Acesso em: 10 nov. 2016.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9. ed., São Paulo: Cortez, 2011. 127 p. (Coleção questões da nossa época, 14).

JONASSEN, D. H. Design Problems for Secondary Students. National Center for Engineering and Technology Education. Logan: NCTE-NFS, 2011. Disponível em: <http://files.eric.ed.gov/fulltext/ED537388.pdf>. Acesso em: 7 abr. 2016.

JONASSEN, D. H. Learning to Solve Problems: An Instructional Design Guide. Essential resources for training and HR professionals. San Francisco: Pfeiffer, 2003. 209 p.

KOEHLER, M. J. et al. The Technological Pedagogical Content Knowledge Framework for Teachers and Teacher Educators. Commonwealth Educational Media Centre for Asia. New Delhi: ICT Integrated Teacher Education – A Resource Book, 2013. Disponível em: <http://www.matt-koehler.com/publications/Koehler_et_al_2013.pdf>. Acesso em: 10 mar. 2016.

KOEHLER, M. J.; MISHRA, P. Teachers learning technology by design. Journal of Computing in Teacher Education, U.S., v. 21, n. 2, p. 94-102, 2005.

MACHADO, N. J. D’AMBROSIO, U.; ARANTES; V. A. Parte III: Entre pontos e contrapontos. In: ARANTES; V. A. (Org.). Ensino de matemática: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, p. 123-148, 2014.

MISHRA, P.; KOEHLER, M. J. Technological pedagogical content knoledge: A framework for teacher knowledge. Teachers College Record, New York, DF, v. 108, n. 6, p. 1017-1054, june 2006.

MISKULIN, R. G. S. As possibilidades didático-pedagógicas de ambientes computacionais na formação colaborativa de professores de matemática. In: FIORENTINI, D. Formação de Professores de Matemática: explorando novos caminhos com outros olhares. Campinas: Mercado das Letras, p. 217-247, 2003.

MIZUKAMI, M. das G. N. Aprendizagem da docência: conhecimento específico, contextos e práticas pedagógicas. In: NACARATO, A. M.; PAIVA, M. A. V. (Org.). A formação do professor que ensina matemática: perspectivas e pesquisas. 1. ed., Belo Horizonte: Autêntica, 2008. p. 213-231.

NCTM. De los princípios a la acción: para garantizar el éxito matemático para todos. México, DF: 2014.

ONUCHIC, L. de la R.; ALLEVATO, N. S. G. Pesquisa em Resolução de Problemas: caminhos, avanços e novas perspectivas. Bolema, Rio Claro, v. 25, n. 41, p. 73 - 98, 2011.

ONUCHIC, L. de la R.; MORAIS, R. dos S. Resolução de problemas na formação inicial de professores de Matemática. Educação Matemática Pesquisa, São Paulo, v. 15, n. 3, p. 671- 691, 2013.

PAIS, L. C. Ensinar e aprender Matemática. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2013. 151 p.

PEREZ, G. Prática reflexiva do professor de Matemática. In: BICUDO, M. A. V.; BORBA, M. C. (Org.). Educação Matemática: pesquisa em movimento. 4. ed. São Paulo: Cortez, p. 272-286, 2012.

PERRENOUD, P. A formação dos professores no Século XXI. In: PERRENOUD, P. THURLER, M. G. As competências para ensinar no século XXI: a formação dos professores e o desafio da avaliação. Porto Alegre: Artmed, 2002. p. 11-33.

PONTE, J. da. Tecnologias de Informação e Comunicação na Formação de Professores: Que Desafios? Revista Iberoamericana de Educación, [S.l.], v. 24, n. 3, p. 63-90, set./dez. 2000.

POZO, J. I. (Org.). A solução de problemas: aprender a resolver, resolver para aprender. Porto Alegre: Artmed, 1998. 177 p.

RICHIT, A. Projetos em Geometria Analítica usando software de Geometria Dinâmica: repensando a formação inicial docente em Matemática. 2005. 215f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Rio Claro, 2005.

ROSA, M. Cyberformação com professores de Matemática: interconexões com experiências estéticas na cultural digital. In: ROSA, M.; BAIRRAL, M. A.; AMARAL, R. B. (Org.). Educação Matemática, Tecnologias Digitais e Educação a Distância: pesquisas contemporâneas. São Paulo: Livraria da Física, p. 57-96, 2015.

SCHÖN, D. A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2000. 256 p.

SHULMAN, L. S. Conhecimento e ensino: fundamentos para a nova reforma. Cadernos Cenpec, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 196-229, dez. 2014.

Downloads

Publicado

2017-07-05

Como Citar

FIGUEIREDO, F. F.; GROENWALD, C. L. O. Produzindo problemas abertos utilizando Tecnologias Digitais no processo de formação inicial de professores de Matemática. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 95–114, 2017. DOI: 10.26843/rencima.v8i2.1220. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/1220. Acesso em: 29 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos