Rumo à Educação Matemática inclusiva: reflexões sobre nossa jornada

  • Solange Hassan Ahmad Ali Fernandes Universidade Anhanguera de São Paulo
  • Lulu Healy Universidade Anhanguera de São Paulo
Palavras-chave: Educação Matemática Inclusiva, Mediação, Cenários inclusivos para aprendizagem, Diversidade, Deficiência

Resumo

A proposta deste artigo é discutir alguns desafios associados ao ensino de matemática e ao desenvolvimento de estratégias de boas práticas, pautadas nos direitos, aspirações e potencial de todos os aprendizes. O programa de pesquisa “Rumo à educação matemática inclusiva” tem três objetivos principais: investigar novas formas de expressar conceitos matemáticos que respeitem a diversidade dos aprendizes; contribuir para a formação de professores, instrumentalizando-os para trabalhar em classes inclusivas e compreender a relação entre experiências perceptivas e conhecimento. Neste texto, compartilha-se a trajetória dos estudos desenvolvidos pela pesquisadora, apresentando resultados de algumas pesquisas realizadas em escolas públicas e privadas que envolveram o desenvolvimento e a análise de cenários inclusivos para a aprendizagem matemática. Tais cenários são planejados para oferecer estímulos multissensoriais e oferecem representações de ideias matemáticas por meio de sons, cores, músicas, movimentos e texturas. Os resultados das pesquisas indicam que os processos de aprendizagem são moldados pelos artefatos e pelas representações matemáticas disponíveis nos cenários para a aprendizagem e, também, pela forma com que os aprendizes interagem com o mundo. Nem sempre as trajetórias de aprendizagem seguem as sequências prescritas no currículo escolar e, nem por isso, essas trajetórias são menos válidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BÉGUIN, P.; RABARDEL, P. Designing for instrument-mediated activity. Scandinavian Journal of Information Systems, v. 12, p. 173-191, 2000.

CARRILHO, R. O micromundo Ritmática: uma abordagem multisenssorial para os conceitos de razão e proporção. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) - Universidade Anhanguera de São Paulo, SP, Brasil, 2013. Disponível em: http://www.matematicainclusiva.net.br/pdf/Ronaldo_Carrilho.pdf Acesso em: 19 out. 2016.

CINTRA, F. A acessibilidade da pessoa com deficiência no ambiente educacional. Políticas Públicas de Educação Inclusiva. Fórum Mundial de Educação. Atividade Auto-Gestionada do Fórum Permanente de Educação Inclusiva, São Paulo. Instituto Paradigma, 2004.

COLE, M.; WERTSCH, J. Beyond the individual-social antinomy in discussions of Piaget and Vygotsky. Human Development, p. 250-256, 1996.

CONCEIÇÂO, K. E. da. A construção de expressões algébricas para alunos surdos: as contribuições do micromundo Mathsticks. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) - Universidade Bandeirante de São Paulo, SP, Brasil, 2012. Disponível em: http://www.matematicainclusiva.net.br/pdf/ACONSTRUCAODEEXPRESSOESALGEBRICASPORALUNOSSURDOS.pdf

DELORS, J. La educación encierra un tesoro. Madrid: Santillana, Ediciones UNESCO, 1996.

FAUSTINO, T. A. S. O pensamento algébrico em atividades relacionadas ao princípio multiplicativo: empregando tecnologias móveis em uma sala inclusiva. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática)- Universidade Anhanguera de São Paulo, SP, Brasil, 2015. Disponível em: http://www.matematicainclusiva.net.br/pdf/O%20PENSAMENTO%20ALGEBRICO%20EM%20ATIVIDADES%20RELACIONADAS%20AO%20PRINCIPIO%20MULTIPLICATIVO.pdf. Acesso em: 19 out. 2016.

FÁVERO, M. H. Psicologia e conhecimento: subsídios da psicologia do desenvolvimento para a análise do ensinar e aprender. 2ª edição. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2014.

FERNANDES, S. H. A. A.; HEALY, L. A apropriação de noções sobre reflexão por aprendizes sem acuidade visual: uma análise vygotskyana. In: Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática, 2003, Santos. Anais do SIPEM II, v. 1, p. 1-16, 2003.

FERNANDES, S. H. A. A.; HEALY, L. Transição entre o intra e interfigural na construção de conhecimento geométrico por alunos cegos. Educação Matemática Pesquisa, v. 9, p. 121- 153, 2007.

FERNANDES, S. H. A. A.; HEALY, L. Educação Matemática e inclusão: abrindo janelas teóricas para a aprendizagem de alunos cegos. Educação e Cultura Contemporânea, v. 5, p. 91-105, 2008.

FERNANDES, S. H. A. A.; HEALY, L. Algebraic expressions of deaf students: connecting visuo-gestural and dynamic digital representations. In: 38th Conference the International Group for the Psychology of Education and the 36th Conference of the North American Chapter of the Psychology of Mathematics Education, 2014, Vancouver. Proceedings…. Vancouver: PME, v. 3, p. 49-56, 2014.

FERNANDES, S. H. A. A.; HEALY, L. Cenários multimodais para uma Matemática Escolar Inclusiva: Dois exemplos da nossa pesquisa. In: XIV CIAEM Conferencia Interamericana de Educación Matemática, 2015, Tuxtla Gutiérrez. Anais... Conferencia Interamericana de Educación Matemática. Chiapas: Editora do CIAEM, v. 1, p. 1-12, 2015.

FERNANDES, S. H. A. A.; HEALY, L. The challenger of constructing na inclusive school mathematics. In: 13th International Congress on Mathematical Education – ICME, 2016. Hamburgo. Proceedings… Hamburgo. ICME, 2016.

FLEIRA, R. C. A inclusão de um aluno autista nas aulas de matemática: um olhar Vygotskyano. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática)- Coordenadoria de Pós-graduação, Universidade Anhanguera de São Paulo, 2016. Disponível em: http://www.matematicainclusiva.net.brpdf/O%20PENSAMENTO%20ALGEBRICO%20EM%20ATIVIDADES%20RELACIONADAS%20AO%20PRINCIPIO%20MULTIPLICATIVO.pdf. Acesso em 19 out. 2016.

GALLESE, V.; LAKOFF, G. The brain’s concepts: The role of the sensory-motor system in conceptual knowledge. Cognitive Neuropsychology, v. 22, p. 455–479, 2005.

HEALY, L.; FERNANDES, S. H. A. A. Relações entre atividades sensoriais e artefatos culturais na apropriação de práticas matemáticas de um aprendiz cego. Educar em Revista (Impresso), v. Esp., p. 227-244, 2011.

LABORDE, C. Integration of Technology in the Design of Geometry Tasks with Cabri- Geometry. International Journal of Computers for Mathematical Learning, v. 6, n. 3, p. 283–317, 2002.

NARDI, E.; HEALY, L.; BIZA, I.; FERNANDES, S. H. A. A. Challenging ableist perspectives on the teaching of mathematics through situation-specific tasks. In: 40th Conference of the International Group for the Psychology of Mathematics Education, 2016, Szeged. Proceedings… Szegred: International Group for the Psychology of Mathematics Education, v. 3, p. 347-354, 2016.

NEMIROVSKY, R. Three conjectures concerning the relationship between body activity and understanding mathematics. In: PATEMAN, N.A.; DOUGHERTY, B.J.; ZILLIOX, J.T. (Eds.), Proceedings of PME 27, v. 1, p.103-135, 2003.

NEMIROVSKY, R.; FERRARA F. Connecting talk, gestures, and eye motion for the microanalysis of mathematics learning. In: The 29th International Conference of the International Group for the Psychology of Mathematics Education-PME 29, 2005, Melbourne. Proceedings… Melbourne: University of Melbourne, v. 1, p. 138-143, 2005.

MARSCHARK, M.; HAUSER, P. Cognitive underpinnings of learning by deaf and hard-of- hearing students: Differences, diversity, and directions. In: MARSCHARK, M.; HAUSER, P. C. (Eds.), Deaf cognition: foundations and outcomes. New York: Oxford University Press, p. 3-23, 2008.

MENDES, R.G (2016). Surdos bem-sucedidos em matemática: Relações entre seus valores culturais e suas identidades matemáticas. Dissertação de Mestrado em Educação Matemática, Universidade Anhanguera de São Paulo, SP, Brasil. Disponível em: http://www.matematicainclusiva.net.br/pdf/Surdos%20bem- sucedidos%20em%20matematica.pdf.

OLIVEIRA, M. K. Vygotsky: Aprendizado e desenvolvimento um processo sócio- histórico. São Paulo: Scipione, pp. 25–40, 2002.

PAPERT, S. A máquina das crianças: repensando a escola na era da informática. Tradução Sandra Costa – Ed. rev. – Porto Alegre: Artmed, 2008, 224 p.

PESSOA, C.; BORBA, R. O Desenvolvimento do Raciocínio Combinatório na Escolarização Básica. In: Teia: Revista de Educação Matemática e Tecnológica Iberoamericana, v. 1, n. 1, 2010. Disponível em: http://emteia.gente.eti.br/index.php/emteia/article/view/4. Acesso em: 2 set. 2016.

SANTOS, C. E. R.; FERNANDES, S. H. A. A . O DESIGN UNIVERSAL NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA PROPOSTA DE CURSO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA. In: XII Encontro Nacional de Educação Matemática, 2016, São Paulo. Anais do 12° Encontro Nacional de Educação Matemática, 2016.

RONCATO, C. R. Cenários investigativos de aprendizagem matemática: atividades para um aprendiz com Múltipla Deficiência Sensorial. Dissertação (mestrado em Educação Matemática)- Universidade Anhanguera de São Paulo, 2015. Disponível em: <http://www.matematicainclusiva.net.br/pdf/cenarios%20investigativos%20de%20aprendizage m%20em%20matematica.pdf>.

VALSINER, J; VEER, R.; van der;. Vygotsky - Uma síntese. Tradução de: Cecília C. Bartalotti. 4. ed., São Paulo: Loyola, 1996.

VYGOTSKY, L. S. Obras escogidas V – Fundamentos da defectología. Traducción: Julio Guillermo Blank. Madrid: Visor, 1997. (Coletânea de artigos publicados originalmente em russo entre os anos de 1924 a 1934).

YOKOYAMA, L. A. Uma abordagem multissensorial para o desenvolvimento do conceito de número natural em indivíduos com síndrome de Down. Tese de doutorado, Universidade Bandeirante de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. 2012. Disponível em: http://www.matematicainclusiva.net.br/pdf/uma_abordagem_multissensorial_para_o_desenvo lvimento_do_conceito_de_numero.pdf.

Como Citar
FERNANDES, S. H. A. A.; HEALY, L. Rumo à Educação Matemática inclusiva: reflexões sobre nossa jornada. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 7, n. 4, p. 28-48, 11.
Seção
Artigos Gerais