A Teoria da Modelagem de David Hestenes no Ensino de Ciências e Matemática

  • Ednilson Sergio Ramalho de Souza Universidade Federal do Oeste do Pará
  • Adilson Oliveira do Espirito Santo Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: Teoria da Modelagem, Modeling Instruction, Ensino de Ciências, Ensino de Matemática

Resumo

A Teoria da Modelagem considera que as pessoas criam modelos mentais para planejar e para guiar suas interações com o mundo real. Contudo, modelos mentais criados a partir de experiências da vida cotidiana geralmente são incompatíveis com os modelos conceituais da escola. Assim, sustenta-se que o problema fundamental na aprendizagem e na compreensão em ciências e em matemática é coordenar modelos mentais com modelos conceituais. Nosso objetivo é apresentar pressupostos básicos da Teoria da Modelagem, bem como sua aplicação por meio de uma didática conhecida como Modeling Instruction. A questão principal foi saber como são os fundamentos principais dessa teoria e como ela vem sendo aplicada em sala de aula. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica com a finalidade de identificar na literatura disponível contribuições sobre o assunto e levantar possibilidade e desafios para o ensino brasileiro de ciências e de matemática. Concluímos que a Teoria da Modelagem tem implicações importantes para a educação científica e matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ednilson Sergio Ramalho de Souza, Universidade Federal do Oeste do Pará

Docente da Universidade Federal do Oeste do Pará. Licenciado Pleno em Física. Especialista em Educação Matemática. Mestre em Educação em Ciências e Matemática. Doutorando em Educação em Ciências e Matemática.

Adilson Oliveira do Espirito Santo, Universidade Federal do Pará

Docente da Universidade Federal do Pará. Instituto de Educação Matemática e Científica.

Referências

AMBRÓSIO, M. O uso do portfólio no ensino superior. Rio de Janeiro: Vozes, 2013 (Livro digital).

AMTA. AMERICAN MODELING TEACHERS ASSOCIATION. 2017. Disponível em: <http://modelinginstruction.org/>. Acesso em 10 mai 2017.

BREWE, E. Modeling theory applied: Modeling Instruction in introductory physics. American Journal of Physics, v. 76, n. 12, p. 1155-1160, 2008. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1119/1.2983148. Acesso em 03 fev 2017.

BREWE, E.; KRAMER, L.; O’BRIEN, G. Modeling instruction: positive attitudinal shifts in introductory physics measured with class. Physics Education Research. v. 05, n. 013102, 2009. Disponível em: https://journals.aps.org/prper/abstract/10.1103/PhysRevSTPER.5.013102. Acesso em 23 mai 2017.

DESBIEN, D. M. Modeling discourse management compared to other classroom management styles in university physic. 2002. Doctor of Education - Arizona State University Arizona. Disponível em: http://perusersguide.org/items/detail.cfm?ID=7287. Acesso em 10 mai 2017.

DITMORE, D, A. Effect of modeling instruction on concept knowledge among ninth grade physics students. 2016. Doctor of Education - Walden University. Disponível em: htp://scholarworks.waldenu.edu/dissertations. Acesso em 10 mai 2017.

DYE, J. et all. The impact of modeling instruction within the inverted curriculum on student achievement in science. Electronic Journal of Science Education, v. 17, n. 2, 2013. Disponível em: http://ejse.southwestern.edu/article/view/11231. Acesso em 10 mai 2017.

HALLOUN, I. A.; HESTENES. D. O. Modeling Instruction in mechanics. Am. J. Phys. v. 55, n. 05, p. 455-462, 1987. Disponível em: http://aapt.scitation.org/doi/10.1119/1.15130. Acesso em 02 fev 2017.

HEIDEMANN, L. A; ARAUJO, I. S.; VEIT, E. A. Ciclos de modelagem: uma proposta para integrar atividades baseadas em simulações computacionais e atividades experimentais no ensino de física. Cad. Bras. Ens. Fís., v. 29, n. Especial 2, 2012, p. 965-1007. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/2175- 7941.2012v29nesp2p965. Acesso em 02 fev 2017.

HESTENES, D. Modeling theory and modeling instruction for STEM education. 2015a. Disponível em: https://secure.hbcse.tifr.res.in/epi6/papers/Review- talks/epiSTEME6_ReviewTalk_David%20Hestenes.pdf. Acesso em 07 ago. 2016.

HESTENES, D. Conceptual Modeling in physics, mathematics and cognitive science. 2015b. Disponível em:

http://semioticon.com/semiotix/2015/11/conceptual•modeling•in•physics•mathematics•and•cognitive•science/. Acesso em 07 ago. 2016.

HESTENES, D. Modeling theory for math and science education. In: LESH, Richard et al. Modeling student’s mathematical modeling competencies. New York: Springer, 2010. Disponível em: https://link.springer.com/chapter/10.1007%2F978-1-4419-0561-1_3. Acesso em 02 fev 2017.

HESTENES, D. Notes for a modeling theory of science, cognition and instruction. In: Proceedings.... Amsterdam: University of Amsterdam, 2006, p. 34- 65. Disponível em: http://modeling.asu.eduR&E/Notes_on_Modeling_Theory.pdf. Acesso em 21 mar 2017.

HESTENES, D., WELLS, M., e SWACKHAMER, G. Force concept inventory. The Physics Teacher, v. 30, p. 141-158, 1992.

JACKSON, J.; DUKERICH, L.; HESTENES, D. Modeling instruction: an effective model for science education. Science Educator, v. 17, n. 1, p. 10-17, 2008. Disponível em: http://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ851867.pdf. Acesso em 02 fev 2017.

JOHNSON-LAIRD, N. P. The history of mental models. 2005. Disponível em: http://mentalmodels.princeton.edu/papers/2005HistoryMentalModels.pdf. Acesso em 17 mar 2016.

KILPELA, D. W. The effects of modeling instruction on student learning of a newtonian force concept. 2013. (Master of Science, Michigan Technological University). Disponível em: http://www.mtu.edu/cls/education/pdfs/reports/Kilpela_Report_2013.pdf. Acesso em 10 maio 2015.

MALHEIROS, B. T. Metodologia da pesquisa em educação. Rio de Janeiro: LTC, 2011.

MAZUR, E. Peer instruction: a revolução da aprendizagem ativa. Tradução Anatólio Laschuk. Porto Alegre: Penso, 2015 (Livro Eletrônico).

SOUZA, E. S. R. A formação de modelos mentais na sala de aula. Exitus, v. 3, n. 1, p. 169-184, 2013.

SOUZA, E S. R.; ROZAL, E. F. Instrução por modelagem de David Hestenes: uma proposta de ciclo de modelagem temática e discussões sobre alfabetização científica. Amazônia Revista de Educação em Ciências e Matemática, v. 12, n. 24, p. 99-115, 2016.

WELLS, M. Modeling instruction in high school physics. 1987. Doctor of Education - Arizona State University. Disponível em: http://modeling.asu.edu/modeling-HS.html. Acesso em 10 mai 2017.

WELLS, M.; HESTENES, D.; SWACKHAMER, G. A modeling method for high school physics instruction. 1995. American Journal of Physics. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1119/1.17849. Acesso em 24 de jul. 2016.

Publicado
2017-09-28
Como Citar
SOUZA, E. S. R. DE; ESPIRITO SANTO, A. O. DO. A Teoria da Modelagem de David Hestenes no Ensino de Ciências e Matemática. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 8, n. 3, p. 21-40, 28 set. 2017.
Seção
Artigos Gerais