Saber popular e o conhecimento científico: relato de experiência envolvendo a fabricação de sabão caseiro

Autores

  • Diego Marlon Santos Universidade Estadual do Paraná
  • Lucila Akiko Nagashima Universidade Estadual do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.26843/rencima.v8i2.1083

Palavras-chave:

Conhecimento científico, Sabão caseiro, Saber popular

Resumo

Relata-se uma experiência envolvendo um diálogo entre o saber popular e o conhecimento científico sobre a fabricação de sabão caseiro. Na busca desse objetivo uma moradora da cidade de Paranacity, Estado do Paraná, descreveu o processo, de uma forma bastante singular e tradicional. A coleta de dados realizou-se mediante entrevista e gravação da fala da participante. Assim, analisou-se o processo de fabricação caseiro, sendo discutidos os aspectos teóricos e metodológicos da pesquisa, propondo relacionar o saber popular com a linguagem científica e a reação de saponificação. Nesse sentido, deve haver uma reflexão da importância entre o saber popular e o conhecimento científico na vida da população, de modo que os professores desenvolvam atividades que relacionem os saberes cotidianos por meio de relatos de experiências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Marlon Santos, Universidade Estadual do Paraná

Possui graduação em Química Industrial pela Universidade Paranaense (2005) e graduação em Química Licenciatura pela Universidade Paranaense (2005). Especialista em Meio Ambiente com ênfase em Química Ambiental pela Universidade Paranaense (2007), especialista em Docência do Ensino Superior: métodos e práticas educativas pela Universidade Paranaense (2007) e especialista em Educação: Métodos e Técnicas de Ensino pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (2012), especialista em Gestão Ambiental em Municípios pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (2014). Atualmente é professor do Colégio Estadual Enira Moraes Ribeiro - EFMP, ministrando aulas na Educação Profissional, nos cursos Técnico em Química e Técnico em Alimentos. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Análise de Traços e Química Ambiental, Gestão Ambiental, Educação Ambiental, Ensino de Química e Ensino Profissionalizante.

Lucila Akiko Nagashima, Universidade Estadual do Paraná

Possui graduação em Química pela Universidade Estadual de Maringá (1977), graduação em Ciências de Primeiro Grau pela Universidade Estadual do Paraná (1972), mestrado em Engenharia Química pela Universidade Estadual de Maringá (2004) e doutorado em Engenharia Química pela Universidade Estadual de Maringá (2009). Atualmente é professor adjunto da Universidade Estadual do Paraná. Atua como docente no programa de pós-graduação strictu sensu (mestrado acadêmico em formação docente interdisciplinar).nas disciplinas - O Ensino de Ciências e os conhecimentos básicos comuns para o ensino-aprendizagem e O ensino de Física e Química na Educação Brasileira.Tem experiência na área de Química, e a pesquisa é essencialmente na área de Saneamento Ambiental, em tratamento de efluentes com Reagente Fenton e com coagulante orgânico a base de tanino. Também atua na área gerenciamento de resíduos sólidos.

Referências

AGUILAR, T. Alfabetización científica para la ciudadanía. Madrid: Narcea, 1999.

ANDER-EGG. E. Introducción a las técnicas de investigatición social: para trabajadores sociales. 7. ed. Buenos Aires: Humanitas, 1978. Parte I, Capítulo 1.

BENITE, A. M. C.; BENITE, C. R. M.; RIBEIRO, E. B. V. Educação inclusiva, ensino de Ciências e linguagem científica: possíveis relações. Revista Educação Especial, v. 28, n. 51. p. 83 – 92, jan./abr. 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio (PCN). 1999.

BUNGE. M. La investigación cientifica: su estrategia y su filosofia. 5. ed. Barcelona: Ariel, 1976. Parte I, Capítulo 1, Parte III, Capítulo 9.

CAMPOS, R. C; SILVA, R. C. Funções da Química inorgânica funcionam? Química Nova na Escola, v. 9, 1999.

CHASSOT, A. Educação consciência. 2. ed. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2010.

CHASSOT, A. Sete escritos sobre educação e ciência. São Paulo: Cortez, 2008.

CHASSOT, A. Fazendo educação em ciências em um curso de pedagogia com inclusão de saberes populares no currículo. Química Nova na Escola, n. 51, p. 20-25, fev. 2007.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. 4. ed. Ijuí: Unijuí, 2006.

CHASSOT, A. Catalisando transformações na educação. Ijuí: Editora Unijuí, 1993.

COBERN, W. W.; GIBSON, A. T.; UNDERWOOD, S. A. Valuing Scientific Literacy. In: The science teacher. Arlington: United States, v. 62, n. 9, p. 28–31, dec. 1995.

CUNHA, A. P. O emprego das plantas aromáticas desde as antigas civilizações até ao presente. 2007. Disponível em: <http://antoniopcunha.com.sapo.pt/>. Acesso em: 20 mai. 2015.

DICKMANN, I; DICKMANN, I. Primeiras palavras em Paulo Freire. Passo Fundo: Battistel, 2008.

GEORGE, J.; GLASGOW, J. Some cultural implications of teaching towards common syllabi in science: a case study from the Caribbean. School Science Review, v. 71, p. 115-123, 1989.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2011. 200 p.

HADEN, J. Iron and education in Uganda. Education in Chemistry, v. 10, n. 2, p. 49-51, 1973

HOBSBAWM, E. Era dos extremos: o breve século XX 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

JUNIOR, W. E. F.; YAMASHITA, M.; MARTINES, E. A. L. de M. Saberes populares amazônicos: garimpo de ouro no rio Madeira/RO e possibilidades de interrelação com aulas de química/ciências. Química Nova na Escola, v. 35, n. 4, p. 228–236, nov. 2013.

LEMKE, J. L. Teaching all the languages of science: words symbols, images, and actions. 1998. Disponível em <http://academic.brooklyn.cuny.edu/education/jlemke/papers/barcelon.htm>. Acesso em: 20 mai. 2015.

LOPES, A. R. C. Conhecimento escolar: ciência e cotidiano. Rio de Janeiro: EDUERJ, 1999.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, M. E. Fundamentos da Metodologia Científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

PUIGCERVER, M.; SANS, M. C. Vacas locas, enseñanza: aprendizaje y alfabetización científica. Alambique, Didáctica de las ciencias experimentales, n. 32, p. 24 - 31, 2002.

SILVA, L. H. A.; ZANON, L. B. A experimentação no ensino de ciências. In: SCHNETZER, R. P.; ARAGÃO, R. M. R. (Orgs.) Ensino de Ciências: fundamentos e abordagens. Campinas: V Gráfica. p. 146, 2000.

Downloads

Publicado

2017-07-05

Como Citar

SANTOS, D. M.; NAGASHIMA, L. A. Saber popular e o conhecimento científico: relato de experiência envolvendo a fabricação de sabão caseiro. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 127–142, 2017. DOI: 10.26843/rencima.v8i2.1083. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/1083. Acesso em: 29 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos