Modelagem Matemática no Geogebra: uma análise a partir dos registros de Representação Semiótica

  • Odalea Aparecida Viana Universidade Federal de Uberlândia
  • Carlos Eduardo Petronilho Boiago Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: educação matemática, modelagem matemática, GeoGebra, geometria

Resumo

O trabalho visa apresentar a modelagem matemática de logotipos como atividade matemática que envolve a identificação e a construção de figuras – em papel e por meio do software GeoGebra – e também cálculos de áreas de figuras planas. Foram objetivos: apresentar as fases da modelagem matemática de logotipos; identificar as etapas do processo de solução de problemas e relacioná-las às fases da modelagem matemática e analisar as representações produzidas por um estudante do ensino médio, nestas fases. Utiliza aportes teóricos da psicologia acerca do processo de solução de problemas e das atividades cognitivas envolvidas na formação, tratamento e conversão dos registros de representação semiótica. Por envolver tais aspectos, considera-se que a modelagem matemática pode favorecer a compreensão de alguns conceitos e procedimentos referentes à geometria plana básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARBOSA, J. C. Modelagem na Educação Matemática: contribuições para o debate teórico. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 24., 2001, Caxambu. Anais... Rio Janeiro: ANPED, 2001.

BASSANEZI, R. C. Ensino-aprendizagem com modelagem matemática. São Paulo: Contexto, 2002.

BICUDO, M. A. V.; KLÜBER, T. E. Pesquisa em modelagem matemática no Brasil: a caminho de uma metacompreensão. Cadernos de Pesquisa. V.41, N.144 set./dez. 2011, p.904-927.

BIEMBENGUT, M. S.; HEIN. N. Modelagem Matemática no ensino. São Paulo: Contexto, 2003.

BRITO, M. R. F. Alguns aspectos teóricos e Conceituais da Solução de Problemas Matemáticos. In: Brito, M.R.F.(org). Solução de Problemas e a Matemática Escolar. Campinas: Alínea, 2006, p.14-32.

BURAK, D.; BRANDT, C. F. Modelagem Matemática e Representações Semióticas: contribuições para o desenvolvimento do pensamento algébrico. Zetetiqué – FE – Unicamp, v. 18, n. 33, 2010, p.63-102.

BURATTO, I. C. F. Representação semiótica no ensino da geometria: uma alternati va metodológica na formação de professores. Mestrado em Educação Científica e Tecnológica. Universidade Federal de Santa Catarina, 2006.

CARNEIRO, V. C. Contribuições para a Formação do Professor de Matemática Pesquisador nos Mestrados Profissionalizantes na Área de Ensino. Bolema, Rio Claro (SP), Ano 21, nº 29, 2008, p. 99 - 122.

DUVAL, R. Semiósis e Pensamento Humano: Registros semióticos e aprendizagens intelectuais. (Fascículo I). Tradução de Lênio F. Levy e Marisa R.A. Silveira. São Paulo: Livraria da Física, 2009.

DUVAL, R. Registros de representação semiótica e funcionamento cognitivo do pensamento. Tradução: Moretti, M. T. Rev. Revemat, v.7, n.2, 2012, p 266-297.

ECHEVERRIA, M. D. P. P.; POZO, J. I. Aprender a resolver problemas e resolver problemas para aprender. In: Pozo, J. I. (org). A solução de problemas. Porto Alegre: Artmed, 1998, p. 44-63.

FLORES, C. R.; MORETTI, M. T. As figuras geométricas enquanto suporte para a aprendizagem em geometria: um estudo sobre a heurística e a reconfiguração. Revemat- Revista Eletrônica de Educação Matemática - UFSC. V1.1, 2006, p. 5 -13.

MALHEIROS, A. P. S. Pesquisas em Modelagem Matemática e Diferentes Tendências em Educação e em Educação Matemática. Bolema, Rio Claro, v. 26, n. 43, 2012, p.861-882.

Publicado
2015-10-04
Como Citar
VIANA, O. A.; BOIAGO, C. E. P. Modelagem Matemática no Geogebra: uma análise a partir dos registros de Representação Semiótica. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 6, n. 3, p. 23-37, 4 out. 2015.
Seção
Artigos Gerais