Análise de uma unidade de ensino potencialmente significativa no Ensino de Matemática durante a apresentação do tema Números Reais

  • Wanderley Pivatto Brum Universidade Federal de Santa Catarina
  • Sani de Carvalho Rutz da Silva Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Palavras-chave: Ensino de matemática, Unidade de ensino, Teoria de aprendizagem significativa, Números reais

Resumo

Apresentamos os resultados de uma investigação de cunho  qualitativo  no ensino  de Matemática realizada com um grupo de estudantes do oitavo ano do ensino fundamental de uma escola da rede pública de Tijucas, Santa Catarina, acerca do tema números reais. A Teoria da Aprendizagem Significativa serviu de aporte teórico tanto para a construção da sequência didática como para a análise frente aos resultados obtidos em sala de aula. Os resultados apontaram que a maioria do grupo investigado apresentou evolução cognitiva sobre os números reais e indícios de aprendizagem significativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AUSUBEL, D. P. Aquisição e Retenção de Conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano, 2003.

AUSUBEL, D. P; NOVAK, J. D.; HANESIAN. Psicologia Educacional. Rio de Janeiro: Interamericana.1980.

BRUM, W. P.; SCHUHMACHER, E. A utilização de mapas conceituais visando o ensino de história da geometria sob a luz da aprendizagem significativa. Aprendizagem Significativa em Revista, v.2, n.3, p. 39-57, 2012.

COLL, C.; SOLE, I. Os professores e a concepção construtivista. In: Coll, César et al. O Construtivismo na sala de aula. 4ª. ed. São Paulo: Ática, 2008.

COSTA, B. J. F.; TENÓRIO, T.; TENÓRIO, A. A Educação Matemática no Contexto da Etnomatemática Indígena Xavante: um jogo de probabilidade condicional. Bolema, Rio Claro (SP), v. 28, n. 50, p. 1095-1116, dez. 2014.

FINKEL, D. Dar clase de boca cerrada. Valência: Publicaciones de la Universitat València, 2008.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessário a pratica educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

JOHNSON-LAIRD, P. Mental models. Massachusters: Harvard University Press, 1983. LIBÂNEO, J. C. Didática. 5ª. ed. São Paulo: Cortez, 2013

MIRAS, M. O ponto de partida para a aprendizagem de novos conteúdos: os conhecimentos prévios. In: COLL, C. O construtivismo em sala de aula. São Paulo: Ática, 2006.

MOREIRA, M. A. A teoria da aprendizagem significativa e sua implementação em sala de aula. Brasília: Editora UnB, 2006.

MOREIRA, M. A. Mapas Conceituais e aprendizagem significativa. São Paulo: Centauro, 2010.

MOREIRA, M. A. Unidades de Enseñanza Potencialmente Significativas-UEPS. Aprendizagem Significativa em Revista. Porto Alegre,v.1,n.2,p.43-63, 2011.

MOREIRA, M. A.; MASINI, F. S. E. Aprendizagem significativa: condições para sua ocorrência e lacunas que levam a comprometimentos. São Paulo: Vetor, 2009.

NOVAK, J. D. Aprender, criar e utilizar o conhecimento. Trad. Ana Rabaça. Lisboa: Plátano, 2000.

NOVAK, J. D.; CAÑAS, A. J. A teoria subjacente aos mapas conceituais e como elaborá- los e usá-los. Práxis Educativa. Ponta Grossa, v.5, n.1, p. 9-29, jan-jun, 2010.

NOVAK, J. D.; GOWIN, B. D. Aprender a Aprender. Lisboa: Plátano Edições Técnicas, 1996.

ONTORIA, A., LUQUE, A.; GÓMEZ, J. P. R. Aprender com mapas mentais. São Paulo: Madras, 2004.

POZO, J. I. Aquisição do Conhecimento. Porto Alegre: Artmed, 2005.

VALENTE, J. A. O computador na sociedade do conhecimento. Campinas: UNICAMP, 1998.

VERGNAUD, G. La théorie des champs conceptuels. Récherches en Didactique des Mathématiques, v. 10, p.133-170, 1990.

Publicado
2015-10-04
Como Citar
BRUM, W. P.; SILVA, S. DE C. R. DA. Análise de uma unidade de ensino potencialmente significativa no Ensino de Matemática durante a apresentação do tema Números Reais. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 6, n. 3, p. 1-22, 4 out. 2015.
Seção
Artigos Gerais

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)