Contribuições de aulas contextualizadas para a formação crítico/reflexiva de alunos da Educação Básica

  • Fernanda Welter Adams Universidade Federal de Goiás
  • Scarlet Dandara Borges Alves Universidade Federal de Goiás
  • Dayane Graciele dos Santos Universidade Federal de Goiás
  • Simara Maria Tavares Nunes Universidade Federal de Goiás
Palavras-chave: Estágio supervisionado, Ensino e aprendizagem, CTS, Aulas contextualizadas

Resumo

Para promover a motivação dos alunos e a melhoria nos processos de ensino e aprendizagem, duas licenciandas do Curso de Licenciatura em Química da Universidade Federal de Goiás/Regional Catalão, durante a disciplina de Estágio de Licenciatura 2, desenvolveram um Projeto Temático que abordava o tema lixo, por ser uma discussão atual e de suma importância para a sociedade. Neste, as licenciandas desenvolveram aulas expositivo/dialogadas guiadas pelos princípios de Ensino CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade), em que buscaram relacionar a problemática aos seus aspectos sociais, científicos e tecnológicos, com vistas à formação para a cidadania. Também propuseram outras atividades como o uso de vídeos, experimentações, a construção de um painel lúdico e uma dinâmica com o objetivo de promover a construção de conhecimentos cognitivos e outros, fundamentais para a formação de cidadãos críticos. Com as atividades buscaram promover a construção de um conhecimento efetivo com os alunos da Educação Básica. Para avaliar o desenvolvimento do projeto foi desenvolvida uma pesquisa de caráter qualitativo/quantitativo, utilizando-se questionários como instrumento de coleta de dados. Após a análise dos resultados obtidos avalia-se que com o desenvolvimento do projeto as licenciandas conseguiram promover a motivação e a construção de conhecimentos para uma formação cidadã dos alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, A. M. Papel do trabalho experimental na Educação em Ciências. Revista Comunicar Ciência, Lisboa, Ano I, n. 1, p. 4-5, Outubro/ Dezembro, 1998.

AIKENHEAD, G. S. What is STS science teaching? In: SOLOMON, J., AIKENHEAD, G. STS education: international perspectives on reform. New York: Teachers College Press, 1994.

BAZZO, W. A., VON LINSINGEN, I., PEREIRA, L. T. V. Introdução aos estudos CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade). Madri: Organização dos Estados Ibero-americanos, 2003.

BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental.

Parâmetros Curriculares Nacionais: Química. MEC/SEF, 1999. CANIVEZ, P. Educar o cidadão? Campinas: Papirus, 1991.

CARRETERO, M. Construtivismo e Educação. Artes Médicas, Porto Alegre, 1997.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. Ijuí: Editora Unijuí, 2000.

CUNHA, M. B. Jogos de Química: Desenvolvendo habilidades e socializando o grupo. In: Encontro Nacional de Ensino de Química, 12, 2004. Resumos ENEQ – 028. Goiânia, 2004.

CUNHA, M. B. Jogos no Ensino de Química: Considerações Teóricas para sua Utilização em Sala de Aula. Química Nova na Escola, v. 34, n. 2, p. 92-98, maio 2012.

GIL, A. C. Metodologia do Ensino Superior. São Paulo: Atlas, 1994.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GIL-PEREZ, D. Diez años de investigación en didáctica de las ciencias: realizaciones y perspectivas. Enseñanza de Las Ciências, v. 12, n. 2, p. 154-164, 1994.

HOFSTEIN, A., AIKENHEAD, G., RIQUARTS, K. Discussions over STS at the fourth IOSTE symposium. International Journal of Science Education, v. 10, n. 4, p. 357-366, 1988.

LAVILLE, C., DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia de pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artmed, 1999.

LUDKE, M., ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

OLIVA MARTINEZ, J. M. Estudios sobre Consistencia en las ideas de los alumnos en ciencias. Enseñanza de Las Ciencias, v. 14, n. 1, p. 87-92, 1996.

RAMOS, E. M. F. Brinquedos e jogos no ensino de Física. São Paulo: Universidade de São Paulo, Dissertação de Mestrado,1990.

ROSITO, B. A. O ensino de Ciências e a experimentação. In: MORAES, R. Construtivismo e Ensino de Ciências Reflexões Epistemológicas e Metodológicas. 2ª ed., Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

SANTOS, W. L. P. Contextualização no ensino de ciências por meio de temas CTS em uma perspectiva crítica. Educação em Ciências, Tecnologia, Sociedade e Ambiente, v. 1, nº especial, 2007.

SILVA, P. B.; BEZERRA, V. S.; GREGO, A.; SOUZA, L. H. A. A Pedagogia de Projetos no Ensino de Química - O Caminho das Águas na Região Metropolitana do Recife: dos Mananciais ao Reaproveitamento dos Esgotos, Revista Química Nova na Escola, n. 29, Agosto de 2008.

SOARES, M. H. F. B. O lúdico em Química: jogos e atividades aplicados ao ensino de Química. Universidade Federal de São Carlos. Tese de doutorado, 2004.

SOUZA, N. M.; GOMES, M. T. F. M.; CUNHA, L. Q. S.; SANCHES, S. O ensino de química por meio de projetos temáticos: Resíduos sólidos como tema gerador de análise, debate e construção de conhecimento na Escola Estadual Jardim das Flores, Matupá/MT. Revista de Ciências Sociais do Norte de Mato Grosso, v. 4, n. 1, p. 1-9, 2015. Disponível em: http://faflor.com.br/revistas/nativa/index.php/revistanativa/article/viewFile/198/pdf. Acesso em 19 de agosto de 2016.

SOUZA, M. P.. MERÇON, F. A Química na Oitava Série do Ensino Fundamental. In: Simpósio Educação e Sociedade Contemporânea: Desafios e propostas, v. 2, Rio de Janeiro, 2003.

SPRINTHALL, N. A., SPRINTHALL, R. C. Psicologia Educacional. Mcgraw,Hill, 1993.

Publicado
2016-09-16
Como Citar
ADAMS, F. W.; ALVES, S. D. B.; SANTOS, D. G. DOS; NUNES, S. M. T. Contribuições de aulas contextualizadas para a formação crítico/reflexiva de alunos da Educação Básica. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 7, n. 3, p. 01-17, 16 set. 2016.
Seção
Artigos Gerais