Educação Sócioambiental desenvolvida sob o enfoque CTS entre alunos do curso técnico de nivel médio em Automação Industrial do IFSP

Palavras-chave: Ensino Profissionalizante, CTS, Educação Ambiental

Resumo

Este artigo enfoca elementos de Educação Ambiental (EA) desenvolvidos sob o enfoque CTS entre alunos do curso profissionalizante em Automação Industrial do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), campus Guarulhos. O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) do Instituto aponta para a necessidade de uma formação ampliada para o curso técnico de nível médio e, portanto, assume relevância: a) o desenvolvimento de elementos de educação ambiental tendo por base a temática das fontes de energia automotiva; b) facilitar o entendimento de que conteúdos específicos da Física ultrapassam os limites da escola; c) aprimorar os processos de ensino e de aprendizagem em Física realizados no IFSP tendo por base abordagens contextualizadas. As reflexões vygotskianas fundamentaram nossas ações pedagógicas, sempre atentas à importância do aspecto histórico-cultural de cada indivíduo para desenvolvimento de conceitos, enfatizando o quanto é desafiadora e motivadora a carreira docente nos dias atuais. Assim, visamos despertar a conscientização sobre impactos sócio-ambientais advindos da Ciência e Tecnologia (C&T), empregando uma pluralidade de ações pedagógicas como aulas expositivas, pesquisas, seminários, experimentação e debate, envolvendo 108 alunos na disciplina Máquinas Elétricas. Utilizamos a abordagem temática “Fontes de Energia Automotiva”, estimulando reflexões acerca dos impactos da C&T sobre o meio ambiente e a qualidade de vida dos indivíduos, salientando relações com os sistemas de produção e consumo, efeitos dos processos de produção de energia, bem como efeitos de nossas ações diárias na cidade onde moramos ou trabalhamos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACEVEDO DIAZ, José Antonio. et al. Actitudes y creencias CTS de los alumnos: su evaluación com el cuestionario de opiniones sobre ciência, tecnologia y sociedad. Revista Iberoamericana, n. 2, abr. 2002. Disponível em http://www.campus-oei.org/salactsi. Acesso em: 14 julho 2014.

ANGOTTI, José André Perez; BASTOS, Fábio da Purificação; MION, Rejane Aurora. Educação em Física: Discutindo Ciência, Tecnologia e Sociedade. Ciência e Educação. São Paulo, v. 7, n. 2, p. 183-197, 2001.

ARAÚJO, Mauro Sérgio Teixeira; MORAES, José Uibson Pereira. O Ensino de Física e o Enfoque CTSA: caminhos para uma educação cidadã. São Paulo: Livraria da Física, 2012.

AULER, Décio. Alfabetização Científica-Tecnológica: Um Novo “Paradigma”?. Revista Ensaio, v. 5 n. 1, p. 69-83, 2003. Disponível em http://www.portal.fae.ufmg.br/seer/index.php/ensaio/issue/view/8/showToc . Acesso em 16 ago 2014.

AULER, Décio; DELIZOICOV, Demétrio. Alfabetização Científico-Tecnológica para que? Revista Ensaio, UFSC, v. 3, n. 1, p. 1-13, 2001.

BRASIL. Política Nacional de Educação Ambiental. Presidência da República - Casa Civil, Brasília, 1999. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm. Acesso em: 02 set. 2014.

BRASIL. Plano de Desenvolvimento Institucional do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo. Ministério da Educação - Diário Oficial da União - Lei nº 11.892, Brasília, 2008. Disponível em: http://www.ifsp.edu.br/index.php/documentos-institucionais/pdi.html. Acesso em: 05 ago. 2014.

BRASIL. Projeto Político do Curso Técnico em Automação Industrial. Ministério da Educação - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, campus Guarulhos, 2008. Disponível em: http://www.ifsp.edu.br/index.php/13-guarulhos.html. Acesso em 05 ago. 2014.

CARVALHO, I. C. M. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. São Paulo: Cortez, 2008.

CASTANHO, Maria Eugênia L.M. Da discussão e do debate nasce a rebeldia. In VEIGA, Ilma Passos Alencastro (Org.). Técnicas de Ensino: Porque não? 19. ed., Campinas: Papirus, p. 89-101, 1991

CRUZ, Sônia Maria de Souza.; ZYLBERSZTAJN, Arden. O Enfoque “ciência, tecnologia e sociedade” – CTS. In PIETROCOLA, M.(Org.). Ensino de Física: conteúdo, metodologia e epistemologia em uma concepção integradora. Florianópolis: UFSC, p. 171-196, 2005.

DAGNINO, Renato. Enfoques sobre a relação Ciência, Tecnologia e Sociedade: Neutralidade e Determinismo. Organización de Estados Iberamericanos, 2007. Disponível em: http://www.oei.es/salactsi/rdagnino3.htm. Acesso em: 10 jul. 2014.

DEMO, Pedro. Educar pela Pesquisa. Campinas: Autores Associados, 2007. FREIRE, Paulo. Conscientização. São Paulo: Editora Moraes Ltda, 1980.

HINRICHS, Roger A.; KLEINBACH, Merlin. Energia e meio ambiente. Tradução de Flávio Maron Vich e Leonardo Freire de Mello. São Paulo: Cengage Learning, 2009.

LOPES, Antônia Osima. Aula Expositiva: Superando o Tradicional. In VEIGA, Ilma Passos Alencastro (Org.). Técnicas de Ensino: Porque não? 19. ed. Campinas-SP: Papirus, p. 35-48, 1991.

RUIZ, Lydia Savastano. et al. Aplicações de Diferentes Fontes de Energia. Baurú: Ciência e Educação, v. 1, n. 1, p. 78-98, 1995.

SANTOS, Maria Eduarda V. M. Que Cidadania? Tomo II. Lisboa: Santos-Edu, 2005.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. O Seminário como Técnica de Ensino Socializado. In VEIGA, Ilma Passos Alencastro (Org.). Técnicas de Ensino: Porque não? 19. ed., Campinas-SP: Papirus, p. 103-113, 1991.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. A construção do Pensamento e da Linguagem. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

Publicado
2015-03-01
Como Citar
FORMENTON, R.; ARAÚJO, M. Educação Sócioambiental desenvolvida sob o enfoque CTS entre alunos do curso técnico de nivel médio em Automação Industrial do IFSP. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 6, n. 1, p. 33-42, 1 mar. 2015.
Seção
Artigos Gerais