As estruturas multiplicativas no processo de ensino e aprendizagem no 5° ano do Ensino Fundamental

Autores

  • Cintia Aparecida Bento dos Santos Universidade Cruzeiro do Sul
  • Mariana Lemes de O. Zaran Universidade Cruzeiro do Sul
  • Edda Curi Universidade Cruzeiro do Sul https://orcid.org/0000-0001-6347-0251

DOI:

https://doi.org/10.26843/rencima.v5i2.1028

Palavras-chave:

Educação Matemática, Estruturas multiplicativas, Campos conceituais, Anos iniciais do Ensino Fundamental

Resumo

Este artigo apresenta a síntese de uma dissertação de mestrado em Ensino de Ciências e Matemática que se desenvolveu no âmbito do projeto Observatório da Educação e teve como objetivo inicial investigar os procedimentos revelados por alunos de 5º ano do Ensino Fundamental em relação à resolução de problemas de estruturas multiplicativas. A pesquisa foi desenvolvida adotando um método qualitativo com técnica de análise documental, em que para pesquisa de campo foram utilizados quatro instrumentos contendo problemas dos grupos pertencentes às estruturas multiplicativas segundo o quadro teórico dos campos conceituais. Os sujeitos de pesquisa são alunos de uma escola pública da cidade de São Paulo participantes do projeto. Os resultados colocaram em evidência um cenário delicado em relação às interpretações dadas pelos educandos diante de situações propostas, em que, em alguns grupos de problemas, eles demonstraram fragilidades quanto à apropriação do raciocínio multiplicativo ou dos algoritmos que permeiam as operações. As considerações apresentadas ao final dos estudos propiciam a reflexão sobre intervenções que podem contribuir com o processo de ensino e aprendizagem no campo multiplicativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FOSNOT, C.; DOLK, M. Young mathematicians at work: constructing multiplication and division. Portsmouth, NH: Heineman, 2001.

GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em ciências sociais. Rio de Janeiro: Record, 2007.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MENDES, M. F. C.; DELGADO, C. R. S. C. A. A aprendizagem da multiplicação e o desenvolvimento do sentido do número. In: BROCADO, J; SERRAZINA, L.: ROCHA, I. O sentido do número: reflexões que entrecruzam teoria e prática. Lisboa: Escolar Editora, 2008, pp. 159 - 182.

SAIZ, I. Dividir com dificuldade ou a dificuldade de dividir In: PARRA,C; SAIZ,I. (org). Didática da Matemática: Reflexões Psicopedagógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996, pp.156-185.

PHILLIPIS, B.S. Pesquisa social: estratégias e táticas. Rio de Janeiro, Livraria Agir Editora,1974.

TREFFERS, A.; BUYS, K. Grade 2 (and 3) – calculation up to 100. In: HEUVEL- PANHUIZEN, M. (Ed.). Children learn mathematics. Netherrlands: Freudenthal Institute (FI) Utrecht University & National Institute for Curriculum Development (SLO), 2001. p. 61- 88.

VERGNAUD, G. Multiplicative structures. In: LESH, R.; LANDAU, M. (Eds.) Acquisition of Mathematics Concepts and Processes. New York: Academic Press Inc. 1983. p. 127-174.

VERGNAUD, G. El Niño, las Matemáticas y la Realidad. México: Editorial Trillas, 1991.

VERGNAUD, G. Multiplicative conceptual field: what and why? In: GUERSHON, H.; CONFREY, J. (Eds.) The development of multiplicative reasoning in the learning of mathematics. Albany, N.Y.: State University of New York Press, 1994. p. 41-59.

ZARAN, M. L. O. Uma análise dos procedimentos de resolução de alunos de 5º ano do Ensino Fundamental em relação a problemas de Estruturas Multiplicativas. 2012. 159 f. Dissertação (Mestrado em Ciências e Matemática)–Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo, 2013.

Downloads

Publicado

2014-07-01

Como Citar

SANTOS, C. A. B. dos; ZARAN, M. L. de O.; CURI, E. As estruturas multiplicativas no processo de ensino e aprendizagem no 5° ano do Ensino Fundamental. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 91-108, 2014. DOI: 10.26843/rencima.v5i2.1028. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/1028. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos