Produção, validação e avaliação de um jogo didático sobre o tema Corpo Humano para o Ensino Médio Regular

Palavras-chave: Recurso Didático, Ensino-Aprendizagem, Ensino de Biologia

Resumo

Partindo do pressuposto que quando o discente tem prazer nas atividades realizadas, a aprendizagem torna-se mais atrativa e significativa, motivando-o na construção do conhecimento e sendo protagonista de sua trajetória acadêmica, e sabendo que diversos autores ressaltam a influência positiva do uso de jogos didáticos no processo ensino-aprendizagem,  o presente trabalho objetivou a produção, a validação e a avaliação de um jogo didático como ferramenta auxiliar na abordagem de conteúdos sobre o tema Corpo Humano. O jogo didático foi aplicado aos discentes do Ensino Médio do Colégio Estadual Rui Guimarães de Almeida, no município de Santo Antônio de Pádua-RJ. A validação do jogo foi feita por meio da aplicação de dois questionários (de sondagem do conhecimento e de verificação de aprendizagem). A avaliação da funcionalidade técnica do jogo foi realizada por meio da aplicação do questionário de usabilidade.  Os resultados obtidos indicam que o jogo didático “Viagem Pelo Corpo Humano” atingiu o seu objetivo didático-pedagógico, de forma que pode ser considerado apropriado como ferramenta que contribui no processo de aquisição do conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARROS, C.S.G. Psicologia e construtivismo. São Paulo: Ática, 1996.

BARROS, M.G.F.B. Utilização de um Jogo Didático como Ferramenta Facilitadora na Abordagem de Temas Relacionados à Educação Sexual. Dissertação mestrado – Universidade Federal Fluminense, Santo Antônio de Pádua-RJ, 88 f., 2019.

BATLLORI, J. Jogos para treinar o cérebro. Tradução de Fina Iñiguez. São Paulo: Madras, 2012.

BERNARDO, R.C.F.; PEREIRA, F.M.; PEREIRA, L.R.O.; DANTAS, A.M.S. A Importância dos Jogos Didáticos como Ferramenta Pedagógica nas Aulas de Biologia – III CONEDU – Congresso Nacional de Educação. p. 1-8, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: MEC, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum. Brasília: MEC, 2018.

BRITO, L.P.S.; MELLO, R.C.A.; ARAÚJO, M.L.F. O Uso de Jogos Lúdicos no Ensino de Ciências e Biologia como Estratégia Facilitadora no Processo de Aprendizagem: Um Estudo de Caso. In: XI Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão – UFRPE. p. 1-3, 2011.

CANTO, A.R.; ZACARIAS, M.A. Utilização do Jogo Super Trunfo Árvores Brasileiras como Instrumento Facilitador no Ensino de Biomas Brasileiros. Ciências & Cognição, v. 14, n. 1, p. 144-153. 2009.

CATANI, A.; SANTOS, F.S.; AGUILAR, J.B.V.; OLIVEIRA, M.M.A.; CAMPOS, S.H.A.; CHACON, Virgínia. Ser protagonista: biologia, 2º ano – 2ª. ed., São Paulo: Edições SM Ltda, 2013.

COSTA, R.C. O jogo didático “Desafio Ciências – Sistemas dos Corpo Humano” como ferramenta para o ensino de Ciências. Trabalho de Conclusão de Curso – Universidade Federal Fluminense. 40 f., 2017

COSTA, R.C.; GONZAGA, G.R.; MIRANDA, J.C. Desenvolvimento e validação do jogo didático “Desafio Ciências – Animais” para utilização em aulas de ciências no Ensino Fundamental Regular. Revista da SBEnBIO, v.9, p.9-20, 2016.

COSTA, R.C.; MIRANDA, J.C.; GONZAGA, G.R. Avaliação e Validação do Jogo Didático “Desafio Ciências-Sistemas do Corpo Humano” como Ferramenta para o Ensino de Ciências. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v.9, n.5, p. 56-75, 2018.

DATNER, Y. Jogos para educação Empresarial. Jogos, jogos dramáticos, roleplaying, jogos de empresa. 2ª. ed. São Paulo: Agora, 2006.

FILHO, F.L.F.; SCHRÖTER, B.A.F. O Uso de Jogos Didáticos no Processo de Ensino e Aprendizagem no Ensino Superior: Jogo da Inovação. In: VIII Congreso Internacional de Conocimiento e Innovación – Guadalajara. p. 01-12, 2018.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 29ª. ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GRANDO, R.C. O jogo na educação: aspectos didático-metodológicos do jogo na educação matemática. Unicamp, p. 1-9, 2001.

HUIZINGA, J. Homo Ludens. 4ª ed., São Paulo: Editora Perspectivas, 2000.

ISO – International Standard Organization. ISO 9241-11:2018 - Ergonomics of human-system interaction — Part 11: Usability: Definitions and concepts, 2018.

JANN, P.N.; LEITE, M.F. Jogo do DNA: um instrumento pedagógico para o ensino de ciências e biologia. Ciências & Cognição, v.15, p. 282-293, 2010.

KISHIMOTO, T.M. O Jogo e a educação infantil. São Paulo: Pioneira, 2005.

KISHIMOTO, T.M. (Org.) Jogo, Brinquedo, Brincadeira e a Educação. 14ª ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LIBÂNEO, J.C. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

LIKERT, R. A technique for the measurement of attitudes. Archives of Psychology. v. 22, n. 140, p. 44-53, 1932.

LIMA, A.J.A. O Lúdico em Clássicos da Filosofia: Uma Análise em Platão, Aristóteles e Rousseau. In: II Congresso Nacional de Educação, v. 1. p. 1-12, 2015.

LOPES, M.G. Jogos na educação: criar, fazer, jogar.7ª ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LOPES, S.; ROSSO S. Bio: volume 2. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

MACEDO, L. Os jogos e sua importância na escola. Caderno Pesquisa, São Paulo, n.93, p. 5-10, 1995.

MAGNANI, E.M. O brincar na pré-escola: um caso sério? Dissertação (Mestrado) Universidade Estadual de Campinas. 122 f., 1998.

MARTINS, I.C.P; BRAGA, P.E.T. Jogo didático como estratégia para o ensino de divisão celular. Essentia, v.16, n.2, p.1-21, 2015.

MASSARA, C.L.; SCHALL, V.T. A Pedagogical approach of Schistosomiasis – An experience in health education in Minas Gerais, Brazil. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, v. 99, sup l.1, p.113-119, 2004.

MASQUIO, V.; SANTOS, M.C.F. Atividades Práticas no Ensino de Ciências: Leituras e Propostas Pedagógicas Colaborativas. Rio de Janeiro: CApUERJ, 2018.

MEIRIEU, P. O cotidiano da escola e da sala de aula: o fazer e o compreender. Porto Alegre: Artmed, 2005.

MIRANDA, J.C.; GONZAGA, G.R.; COSTA, R.C. Produção e Avaliação do Jogo Didático “TAPA ZOO” como Ferramenta para o estudo de Zoologia por Alunos do Ensino Fundamental Regular. Holos, v.4, p.383-400, 2016.

MIRANDA, J.C.; SOUZA, D.G.; ARRUDA, K.M.; COSTA, R.C. Avaliação de um Jogo Didático para o Ensino de Botânica. In: IX Encontro Regional de Ensino de Biologia - RJ/ES. p. 199-213, 2019.

MUNIZ, M.I.P.A; CALDAS, L.C.A.; COELHO, L.A.L. Usabilidade Pedagógica e Design de Interação na Educação a Distância: Breve Revisão Conceitual. Boletim Técnico do Senac, v. 42, n. 3, p. 6-27, 2016.

OLIVEIRA, D.A.; GHEDIN, E.; SOUZA, J.M. O jogo de perguntas e respostas como recurso didático-pedagógico no desenvolvimento do raciocínio lógico enquanto processo de ensino aprendizagem de conteúdos de ciências do oitavo ano do ensino fundamental. In: IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, p. 1-8, 2013.

PANOSSO, M.G.; SOUZA, S.R.; HAYDU, V.B. Características atribuídas a jogos educativos: uma interpretação Analítico-Comportamental. Revista Quadrimestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, v.19, n.2, p. 233-241, 2015.

PIAGET, J. A formação do símbolo na criança. 2ª. ed. Rio de Janeiro: Jahar Editores, 1975.

PORTUGAL, C.C.; COUTO, R.M.S. Design em situações de ensino-aprendizagem. Revista Estudos em Design. v.18, n.1. p. 1-22, 2010.

RAU, M.C.T.D. A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica. 2ª ed. Curitiba: IBPEX, 2013.

ROCHA, M.L.; COSTA, F.J.; ANDRADE, M.S.; MARTINS, É.M. A utilização de jogos no ensino de genética: uma forma de favorecer os processos de ensino e aprendizagem. Revista Tecer, v. 9, n. 17. p. 106-116, 2016.

ROCHA, D.F.; RODRIGUES, M. Jogo didático como facilitador para o ensino de Biologia no ensino médio. Revista CIPPUS, v.6, n 2. p. 1-8, 2018.

SANT’ANNA, A.; NASCIMENTO, P.R. A história do lúdico na educação. Revista Eletrônica de Educação Matemática, v. 6, n. 2, p. 19-36, 2011.

SILVA, J.N.; VIEIRA, R.C.; PINHO, N.S.; MARTINS, M.M.M.C.; RIBEIRO, P.N.C. Professores de Biologia: O que Pensam Sobre sua Formação e Práticas de Ensino? In: XII Congresso Nacional de Educação. p. 20867-20878, 2015.

SILVA JÚNIOR, C.; SASSON, S; CALDINI JÚNIOR. N. Biologia – volume 2 – 2ª série –seres vivos: estrutura e função. 8ª. ed. São Paulo: Saraiva, 2005

SILVA, L.A.; MASSAROLLI, A., BUTNARI, A.R. Animal Combate: Um Novo Instrumento Pedagógico para o Ensino de Ciências e Biologia. Revista Educação em Perspectiva. v.8 n.3 p. 496-517, 2018.

SILVEIRA, S.R.; BARONE, D.A.C. Jogos educativos computadorizados utilizando a abordagem de algoritmos genéticos. In: Congresso da Rede Iberoamericana de Informática Educativa. p. 1-13, 1998.

SOUZA, D.G.; SANTOS, C.A.C.; MIRANDA, J.C. A atuação do PIBID na preparação de alunos para participação em olímpiadas escolares. In: III Encontro Regional de Ensino de Biologia. p. 1-8, 2015.

SOUZA-LOMBA, F.C.M.; ASSIS, T.R.; COSTA, F.G.; MARTINS, G.M.L.; FRASSON-COSTA, P.C. Avaliação da aprendizagem por meio do jogo didático “Jogando Limpo”, nas aulas de Ciências. In: II Congresso Internacional de Educação. p. 1-14, 2010.

TAROUCO, L.M.R.; ROLAND, L.C.; FABRE, M.C.J.M.; KONRATH, M.L.P. Jogos educacionais. Revista Novas Tecnologias na Educação. v.2 n. 1. p. 1-7, 2004.

ZANON, D.A.V.; GUERREIRO, M.A.S.; OLIVEIRA, R.C. O jogo Ludo Química para o ensino de nomenclatura dos compostos orgânicos: projetos, produção e avaliação. Ciências & Cognição; v.13, n. 1, p 72-78, 2008.

Publicado
2021-02-10
Como Citar
COSTA, R.; MIRANDA, J. Produção, validação e avaliação de um jogo didático sobre o tema Corpo Humano para o Ensino Médio Regular. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 1, p. 1-23, 10 fev. 2021.
Seção
Artigos Gerais