O contexto digital e os estilos de aprendizagem em Cálculo Diferencial e Integral

Palavras-chave: Contexto Digital, Estilos de Aprendizagem, Cálculo Diferencial e Integral, Educação Matemática no Ensino Superior.

Resumo

A pesquisa delineada neste artigo buscou compreender como as tecnologias, inseridas em um contexto digital, podem auxiliar no desenvolvimento de estilos de aprendizagem de alunos em Cálculo Diferencial e Integral I. Os dados analisados foram obtidos por meio de entrevistas clínicas, questionários e observação de aulas de Cálculo Diferencial e Integral I em uma universidade federal do interior de Minas Gerais. Como resultados, destaca-se que, ao desenvolver cada um seu próprio estilo de aprendizagem, os estudantes recebem estímulos / interações com as tecnologias disponibilizadas no contexto digital com finalidades pessoais, também com as tecnologias inseridas no contexto acadêmico, propostas pela instituição de ensino, pelos professores ou pelos monitores e, ainda, com as tecnologias mobilizadas no contexto da aprendizagem que ocorrem fora da sala de aula, por iniciativa dos estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini; VALENTE, José Armando. Tecnologias e Currículo: trajetórias convergentes ou divergentes? São Paulo: Paulus, 2011.

AULETE, Caldas. Dicionário Online. Disponível em: http://www.aulete.com.br/estratégia. Acesso em: 03 out. 2020.

BORBA, Marcelo de Carvalho; VILLAREAL, Mónica Ester. Humans-with-Media and the reorganization of mathematical thinking. New York/USA: Springer, 2005.

BICALHO, Daniela Cotta. O Contexto Digital como ambiente de aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral. 2019. 170f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) — Instituto de Ciências Exatas e Biológicas. Universidade Federal de Ouro Preto. Ouro Preto.

BROWN, Ann Lesley. Knowing when, where, and how to remember: a problem of metacognition. In: GLASER, Robert (Org.). Advances in instructional psychology. v 1. Hillsdale/USA: Erlbaum, 1978, p. 77-165.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

FOLLADOR, Dolores. Tópicos especiais no ensino de Matemática: tecnologias e tratamento da informação. Curitiba: Ibpex, 2011.

FROTA, Maria Clara. O Pensar Matemático no Ensino Superior: Concepções e Estratégias de Aprendizagem dos Alunos. 2002. 287p. Tese (Doutorado em Educação) — Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte.

JENKINS, Henry. A cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2015.

JACOBS, Janis; PARIS, Scott. Children´s metacognition about reading: Issues in definition, measurement and instruction. Educational Psychologist, v. 22, n. 3/4, p. 255-278, 1987.

KAWASAKI, Teresinha Fumi. Tecnologias na sala de aula de matemática: resistência e mudanças na formação continuada de professores. 2008. 199f. Tese (Doutorado em Educação) — Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte.

MALTEMPI, Marcus Vinícius. Novas Tecnologias e Construção do Conhecimento: reflexões e perspectivas. In: Congresso Ibero-americano de Educação Matemática, V, Porto, 2005. Anais... Porto/PT: APM, 2005, p. 1-10.

MAYER, Richard. Study habits and strategies. In: ANDERSON, Lorin (Ed.). International encyclopedia of teaching and teacher education. Oxford: Elsevier, 1995, p. 434-436.

PINTO, Márcia Maria Fusaro. Student’s understanding of real analysis. 1998. 330f. Tese (PhD in Education) — Institute of Education. Universiy of Warwick. Warwick/UK.

PORTO, Klaiton Santana; SANTANA, Luana Silva; SOARES NETO, Almir Oliveira; BORGHI, Idalina Souza Mascarenhas. Aprendizagem da Matemática em aulas de streaming: uma análise à luz das Teorias da Transposição Didática e da Transposição Informática. REnCiMa, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 27-47, jan./mar. 2020.

REIS, Frederico da Silva; COMETTI, Márcio Antônio; SANTOS, Edson Crisostomo dos. Contribuições do GeoGebra 3D para a aprendizagem de Integrais Múltiplas no Cálculo de Várias Variáveis. REnCiMa, São Paulo, v. 10, n. 2, p. 15-29, 2019.

REIS, Frederico da Silva; ESTEVES, Fausto Rogério. Contribuições das Tecnologias da Informação e Comunicação à formação de professores de Matemática na modalidade a distância. Revemop, Ouro Preto, v. 2, e202020, p. 1-21, 2020.

RIBEIRO, Célia. Metacognição: Um apoio ao processo de aprendizagem. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 16, n. 1, p.109-116, 2003.

TALL, David. Advanced Mathematical Thinking. In: TALL, David (Ed.). Advanced Mathematical Thinking. Netherlands/NL: Kluwer, 1991, p. 3-21.

VIEIRA, Aldo Freitas. Ensino de Cálculo Diferencial e Integral: das técnicas ao Humans-with-Media. 2013. 204f. Tese (Doutorado em Educação) — Faculdade de Educação. Universidade de São Paulo. São Paulo.

WEINERT, Franz Emanuel. Metacognition and motivation as determinants of effective learning and understanding. In: WEINERT, Franz Emanuel; KLUE, Rainer (Orgs.). Metacognition, motivation and understanding. Hillsdale/USA: Erlbaum, 1987, p. 1-16.

Publicado
2021-01-08
Como Citar
BICALHO, D.; REIS, F. O contexto digital e os estilos de aprendizagem em Cálculo Diferencial e Integral. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 1, p. 1-26, 8 jan. 2021.
Seção
Artigos Gerais