Poliedros orgânicos: um jogo didático para o ensino de nomenclatura dos compostos orgânicos

Palavras-chave: Ensino de Química, Jogo didático, Nomenclatura de compostos orgânicos

Resumo

Neste trabalho é relatada a produção, aplicação e avaliação da proposta do jogo “Poliedros Orgânicos”, para o ensino de nomenclatura dos compostos orgânicos em disciplinas com o conteúdo de química orgânica no Ensino Superior. Utilizou-se da metodologia da pesquisa-ação ou investigação-ação, que permite investigar a própria prática empregada no processo de ensino-aprendizagem, ou seja, é ao mesmo tempo, o objeto da análise crítica, da reflexão do ensino empregado, e o identificador da aprendizagem gerada. O jogo contribuiu com a revisão do conteúdo teórico, enquanto desafiava e motivava os estudantes a buscarem mais conhecimentos sobre um conteúdo considerado chato e mnemônico, possibilitando a superação das dificuldades com relação à alfabetização científica, e à linguagem de sinais, utilizada na nomeação e identificação das moléculas orgânicas. Os aspectos lúdicos e educativos presentes, neste jogo, foram validados, sendo este um recurso didático divertido e estimulante, capaz de impactar positivamente os estudantes, tanto na edificação do conhecimento, quanto no desenvolvimento pessoal e socioemocional, reiterando que a atividade lúdica é um importante aliado no processo de ensino e aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília: MEC; 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/#medio. Acesso em: 04 Ago. 2020.

CARNEIRO, C. Seja Foda!: feliz, otimista, determinado, abundante. 1ª edição. São Paulo: Buzz Editora, 2017. E-book. 91 p. ISBN: 978-85-93156-44-1

CAGE LM. Oficina Poliedros de Platão. 23 Jul. 2016. Ilustração. Disponível em: https://cagelm.wixsite.com/ifrj/single-post/2016/07/23/Oficina-Poliedros-de-Plat%C3%A3o. Acesso em: 17 Jun. 2019.

CUNHA, M. B. Jogos no Ensino de Química: Considerações Teóricas para sua Utilização em Sala de Aula. Química Nova na Escola, Vol. 34, n. 2, p. 92-98, Mai. 2012.

DORNELLES, M.; CRISPIM, S. F. Inteligência emocional de professores universitários: um estudo comparativo entre ensino público e privado no Brasil. Revista Internacional de Educação Superior. Vol. 7, p. 1-16, Jun. 2020.

GOLEMAN, D. Inteligência Emocional. Tradução: Marcos Santarrita. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011, E-book. 407 p. ISBN 978-85-390-0191-0. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4133507/mod_resource/content/2/Inteligencia-emocional-Daniel-Goleman.pdf. Acesso em: 10 Ago. 2019.

IONASHIRO, J. R. M.; MESQUITA, N. A. S. A utilização do jogo separamix e o desenvolvimento da autonomia argumentativa. Revista Debates em Ensino de Química, Vol. 5, n. 2, p. 71-86, Nov. 2019.

LILEY, Kate. I love mathematics {platonic solids garland}. 06 de Janeiro de 2012. Ilustração. Disponível em: <http://www.minieco.co.uk/i-mathematics-platonic-solids-garland/>. Acesso em: 5 jul. 2019.

LOURENÇO, A. A.; DE PAIVA, M. O. A. A motivação escolar e o processo de aprendizagem. Ciências & Cognição, Vol. 15, n. 2, p. 132-141, Ago. 2010.

MACIEL, M. D. Alfabetização científica e tecnológica sob o enfoque da ciência, tecnologia e sociedade (CTS): implicações para o currículo, o ensino e a formação de professores. Revista De Ensino De Ciências e Matemática, Vol. 3, n. 3, p. 152-160, 2012.

MENESES, F. M. G.; NUÑEZ, I. B. Erros e dificuldades de aprendizagem de estudantes do ensino médio na interpretação da reação química como um sistema complexo. Ciencia & Educação, Vol. 24, n. 1, p. 175-190, Set. 2018.

MORTIMER, E. F.; MOL, G.; DUARTE, L. P. Regra do octeto e teoria da ligação química no ensino médio: dogma ou ciência?. Química Nova, Vol. 17, n. 2, p. 243-252, Fev. 1994.

PALHETA JUNIOR, A. R.; BARROS, D. J.; SILVA, A.; SILVA, L. Jogo didático como instrumento mediador no ensino de nomenclatura de hidrocarbonetos. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, Vol. 9, n. 5, p. 114-132, Dez. 2018.

PEDONE, N. M. D. Poliedros de Platão. Revista do Professor de Matemática, n. 15, p. 42-45, 1989.

PICHETH, S. F.; CASSANDRE, M. P.; THIOLLENT, M. J. M. Analisando a pesquisa-ação à luz dos princípios intervencionistas: um olhar comparativo. Educação, Vol. 39, n. 4, s3-s13, Dez. 2016.

RAMOS, F.; DANHONI NEVES, M.; FONTES, A.; BATISTA, M. Alfabetização científica e as visões deformadas no ensino de ciências: algumas reflexões sobre os discursos de professores de física. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, Vol. 11, n. 3, p. 1-15, Mai. 2020.

ROBAINA, J. V. L. Química através do lúdico: brincando e aprendendo. 1ª edição. Canoas: ULBRA, 2008, 480 p.

ROSA, M. I. F. P. S.; QUINTINO, T. C. A.; ROSA, D. S. Possibilidades de investigação-ação em um programa de formação continuada de professores de Química. Química Nova na Escola, n. 14, p. 36-39, Nov. 2001.

SILVA, A. C. R.; LACERDA, P. L.; CLEOPHAS, M. G. Jogar e compreender a Química: ressignificando um jogo tradicional em didático. Amazônia: Revista de Educação em Ciências e Matemática, Vol. 13, n. 28, p.132-150, Jul. – Dez.o 2017.

SILVA, C. K. O.; SOUZA, H. Y. S. Dados Orgânicos: um jogo didático no ensino de quimica. Holos, Vol. 3, n. 28, p. 107-121, Jun. 2012.

SIMÕES NETO, J. E.; SILVA, R. B.; ALVES, C. T. S.; SILVA, J. C. S. Elaboração e validação de jogos didáticos propostos por estudantes do Ensino Médio. Revista Debates em Ensino de Química, Vol. 2, n. 2 (esp), p. 47-54, Set. 2016.

SOARES, M. H. F. B. Jogos e Atividades Lúdicas para o Ensino de Química. 2a. Edição. Goiânia: Kelps, 2015, 198 p.

SOARES, M. H. F. B. Jogos e atividades lúdicas no ensino de química: uma discussão teórica necessária para novos avanços. Revista Debates em Ensino de Química, Vol. 2, n. 2, p. 5-13, Out. 2016.

ZEFERINO, A. M. B.; DOMINGUES, R. C. L.; AMARAL, E. Feedback como estratégia de aprendizado no ensino médio. Revista Brasileira de Educação Médica, Vol. 31, n. 2, p. 176-179, Mar. 2007.

Publicado
2021-01-08
Como Citar
HARAGUCHI, S.; SILVA, A. Poliedros orgânicos: um jogo didático para o ensino de nomenclatura dos compostos orgânicos. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 1, p. 1-26, 8 jan. 2021.
Seção
Artigos Gerais