Professora experiente em atividade investigativa sobre a docência no estágio da licenciatura em física

Palavras-chave: Estágio supervisionado, Formação de Professor, Teoria da Atividade, Ensino de Física

Resumo

Neste trabalho analisamos o caso de uma professora experiente, bacharel em Física, que está cursando a Licenciatura em Física em uma universidade pública brasileira. Focalizamos o seu estágio supervisionado, desenvolvido no âmbito de uma disciplina de Metodologia do Ensino de Física, buscando entender: que fatores contextuais impulsionaram a mudança de sentidos atribuídos pela estagiária-professora ao estágio supervisionado, de modo a realizar com empenho a atividade do estágio curricular supervisionado? Para isso, com base na Teoria Histórico-Cultural da Atividade, analisamos os dados que emergiram do portfólio de estágio entregue pela estagiária-professora e de uma entrevista semi-estruturada, realizada com ela após o término do estágio. Os resultados indicam que inicialmente a estagiária-professora estava pouco mobilizada no estágio. Com o tempo, os seus sentidos em relação ao estágio se alteraram, levando a um forte engajamento no estágio e na disciplina. Alguns fatores foram importantes para essa mudança: a valorização pelos colegas e pela docente da disciplina da sua experiência como professora, o desenvolvimento de um projeto investigativo em docência e a criação de um ambiente de trocas coletivas propiciado pela disciplina da universidade. Esses resultados apontam para as potencializadas da pesquisa em docência para a formação inicial e continuada de professores.  

Referências

ASBAHR, F. S. F. A pesquisa sobre a atividade pedagógica: contribuições da teoria da atividade. Revista Brasileira de Educação, nº 2 9, maio/jun./jul./ago de 2005.

AZEVEDO, M. N; ABIB, M. V. S; TESTONI, L. A. Atividades investigativas de ensino: mediação entre ensino, aprendizagem e formação docente em Ciências. Ciência & Educação, v. 24, n. 2, p. 319-335, 2018.

AZEVEDO, M. N. Mediação discursiva em aulas de ciências, motivos e sentidos no desenvolvimento profissional docente. 2013. Tese de Doutorado – Universidade de São Paulo, Faculdade de Educação, São Paulo, 2013.

BRASIL. Parecer CNE/CP Nº 2/2015: Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial e Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica. Brasília/DF: Conselho Nacional de Educação (CNE/MEC), 2015.

BRASIL. Censo da Educação Básica 2019: notas e estatísticas. Brasília/DF: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP/MEC), 2019.

MARX, K. O Capital, Volume I. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

LEONTIEV, A. N. Actividad, conciencia e personalidad. Havana: Editoral Pueblo y Educación, 1981.

LEONTIEV, A. N. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: VIGOTSKI, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. (Org.). Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 11. ed. São Paulo: Ícone, 2010.

LEONTIEV, A. N. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte LDA, 1978.

PIMENTA; S. G.; Lima, M. S. L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez Editora, p. 310, 2017.

RABELO, L. O.; ABIB, M. L. V. dos S. Projeto de Investigação à Docência no estágio supervisionado da Licenciatura em Física. In: XVII Encontro de Pesquisa em Ensino de Física, 2018, Anais... Campos do Jordão/SP, 2018.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2010.

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo, Martins Fontes, 2009

Publicado
2020-08-08
Como Citar
RABELO, L. DE O.; AZEVEDO, M. N. DE; ABIB, M. L. V. DOS S. Professora experiente em atividade investigativa sobre a docência no estágio da licenciatura em física. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 5, p. 243-260, 8 ago. 2020.