O CRAS como espaço não formal no ensino de Química: reflexões de desafios na formação docente

Palavras-chave: Espaços não formais, Ensino e aprendizagem em química, Formação de professores

Resumo

O objetivo deste relato de experiência é refletir sobre alguns dos principais desafios presentes ao planejar e executar atividades pedagógicas em Química na prática docente em formação inicial, tendo como foco os espaços não formais de educação. A intervenção aconteceu em um Cento de Referência e Assistência Social (CRAS) no município de Barcarena-PA, envolvendo adolescentes, em uma sequência didática que tinha como tema central o refrigerante. Trata-se de uma abordagem qualitativa que envolveu análise textual discursiva para interpretação do material empírico e dos fatos vivenciados no diário de bordo. Como resultado, evidenciou-se alguns desafios na primeira incursão docente de acadêmicos ao vivenciar as práticas em espaços não formais, sendo os desafios categorizados em estruturais e pedagógicos, apontando ainda alternativas para sua superação. Todavia, considera-se viável desenvolver atividades de ensino em espaço não formal, pois várias são as maneiras de se organizar atividades atrativas com estratégias que privilegiam momentos interativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Breno Dias Rodrigues, Universidade do Estado do Pará
Graduando do Curso Licenciatura Plena em Ciências Naturais com habilitação em Química. Monitor do laboratório de química da UEPA Barcarena-Pa.

Referências

AMARAL, A. M., MENDES, A. N. F, & PORTO, P. S. S. Jogo roletrando como metodologia alternativa no ensino de química. Experiências em Ensino de Ciências, v. 13, n. 1, p. 225-240, 2018.

BACK, D., RADETZKE F. S., GÜNZEL, R. E., WENZEL, J. S. Educação em Espaços não Formais no Ensino de Ciências. In: XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – ENPEC, 2017, Anais eletrônicos...Universidade de Santa Catarina – UFSC. Florianópolis, SC. 2017. Disponível em: www.abrapecnet.org.br/enpec/xi-enpec/anais/resumos/R1066-1.pdf. Acesso em 30 de abr. 2019.

BRAIT, L. F. R.; MACEDO, K. M. F.; SILVA, F. B.; SILVA, M. R.; SOUZA, A. L. A relação professor/aluno no processo de ensino e aprendizagem. Intinerarius Reflectiones Revista eletrônica do curso de pedagogia do campus de Jataí-UFG, v. 8, n. 1, p. 1-15, 2010. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/rir/article/download/40868/20863/. Acesso em: 05 d set. 2020.

BRASIL. Centro de referência e Assistência Social-CRAS. Brasília: Ministério da Cidadania, 2015. Disponível em: http://mds.gov.br/assuntos/assistencia-social/unidades-de-atendimento/cras. Acesso em: 22 nov. 2019.

CARVALHO, C. V. M.; SOARES, J. M. C.; CAETANO, R. B. G.; SILVA, L. A. S. Ludicidade como mediação pedagógica: desenvolvimento de um projeto voltado ao ensino de química. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 5, p. 191-205, 2019.

CATARINO, G. F. C., QUEIROZ, G. R. P. C., BARBOSA-LIMA, M. C. A. O formal, o não formal e as outras formas: a aula de física como gênero discursivo. Revista Brasileira de Educação. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v22n69/1413-2478-rbedu-22-69-0499.pdf. Acesso em: 10 abr. 2019.

GARCIA, E. M. S. S., PEREIRA, K. S., FIALHO, N. N. Metodologias alternativas para o ensino de química: um relato de experiência. In: XIII Congresso Nacional de educação, 2017, Curitiba, PR. Anais eletrônicos...Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR, 2017. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/25830_13536.pdf. Acesso em: 10 abr. 2019.

GOHN, M. G. Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: Aval. Pol. Públ. Educ., 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.phpscript=sci_arttext&pid=S010440362006000100003&Ing=en&nrm=iso. Acesso em: 10 abr. 2019.

HENCKES, S. B. R. Alfabetização científica em espaços não formais de ensino e de aprendizagem. 2018. 95 f. Dissertação (Mestrado em Ensino) - Universidade do Vale do Taquari – UNIVATES, Lajeado, 2019. Disponível em: https://hdl.handle.net/10737/2487.

JACOBUCCI, D. F. C. Contribuições dos espaços não formais de educação para a formação da cultura científica. Revista em Extensão, v. 7, n. 1, p. 55-66, 2008.

LIMA, A. C. S.; AFONSO, J. C. A química do refrigerante. Química Nova na Escola, v. 31, n. 3, p. 210-215, 2009.

MATOS, S. C. Espaços não formais de educação: um estudo de caso na reserva ecológica de Sapiranga, Bahia. Experiências em Ensino de Ciências, v.13, n. 4, p. 357-366, 2018.

MEDEIROS, E. A., Amorim G. C. C. Análise textual discursiva: dispositivo analítico de dados qualitativos para a pesquisa em educação. Laplage em Revista, v. 3, n.3, p.247-260, 2017.

MÓL, G. S. Pesquisa qualitativa em ensino de química. Revista Pesquisa Qualitativa. 2017. Disponível em: http://editora.sepq.org.br/index.php/rpq/artcle/view/140/96. Acesso em: 01 abr. 2019.

MORAIS, C. S.; FERREIRA, H. S. A educação não-formal para a promoção da cultura científica e tecnológica no ensino da Química e das Ciências. Revista Debates em Ensino de Química, v. 2, n. 2., p. 45-55, 2016.

MORAES, R., GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Ciência & Educação. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v12n1/08.pdf. Acesso em: 01 abr. 2019.

NASCIBEM, F. B.; VIVEIRO, A. Para além do conhecimento científico: a importância dos saberes populares para o ensino de ciências. Interações. 2015. Disponível em: http://revistas.rcaap.pt/interaccoes/article/viewFile/8738/6297. Acesso em: 04 abr. 2019.

NICOLA, J. A.; PANIZ, C. M. A importância da utilização de diferentes recursos didáticos no ensino de ciências e biologia. Infor, Inov. Form., Rev. (NEaD-Unesp), v. 2, n. 1, p. 355-381, 2016.

PALHETA JUNIOR, A. R.; BARROS, D. J. P.; SILVA, A. S.; SILVA, L. P. Jogo didático como instrumento mediador no ensino de nomenclatura de hidrocarbonetos. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n.5, p. 114-132, 2018.

PARRAT-DAYAN, S. A discussão como ferramenta para o processo de socialização e para a construção do pensamento. Educ. Rev., n. 45, p. 13-23, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982007000100002&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 05 set. 2020.

QUEIROZ, R. M.; TEIXEIRA, H. B.; VELOSO, A. S.; TERÁN, A. F.; QUEIROZ, A. G. Caracterização dos espaços não formais de educação científica para o ensino de ciências. Revista Amazônica de Ensino de Ciências, v. 4, n. 7, p. 12-23, 2011.

SANTOS, C. F. Uma abordagem sobre pesquisa qualitativa. Revista Facthus de Administração e Gestão, v. 1, n. 2, p. 116-125, 2017. Disponível em: https://publicações.facthus.edu.br/index.php/administracao/article/view/139/122. Acesso em: 22 nov. 2019.

SANTOS, W. L. P. Contextualização no ensino de ciências por meio de temas CTS em uma perspectiva crítica. Ciência & Ensino, v. 1, número especial, p. 5, nov., 2007.

SEMENSATE, A. P.; VOLPATO, V. C.; MOCHIZUKI, A. P. J.; SILVA, M. S.; SILVEIRA, M. P. Oficina temática do refrigerante: problematizando os conceitos de ácidos e a visão sobre a química. ACTIO. Docência em Ciências, v. 2, n. 3, p. 229-248, 2017.

SHAW, G. S. L., ROCHA, J. B. T. Tentativa de construção de uma prática docente interdisciplinar em ciências. Experiências em Ensino de Ciências, v. 12, n. 1, p. 95-133, 2017.

SILVA, A. F. S.; BASTOS, A. S.; SILVA, F. O. Experiências educativas no Centro Juvenil de Ciência e Cultura: um espaço não formal de aprendizagem. Revista Educação e Emancipação, v. 10, n. 2, p. 165-184, 2017.

SILVA, L. T., SILVA, R. M. A., SILVA, J. N. Da formação à sala de aula: as dificuldades do professor iniciante, expectativas e conflitos. In: XI Congresso Nacional de Educação, 2013, Curitiba, PR, 2013. Anais eletrônico...Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR, 2013. Disponível em: http://educere.bruc.com.br/ANAIS2013/pdf/9688_5531.pdf. Acesso em: 10 abr. 2019.

SILVA, V. F.; BASTOS. Formação de professores de ciências: reflexões sobre a formação continuada. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v. 5, n. 2, p. 150-188, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/view/37718/28892. Acesso em: 05 set. 2020.

SOUSA, J. A., FERREIRA, L.G. Educação em espaços não escolares: o centro de referência em assistência social (CRAS) como campo de desenvolvimento educacional ou pedagógico. Rev. Fac. Educ. (UEMT), v. 21, n. 1, p. 137-153, 2014.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ. Coordenação do Curso de Ciências Naturais, Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE). Manual de Estágio Supervisionado. 21 p. Belém-PA, 2008.

Publicado
2020-11-20
Como Citar
RODRIGUES, B.; SOUZA, A.; TREVISAN, I. O CRAS como espaço não formal no ensino de Química: reflexões de desafios na formação docente. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 7, p. 255-275, 20 nov. 2020.