Modalidades e recursos didáticos empregados durante o estágio curricular supervisionado obrigatório em um curso de licenciatura em Ciências Biológicas

Palavras-chave: Ensino de Ciências, Oficinas didáticas, Tecnologias de Informação e Comunicação, Ensino-aprendizagem

Resumo

Considerando a importância da diversificação de modalidades e recursos didáticos, procedeu-se à análise de como os mesmos foram utilizados para as oficinas didáticas realizadas por alunos-estagiários do curso de licenciatura em Ciências Biológicas da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul/Unidade Universitária de Mundo Novo, junto a escolas públicas. Foram consultados os relatórios do Estágio Curricular Supervisionado em Ciências e Estágio Curricular Supervisionado em Biologia produzidos durante os anos de 2013 a 2015. Os recursos didáticos foram agrupados em quatro modalidades: “demonstração”, “aula prática”, “instrução individualizada” e “simulação”. No Estágio Curricular Supervisionado em Ciências o recurso que predominou foram os slides, enquanto no Estágio Curricular Supervisionado em Biologia foram os cartazes. De uma forma geral, a percepção dos alunos-estagiários foi de que o emprego de recursos didáticos estimulou o envolvimento dos alunos, aumentando o interesse em relação aos temas tratados, o que pode ter contribuído para uma aprendizagem mais significativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, G. M. et al. Análise da utilização de estratégias didáticas no ensino de Ciências em escolas de municípios de Pernambuco. Revista Ciência em Extensão, [São Paulo], v. 13, n. 2, p. 163-172, 2017. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2019.

BASSOLI, F. Atividades práticas e o ensino-aprendizagem de ciência(s): mitos, tendências e distorções. Revista Ciência & Educação, Bauru, v. 20, n. 3, p. 579-593, 2014. Disponível em: <https://www.redalyc.org/html/2510/251031804005/>. Acesso em: 11 abr. 2019.

BOTAS, D.; MOREIRA, D. A utilização dos materiais didáticos nas aulas de Matemática – um estudo no 1º ciclo. Revista portuguesa de educação, Braga, v. 26, n. 1, p. 253-286, 2013. Disponível em: <http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=s0871-91872013000100010>. Acesso em: 11 abr. 2019.

BRASIL. Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, DF: Conselho Nacional de Educação, 2015. Disponível em: <http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=02/07/2015&jornal=1& pagina=8&totalArquivos=72>. Acesso em: 19 abr. 2019.

CARNIATTO, I.; HOEPERS, F. L. L.; HOEPERS, L. M. L. Adaptação e aplicação de métodos didáticos para EJA. no ensino de educação ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, [Rio Grande], v. esp., p. 214-232, maio 2014. Disponível em: <https://periodicos.furg.br/remea/article/view/4447>. Acesso em: 11 abr. 2019.

CARVALHO, A. M. P. Prática de Ensino: Estágios de minicursos. São Paulo: Pioneira Editora, 1987.

CATELAN, S. S.; RINALDI, C. A atividade experimental no ensino de ciências naturais: contribuições e contrapontos. Experiências em Ensino de Ciências, [Cuiabá], v. 13, n. 1, p. 306-320, abr. 2018. Disponível em: <http://if.ufmt.br/eenci/artigos/Artigo_ID474/v13_n1_a2018.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2019.

CAVALCANTI, J. A. et al. Agrotóxicos: uma temática para o ensino de Química. Química nova na escola, [s.l.], v. 32, n. 1, p. 31-36, 2010. Disponível em: <http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc32_1/07-RSA-0309.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2019.

CLEOPHAS, M. G. et al. Jogo de realidade alternativa (arg) como estratégia avaliativa no ensino de Química. Investigações em Ensino de Ciências, [s.l.], v. 25, n. 2, p. 198-220, 2020.

COSTA, M. C.; DOMINGOS, A. M.; TEODORO, V. D. Promover o ensino experimental das ciências recorrendo ao questionamento investigativo. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [s.l.], v. 9, n. 5, p. 220-240, 2018.

COSTA, R. C.; MIRANDA, J. C.; GONZAGA, G. R. Avaliação e validação do jogo didático “desafio Ciências-sistemas do corpo humano” como ferramenta para o ensino de Ciências. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [s.l.], v. 9, n. 5, p. 56-75, 2018.

FORNAZARI, V. B. R.; OBARA, A. T. O uso de oficinas pedagógicas como estratégia de ensino e aprendizagem: a bacia hidrográfica como tema de estudo. Investigações em Ensino de Ciências, [s.l.], v. 22, n. 2, p. 166-185, 2017 Disponível em: <https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/326/pdf>. Acesso em: 11 abr. 2019.

GIANOTTO, D. E. P.; PEDRANCINI, V. D. Oficinas e projetos didáticos no ensino de Ciências e Biologia. In: GIANOTTO, D. E. P. (Org.). Formação docente e instrumentalização para o ensino de Ciências. Maringá: Eduem, 2012. p. 109-128. (Formação de professores em Ciências Biológicas – EAD, n. 20).

GONÇALVES, F. P.; BIAGINI, B.; GUAITA, R. I. As transformações e as permanências de conhecimentos sobre atividades experimentais em um contexto de formação inicial de professores de Química. Investigações em Ensino de Ciências, [s.l.], v. 24, n. 3, p. 101-120, 2019.

JANN, P. N.; LEITE, M. F. Jogo do DNA: um instrumento pedagógico para o ensino de Ciências e Biologia. Ciências e Cognição, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 282-293, 2010. Disponível em: <http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/192/177>. Acesso em: 11 abr. 2019.

KARAS, M. B.; HERMEL, E. E. S.; GULLICH, R. I. C. Modalidades didáticas: o ensino de virologia na educação básica. Revista de Ensino de Biologia da SBEnBio, [s.l.], v. 11, n. 1, p. 73-87, 2018. Disponível em: <http://sbenbio.journals.com.br/index.php/sbenbio/article/view/69/21>. Acesso em: 11 abr. 2019.

KRASILCHIK, M. Prática de Ensino de Biologia. 4. ed. São Paulo: EDUSP, 2008.

LARA, P. et al. Desenvolvimento e aplicação de um jogo sobre interações ecológicas no ensino de biologia. Experiências em Ensino de Ciências, [s.l.], v. 12, n. 8, p. 261-275, 2017. Disponível em: <http://if.ufmt.br/eenci/artigos/Artigo_ID450/v12_n8_a2017.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2019.

LEÃO, G. M. C.; PADIAL, A. A.; RANDI, M. A. F. Representações não linguísticas e jogos cooperativos como estratégia de ensino e aprendizagem da biologia celular. Investigações em Ensino de Ciências, [s.l.], v. 23, n. 2, p. 406-423, 2018. Disponível em:

<https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/1068/pdf>. Acesso em: 11 abr. 2019.

LEGEY, A. P. et al. Desenvolvimento de jogos educativos como ferramenta didática: um olhar voltado à formação de futuros docentes de Ciências. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, [s.l.], v. 5, n. 3, p. 49-82, 2012. Disponível em: <https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=6170602>. Acesso em: 11 abr. 2019.

LUZ, P. S.; LIMA, J. F.; AMORIM, T. V. Aulas práticas para o ensino de Biologia: contribuições e limitações no Ensino Médio. Revista de Ensino de Biologia da SBEnBio, [s.l.], v. 11, n. 1, p. 36-54, 2018. Disponível em: <http://sbenbio.journals.com.br/index.php/sbenbio/article/view/107/24>. Acesso em: 11 abr. 2019.

LOPES, C. A. S.; RODRIGUES, K. C.; RODRIGUES, S. R. C. R. Jogos cooperativos e argumentação: potencialidades para a promoção do pensamento crítico e reflexivo no ensino de Matemática. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [s.l.], v. 11, n. 3, p. 244-263, 2020. Disponível em: <http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/2293/1276>. Acesso em: 24 set. 2020.

MALHEIRO, J. M. S.; FERNANDES, P. O recurso ao trabalho experimental e investigativo: percepções de professores de Ciências. Investigações em ensino de Ciências, [s.l.], v. 20, n. 1, p. 79-96, 2015. Disponível em: <https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/viewFile/60/37>. Acesso em: 11 abr. 2019.

MARIA, D. L.; ABRANTES, M. M. R.; ABRANTES, S. H. F. A Zoologia no contexto escolar: o conhecimento de alunos e professores sobre a classe reptilia e a utilização de atividade lúdica na educação básica. Experiências em ensino de Ciências, [s.l.], v. 13, n. 4, p. 367-392, 2018. Disponível em: <http://if.ufmt.br/eenci/artigos/artigo_id522/v13_n4_a2018.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2019.

MENDES, L. H. R.; GONZAGA, E. P.; MOURA, S. V. O. Análise do canal Nerdologia: Um modelo de Edutenimento no You Tube. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [São Paulo], v. 10, n. 6, p. 39-55, 2019. Disponível em: <http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/2030>. Acesso em: 24 set. 2020.

MORAES, C. B.; GUZZI, M. E. R.; SÁ, L. P. Influência do estágio supervisionado e do programa institucional de bolsas de iniciação à docência (PIBID) na motivação de futuros professores de Biologia pela docência. Ciência e Educação, Bauru, v. 25, n. 1, p. 235-253, 2019.

MORAIS, C. S.; SIMÕES NETO, J. E.; FERREIRA, H. S. Oficina pedagógica de aprendizagem: uma proposta de ferramenta didática para museus de Ciências. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [São Paulo], v. 10, n. 3, p. 204-222, 2019.

OLENKA, L. Dificuldades e avanços na utilização de roteiros investigativos: a prática investigativa na prática. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [São Paulo], v. 10, n. 5, p. 119-130, 2019.

PAVIANI, N. M. S.; FONTANA, N. M. Oficinas pedagógicas: relato de uma experiência. Conjectura, Caxias do Sul, v. 14, n. 2, p. 77-88, 2009. Disponível em: <http://ucs.br/etc/revistas/index.php/conjectura/article/view/16/15>. Acesso em: 11 abr. 2019.

PEDRANCINI, V. D.; GIANOTTO, D. E. P.; INADA, P. Modalidades didáticas no ensino de Ciências. In: GIANOTTO, D. E. P. (Org.). Formação docente e instrumentalização para o ensino de Ciências. Maringá: Eduem, 2012. p. 109-128. (Formação de professores em Ciências Biológicas – EAD, n. 20).

PEREIRA, R. J. B. et al. Método tradicional e estratégias lúdicas no ensino de biologia para alunos de escola rural do município de Santarém-PA. Experiências em Ensino de Ciências, [s.l.], v. 15, n. 2, p. 106-123, 2020.

PERUZZI, S. L.; FOFONKA, L. A importância da aula prática para a construção significativa do conhecimento: A visão dos professores das Ciências da natureza. Revista Educação Ambiental em Ação, [s.l.], v. 12, n. 47, p. 1-5, mar.-maio 2014. Disponível em: <http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1754>. Acesso em: 11 abr. 2019.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2012.

NOGUEIRA, S. R. A. et al. Jogo? Aula? “Jogo-aula”: Uma estratégia para apropriação de conhecimentos a partir da pesquisa em grupo. Revista de Ensino de Biologia da SBEnBio, [s.l.], v. 11, n. 2, p. 5-19, 2018. Disponível em: <http://sbenbio.journals.com.br/index.php/sbenbio/article/view/93/30>. Acesso em: 11 abr. 2019.

ROCHA, N. C. et al. Jogo didático “Síntese protéica” para favorecer a aprendizagem de Biologia celular. Experiências em Ensino de Ciências, [s.l.], v. 12, n. 2, p. 129-137, 2017. Disponível em: <http://if.ufmt.br/eenci/artigos/Artigo_ID353/v12_n2_a2017.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2019.

SALES, P. A. et al. Oficinas pedagógicas como ferramenta de ensino ao incentivo dos objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU. Revista Vivências em Ensino de Ciências, [s.l.], v. 2, n. 2, p. 159-167, 2018. Disponível em: <https://periodicos.ufpe.br/revistas/vivencias/article/view/239738/31312>. Acesso em: 11 abr. 2019.

SANTOS, S.; TERÁN, A. Condições de ensino em Zoologia no nível fundamental: o caso das escolas municipais de Manaus-AM. Revista Areté/Revista Amazônica de Ensino de Ciências, [s.l.], v. 6, n. 10, p. 1-18, 2013. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/arete/article/view/57>. Acesso em: 11 abr. 2019.

SCALABRIN, I. C.; MOLINARI, A. M. C. A importância da prática do estágio supervisionado nas licenciaturas. Revista Unar, [s.l.], v. 7, n. 1, p. 1-12, 2013. Disponível em: <http://alex.pro.br/estagio1.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2019.

SCHNORR, S. M.; RODRIGUES, C. G.; ISLAS, C. A. O uso das tecnologias contemporâneas como recurso pedagógico para as aulas de Ciências. Experiências em Ensino de Ciências, [s.l.], v. 12, n. 3, p. 31-42, 2017. Disponível em: <http://if.ufmt.br/eenci/artigos/Artigo_ID357/v12_n3_a2017.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2019.

SHAW, G. S. L.; SILVA JUNIOR, G. S. Formação docente para uso das TIC no ensino de matemática: percepções de professores e estudantes de um curso de licenciatura em matemática. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [São Paulo], v. 10, n. 6, p. 163-184, 2019. Disponível em: <http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/2139/1199>. Acesso em: 24 set. 2020.

SOMAVILLA, A. S.; ZARA, R. A. Ciências e o ensino de ciências no Brasil. Experiências em Ensino de Ciências, [s.l.], v. 11, n. 3, p. 118-127, 2016. Disponível em: <http://if.ufmt.br/eenci/artigos/Artigo_ID326/v11_n3_a2016.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2019.

Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Projeto Pedagógico do Curso de Ciências Biológicas, Licenciatura. UEMS: Mundo Novo, 2017.

VANUCHI, V. C. F. et al. Oficina temática “tintas indígenas”: ensino de ciências por meio da temática “indígena”. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [São Paulo], v. 10, n. 5, p. 253-270, 2019.

VIEIRA, J. A.; BASTIANI, V. I. M.; DONNA, E. Ensino com pesquisa nas aulas de ciências e biologia: algumas exigências. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EDUCERE, IX., ENCONTRO SUL BRASILEIRO DE PSICOPEDAGOGIA, III., 26-29 out. 2009, [Curitiba]. Anais eletrônicos... PUCPR: [Curitiba], 2009. p. 814-828. Disponível em: <http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2009/3531_1972.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2019.

VILELA, P. S. J. et al. Reflexões sobre a formação inicial de professores de Física na UFMA. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [São Paulo], v. 11, n. 5, p. 261-280, 2020.

Publicado
2020-11-20
Como Citar
PAULINO DOS ANJOS, A.; MESSIAS MARTINS BARTIERES, E.; APARECIDA VASCONCELOS, M.; RIBEIRO DE MORAES, A. Modalidades e recursos didáticos empregados durante o estágio curricular supervisionado obrigatório em um curso de licenciatura em Ciências Biológicas. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 7, p. 237-254, 20 nov. 2020.