A comunicação matemática em uma tarefa exploratória- investigativa: uma proposta mediante a taxa de metabolismo basal

Palavras-chave: Comunicação Matemática, Tarefa Exploratória-Investigativa

Resumo

Neste artigo pretende-se analisar como a comunicação na sala de aula de matemática em uma tarefa exploratório-investigativa pode fomentar no processo de ensino e de aprendizagem. Utilizamos as perspectivas de alguns autores, tais como: Ponte (2000; 2003; 2014); Menezes (1999); Alro e Skovsmose (2010); Martinho (2007); Guerreiro (2015) para a realização da tarefa. A tarefa exploratória-investigativa foi realizada com doze alunos do 8° ano do ensino fundamental maior de uma escola do município de Breves-PA. O estudo proporcionou aos alunos a explorarem seus conhecimentos matemáticos para calcular quantas calorias que gastavam por dia por meio da Taxa de Metabolismo Basal (TMB). Posteriormente, foram levados a exporem os seus resultados perante a turma e desafiados constantemente através de perguntas. Durante a tarefa buscamos identificar as perguntas que podem contribuir para o processo de ensino e aprendizagem mediante a proposta do TMB. Os resultados mostraram que mesmo com a falta de recursos, a comunicação na aula de matemática é uma importante ferramenta de ensino e de aprendizagem dos estudos das calorias e na interação entre professor-aluno e aluno-aluno e estes, formularam perguntas, encontraram novos significados e construíram novas conjecturas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALRØ, H; SKOVSMOSE, O. Diálogo e Aprendizagem em Educação Matemática. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, p. 160, 2010.

BISHOP, A; GOFFREE, F. Classroom Organization and Dynamics. In: B. CHRISTIANSEN, A. G. HOWSON; M. OTTE (Eds.). Perspectives on Mathematcs Education. Dordrecht: D. Reidel, p. 309-365, 1986.

BORBA, M. C; PENTEADO, M. G. Informática e educação matemática. 5 ed. Belo Horizonte: Autêntica, p.104, 2003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Guia Alimentar Para a Família Brasileira: Promovendo a Alimentação Saudável. 1 ed. Série A. Normas e manuais Técnicos. Brasília: Ministério da saúde, 2008.

BUTTS, T. Formulando problemas adequadamente. In: KRULIK, S; REYS, R. E. (Orgs.).

A resolução de problemas na matemática escolar. São Paulo: Atual, p. 32-48, 1997.

CARVALHO, A. A. S; AIRES, P. A.; MARTINS, F; RAIMUNDO, M; CAMPOS, H. A

Matemática Amiga da Saúde: Contributo para a prevenção do excesso de peso. Revista Eletrónica de Educação e Psicologia, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, v. 7, p. 55-68, 2016.

COHEN, L; MANION, L; MORRISON, K; WYSE, D. A guide to teaching pratice. 5 ed. Londres e New York: Routledge, p. 558, 2010.

COSTA, J. A. A. Diálogo em sala de aula: Interações mediadas pela investigação matemática. 2018. 91 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Matemática) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR, Paraná, 2018.

DÉCHEN, T. Tarefa exploratório-investigativo para o ensino de álgebra na 6° série do ensino fundamental: Indício de formação e desenvolvimento da linguagem e do pensamento algébrico. 2008. 126 f. Dissertação (mestrado em Educação) – Programa de pós-graduação em educação – Universidade Federal de São Carlos, UFSCar, São Carlos (SP), 2008.

FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. 4. ed. Curitiba: Editora Positivo, 2009.

FONSECA, H; BRUNHEIRA, L; PONTE, J. P. As actividades de investigação, o professor e a aula de matemática. Actas do Profmat 99, Lisboa: APM, 1999.

GOMES, A. A. M; FIORENTINI, D. Comunicando ideias matemáticas na Educação de Jovens e Adultos. In: XIII CONFERÊNCIA INTEAMERICANA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 2011, Recife. Anais [...]. Recife, p. 26-30, 2011.

GUERREIRO, A. Comunicação matemática na sala de aula: Conexões entre questionamento, padrões de interação, negociação de significados e normas sociais e sociomatemáticas. In: J. P. PONTE (Org.). Práticas profissionais dos professores de matemática. 1 ed. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, p. 237-257, 2014.

GUERREIRO, A; FERREIRA, R. A. T; MENEZES, L; MARTINHO, M. H. A comunicação

na sala de aula: a perspectiva do ensino exploratório da matemática. Revista Ketetiké – FE/UNICAMP & FEUFF, São Paulo, v. 23, n. 44, p. 179-295, jul./dez. 2015.

LOVE, E; MASON, J. Telling and Asking. In: P. Murphy; M. Selinger; J. Bourne; M. Briggs. Subject learning in primary curriculum: Issues in English, science and mathematics. Londres: Routledge, p. 241-256, 1995.

MARTINHO, M. H. S. S. A comunicação na sala de aula de matemática: um projeto colaborativo com três professoras do ensino básico. 2007. 472 f. Tese (Doutoramento em educação) – Universidade de Lisboa – Departamento de Educação, Lisboa, 2007.

MENEZES, L. Concepções e Práticas de Professores de matemática: Contributos Para o Estudo da Pergunta. 1995. 191 f. Dissertação (Mestre em Educação e na especialidade de Didáctica da Matemática) – Universidade de Lisboa, Lisboa, 1995.

MENEZES, L. Matemática, Linguagem e Comunicação. Actas do Profmat 99. Lisboa: APM, 1999.

MENEZES, L; FERREIRA, R.T; GUERREIRO. A comunicação nas práticas letivas dos professores de matemática. In: J. P. PONTE (Org.). Práticas profissionais dos professores de matemática. 1 ed. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, p. 135-164, 2014.

MORAIS, P. R. Tarefas de natureza exploratória e investigativa: Contributos para a compreensão dos conceitos matemáticos no tema das sucessões. 2010. 133 f. Dissertação (Mestrado em ensino da matemática) – Universidade de Lisboa, Lisboa, 2010.

NCTM. Normas profissionais para o ensino da Matemática. Lisboa: APM, 1994.

PINHEIRO, J. M. L. A Aprendizagem Significativa em Ambiente Colaborativa – investigativos de aprendizagem: um estudo De Conceitos De Geometria Analítica Plana. 2013. 202 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Mestrado Profissional em Educação Matemática - UFJF, Juiz de Fora, 2013.

PIRES, M. V. Tarefas de investigação na sala de aula de Matemática: práticas de uma professora de Matemática. Revista Quadrante, Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Bragança, Bragança, Vol. XX, n. 1, p. 31-53, 2011.

PONTE. J. P. Tarefas no ensino e na aprendizagem da matemática. In: (Org.). Práticas profissionais dos professores de matemática. 1 ed. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, p. 13-30, 2014.

PONTE, J. P. Investigar, Ensinar e Aprender. Actas do Profmat. Lisboa: APM, CD – ROM, p. 25-39, 2003.

PONTE, J. P; SERRAZINA, M. L. Didáctica da Matemática do 1° Ciclo. 1. ed. Lisboa: Universidade Aberta, p. 260, 2000.

PONTE, J. P.; BROCARDO, J; OLIVEIRA, H. Investigações Matemáticas na sala de aula. 12 ed. Belo Horizonte: Autêntica, p. 152, 2009.

SANTANA, R. S.; FRANZOLIN, F. O ensino de ciências por investigação e os desafios da implementação na práxis dos professores. Revista de Ensino de Ciências e Matemática. São Paulo, v. 9, n. 3, p. 218-237, 2018.

VIEIRA, G.; ALLEVATO, N. S. G. Tarefas exploratório- investigativas e a construção de conhecimentos sobre figuras geométricas espaciais. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 6, p. 62, 2018.

VIEIRA, G. Tarefa Exploratória-Investigativas em sala de aula: fomentando a produção de conhecimentos geométricos. In: XVII ENCONTRO BRASILEIRO DE ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 2014, Pernambuco. Anais [...].Pernambuco: Universidade Federal de Pernambuco, 2014.

WICHNOSKI, P; KLÜBER, T. E. A (re) formulação de Tarefas de Investigação Matemática. Revemat. Florianópolis, v.13, n. 1, p. 59-75, 2018.

WOOD, T. Creating a context for argument in mathematics class. Journal for Research in Mathematics Education. Reston, v. 30, n. 2, p. 171-191, março, 1999.

Publicado
2020-07-22
Como Citar
MACHADO, B. E. C.; LACERDA, A. G. A comunicação matemática em uma tarefa exploratória- investigativa: uma proposta mediante a taxa de metabolismo basal. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 4, p. 1-21, 22 jul. 2020.
Seção
Artigos Gerais