Simulação de energia fotovoltaica: uma sequência didática alternativa para o ensino da eletrodinâmica

Palavras-chave: Ensino de Física, Eletrodinâmica, Simulações

Resumo

O ensino da eletrodinâmica, mais precisamente geradores e receptores, fazem parte dos conteúdos ministrados na 3ª série do Ensino Médio nas aulas de Física. Para melhor compreensão sobre a produção de energia elétrica, este trabalho objetivou a aplicação de uma sequência didática (SD) através de simulações em plataformas nacionais e internacionais, com as quais verificou-se a viabilidade da implantação de sistemas fotovoltaicos (SFVs) em escolas da cidade de Bacabal - MA. Utilizou-se uma metodologia qualitativa e quantitativa num estudo de caso, cujos resultados são demonstrados com: o cálculo do consumo de aparelhos eletrônicos, uma comparação do consumo de eletricidade com e sem os SFVs, a energia gerada para suprir as demandas das escolas versus as suas capacidades de geração, o custo benefício para os próximos 25 anos e do tempo de retorno do investimento. Bem como, a contribuição para a preservação do meio ambiente com a não emissão de dióxido de carbono (CO2).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, C. M. M.; LOPES, L. A.; LOPES, P. T. C. Sequências didáticas eletrônicas no ensino do corpo humano: comparando o rendimento do ensino tradicional com o ensino utilizando ferramentas tecnológicas. Acta Scientiae, v. 17, n.2, 466-482, 2015.

ALEMANHA. Lei n. 49, de 18 de out. de 2016. Dispõe sobre a introdução de propostas para a eletricidade a partir de energias renováveis e sobre novas mudanças na lei das energias renováveis. Regulamento das Energias Renováveis. Ministério da Economia e Tecnologia. Berlin, p. 2258-2357, out. 2016.

ANEEL. Agência Nacional de Energia Elétrica. Atlas de energia elétrica do Brasil. 3. ed. Brasília: Aneel, 2008. 236 p.

AUSUBEL, D. P. Aquisição e Retenção de Conhecimentos: Uma Perspectiva Cognitiva. 1. ed. Revisão científica por Vitor Duarte Teodoro, traduzido por Lígia Teopisto, Lisboa: Paralelo, 2003, 227 p.

BEDIN, E.; BARWALDT, R. Tecnologia da informação e comunicação no contexto escolar: interações à luz da sustentabilidade ambiental no viés das redes sociais. RENOTE, v.12, n.1, 1-10, 2014.

BRASIL. Decreto n. 687, de 24 de nov. de 2015. RESOLUÇÃO NORMATIVA. Altera a Resolução Normativa nº 482, de 17 de abril de 2012: Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA. Brasília, p. 45-46, nov. 2015.

COSTA, R. C.; MIRANDA, J. C.; GONZAGA, G. R. AVALIAÇÃO E VALIDAÇÃO DO JOGO DIDÁTICO “DESAFIO CIÊNCIAS – SISTEMAS DO CORPO HUMANO” COMO FERRAMENTA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS. REnCiMa, v. 9, n.5, p. 56-75, 2018.

DAL BEM, J. C. T. et al. Solução para bombeamento de água em propriedades rurais utilizando energia solar fotovoltaica. Revista Brasileira de Energia Solar, v. 7, n. 1, p. 50-57, jul. 2016.

DEMO, P. Educar pela pesquisa. 8. ed. Campinas: Autores Associados, 2009, 106 p. EINSTEIN, A.; INFELD, L. Evolução da Física. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.

EUROPEAN, Commission. Copernicus Atmopshere Monitoring Service: Version Solar Radiationv. Version 3.0. 2014. Disponível em: <https://www.copernicus.eu/en>. Acesso em: 23 out. 2018.

FEARNSIDE, P. M. Emissions from tropical hydropower and the IPCC. Environmental Science & Policy, v. 50, n. 3, p. 225-239, 2015.

FEYNMAN, R. P.; LEIGHTON, R. B.; SANDS, M. Lições de física de Feynman. v. 3, Porto Alegre: Bookman, 2008, 397 p.

FREIRE, P. PEDAGOGIA DA AUTONOMIA: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GARDNER, Howard. Estrutura da Mente: A Teoria das Inteligências Múltiplas. trad. Sandra Costa. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1994, 341 p.

GOMES, M. G. da S.; MERCADO, L. P. L. Estratégias Didáticas: celular na prática pedagógica. Revista Tecnologias na Educação, v. 27, n. 10, 2018.

GuIMARÃES, A. P. C.; GALDINO, M. A. Centro de Referência para Energia Solar e Eólica Sérgio Brito (CRESESB): Potencial Solar - SunData. Version 3.0. Rio de Janeiro: Bruno Montezano, 2014.

HALLIDAY, D.; RESNICK, R.; WALKER, J. Física 4. 9. ed. Rio de Janeiro: LCT, 2011. 104 p.

IEA. International Energy Agency/ OECD. Organization for Economic Co-Operation and Development. Global Electric Vehicle Outlook 2016, Paris, 2016.

IRENA. International Renewable Energy Agency. The Power to Change: Solar and Wind Cost Reduction Potential to 2025. Abu Dhabi, 2016.

KENSKI, V. M. Educação e Tecnologias: o novo ritmo da informação. 8. ed. Campinas, SP: Editora Papirus, 2011.

LIMA FILHO, M. A.; WAECHTER, H. N. Hipermídias educativas em tablets: estado da arte. Blucher Design Proceedings, v.1, n.2, p.1-13, 2014.

MARTINS, Ronei Ximenes. Metodologia de pesquisa: guia prático com ênfase em educação ambiental. Lavras: UFLA, 2015, 146 p.

MORAN, José. Como transformar nossas escolas? Novas formas de ensinara alunos sempre conectados. Online. Brasil: José Moran, 2017. Educação Tranformadora.

MOREIRA, Marco Antonio. Aprendizagem significativa: da visão clássica à visão crítica. In: V Encontro Internacional sobre Aprendizagem Significativa. Madrid, Espanha, setembro 2006.

NASCIMENTO, E. L; SCHMIGUEL, J. REFERENCIAIS TEÓRICOS-METODOLOGICOS: SEQUENCIAS DIDÁTICAS COM TECNOLOGIAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA. REnCiMa, v.8, n.2, p.115-126, 2017.

OECD. Organisation for Economic Co-operation and Development, París, 2018.

PEREIRA, E. B. et al. Atlas Brasileiro de Energia Solar: Avaliação dos Recursos de Energia Solar e Eólica. 2. ed. São José dos Campos: INPE: Artes Gráficas Graficor, 2017. 88 p.

PRETO, N. de L. O desafio de educar na era digital: educações. Revista Portuguesa de Educação, Braga, v. 24, n. 1, p. 95-118, 2011.

REN21. Renewable Energy Policy Network. Global Status Report, Paris: REN21 Secretariat, 2016.

SANTOS, I. F. S; FILHO, G. L. T.; BARROS, R. M. Análises econômicas, de sensibilidade e elasticidade em projetos de energias renováveis no brasil. Revista Brasileira de Energia, v. 21, n. 2, 2015.

SCHEIDT, P; BERMUDEZ, R. América do Sol: Simulador Solar. Version 1.0. Florianópoles: Ramses Bermudez, 2010.

SILVA, A. de L.; SERRA, K. C. O AVA MOODLE E SUAS POSSIBILIDADES NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS: TRABALHANDO O CONTEÚDO “GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA” NO ENSINO FUNDAMENTAL. REnCiMa, v. 9, n. 1, p. 122- 139, 2018.

SUN EARTH TOOLS. Ferramentas para designers e consumidores de energia solar, 2017.

TRENTIN, M. A. S.; SILVA, M.; ROSA, C. T. W. ELETRODINÂMICA NO ENSINO MÉDIO: UMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA APOIADA NAS TECNOLOGIAS E NA EXPERIMENTAÇÃO. REnCiMa, v. 9, n.5, p. 94-113, 2018.

ZABALA, Antoni. A Prática Educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998, p. 224.

Publicado
2020-07-22
Como Citar
NETO, P. A. F.; MOURA, F. A. G. A.; RIBEIRO, G. P. Simulação de energia fotovoltaica: uma sequência didática alternativa para o ensino da eletrodinâmica. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 4, p. 311-332, 22 jul. 2020.
Seção
Artigos Gerais