O ensino da Estatística descritiva para o tratamento da informação no Ensino Médio

Palavras-chave: Estatística Descritiva, Tecnologia da Informação e Comunicação, Planilha Eletrônica. Aprendizagem Significativa, Unidade de Ensino Potencialmente Significativa

Resumo

Em nossa sociedade globalizada o aluno tem sido submetido constantemente a informações que precisam ser decodificadas e compreendidas, fazendo com que a Estatística Descritiva assuma papel-chave na interpretação e análise de dados. Neste sentido, o presente trabalho tem por objetivo apresentar contribuições e dificuldades de uma metodologia de ensino de Estatística Descritiva por meio da tecnologia – especificamente da planilha eletrônica – proposta e aplicada em uma turma da 2ª série do ensino médio de uma escola estadual, localizada na cidade de Oriximiná-PA. O referencial teórico é a Teoria da Aprendizagem Significativa (TAS) de David Ausubel e utilizou-se de uma sequência didática baseada no conceito de Unidade de Ensino Potencialmente Significativa (UEPS), preconizada por Marco Antonio Moreira. Foi estruturada em treze encontros, tendo por contextualização a Cultura Paraense. Evidenciou-se  que a pesquisa alcançou os objetivos propostos ao proporcionar aos alunos habilidades de tratamento da informação (decodificação, compreensão, interpretação e retenção) considerando sua participação em algumas etapas do método estatístico. E também, que a inserção da metodologia de ensino, proposta e aplicada, permitiu potencializar o processo de ensino e aprendizagem da estatística descritiva, possibilitando a aprendizagem significativa dos alunos participantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Tereza Rodrigues Mileo, SECRETARIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO - PARÁ
Mestra em Ensino de Ciências e Matemática (Universidade de Passo Fundo - RS) 2015-2018. Linha de pesquisa - Tecnologias de informação, comunicação e interação aplicadas ao ensino de Ciências e Matemática. Possui Graduação em licenciatura Plena em Matemática - Faculdade Michelangelo (2005) e Graduação em Ciências Contábeis - Instituto Santareno de Ensino Superior (1997). Especialista em Educação Matemática (Universidade Estadual do Pará). Experiência Profissional na Área Escrituração Fiscal, Estatística Educacional - Plataforma Educacenso (Semed) da Prefeitura Municipal de Oriximiná e Professor ad-4 Licenciatura Plena em Matemática, do Ensino Médio - SECRETARIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO do Estado do Pará.
Juliano Tonezer da Silva, Universidade de Passo Fundo - UPF
Doutor em Informática na Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS, 2008) e Mestre em Ciência da Computação, área de banco de dados (UFRGS, 1998). Graduado em Ciência da Computação na Universidade de Passo Fundo (UPF, 1994). Atualmente é professor Titular III e pesquisador do Instituto de Ciências Exatas e Geociências, da Universidade de Passo Fundo (UPF). Está vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática (ppgECM) e na graduação, a área de Informática. Tem experiência nas áreas de Informática Educativa, Educação, Banco de Dados e APL Gemas e Joias. Atuou como organizador nos livros -Analfabetismo, Cidadania e Desenvolvimento Humano: Um estudo na região da Serra do Botucaraí-, -Tecnologias para o Setor de Gemas, Joias e Mineração- e -Tecnologia e Inovação em Gemas, Joias e Mineração-. Organizou as mostras de Resultados de Pesquisas Aplicadas ao Arranjo Produtivo de Gemas e Joias do Rio Grande do Sul, em 2012, 2013, 2014 e 2015. De janeiro de 2013 a fevereiro de 2015 atuou como Secretário Municipal de Educação, Cultura e Desporto do Município de Soledade/RS. Desde ago/2018 coordena o Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) na UPF.

Referências

BARBETTA, Pedro Alberto. Estatística aplicada às ciências sociais. 8ª ed. Florianópolis, SC: UFSC, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria Fundamental de Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília, DF: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Orientações educacionais complementares aos parâmetros curriculares nacionais – Ciência da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília, DF: MEC/SEMTEC, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Curricular Comum - BNCC. 3ª versão. Brasília, DF, 2018. Disponível em http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/. Acesso em: 20 abr. 2019.

BATANERO, Carmen. Didáctica de la estadística. Granada, RMA: Universidad de Granada, 2001.

BUCHWEITZ, Bernardo. Aprendizagem significativa: ideias de estudantes concluintes de curso superior. Investigações em Ensino de Ciências, v. 8, n. 2, p. 133-141, 2001.

CARVALHO, Alexandre. A importância do ensino de estatística na formação inicial do professor de matemática. Em: ENCONTRO BRASILEIRO DE ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 19, 2015, Juiz de Fora, MG. Anais... Juiz de Fora, MG, 2015.

COBB, Georg W.; MOORE, David S. Mathematics, Statistics, and Teaching. The American Mathematical Monthly, v. 104, n. 9, p. 801-823, 1997.

FERNANDES, José António; MORAIS, Paula Cristina. Leitura e interpretação de gráficos estatísticos por alunos do 9º ano de escolaridade. Educação Matemática e Pesquisa, São Paulo, v. 13, n. 1, 2011.

FERREIRA, Pedro Lopes. Estatística descritiva e inferencial: breves notas. Coimbra, UC: Universidade de Coimbra, 2005.

GONSALVES, Elisa Pereira. Iniciação à Pesquisa Científica. Campinas, SP: Editora Alínea, 2001.

LOPES, Celi Espasandin; MEIRELLES, Elaine. Estocástica nas series iniciais. Em: ENCONTRO REGIONAL DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA – LEM/IMECC/UNICAMP, 18, 2005, São Paulo. Anais... São Paulo: UNICAMP, 2005.

LOPES, Celi Espasandin. Os desafios para Educação Estatística no currículo de Matemática. Em: _____; COUTINHO, Cileda de Queiroz e Silva; ALMOULOUD, Saddo Ag. (Orgs.). Estudos e Reflexões em Educação Estatística. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2010. p. 47-64.

MAY, Tim. Pesquisa social. Questões, métodos e processos. Tradução Carlos Alberto Silveira Netto Soares. Porto Alegre: Artmed, 2001.

MCCLAVE, James T.; BENSON, P. George; SINCICH, Terry. Estatística para administração e economia. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

MAGALHÃES, Marcos Nascimento; LIMA, Antônio Carlos Pedroso de. Noções de probabilidade e estatística. São Paulo: EDUSP, 2002.

MANASSI, Norton Pizzi; NUNES, Camila da Silva; BAYER, Arno. Uma Unidade de Ensino Potencialmente Significativa (UEPS) no contexto do ensino de Matemática Financeira. Educação Matemática em Revista, v. 15, n. 15, p. 54-62, 2014.

MONTEIRO, Bruno de S. et al. Metodologia de desenvolvimento de objetos de aprendizagem com foco na aprendizagem significativa. Em: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 17, 2006, João Pessoa, PB. Anais... João Pessoa, PB, 2006.

MOREIRA, Marco Antônio. A teoria da aprendizagem significativa. Porto Alegre: UFRGS, 2009.

MOREIRA, Marco Antônio. Unidades de enseñanza potencialmente significativas – UEPS. Aprendizagem Significativa, v. 1, n. 2, 2011.

MOREIRA, Marco Antônio. Unidades de Ensino Potencialmente Significativas – UEPS. Porto Alegre: UFRGS, 2015.

MOREIRA, Marco Antônio. As teorias da aprendizagem significativa. 2. ed. rev. Porto Alegre: UFRGS,2016. No documento consta a como 1.ed. referente ao ano de 2009.

NOGUEIRA, Paulo Apolinário; VICTER, Eline das Flores; NOVIKOFF, Cristina. Mídias escritas como suporte didático no ensino de estatística. Em: ENCONTRO BRASILEIRO DE ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 15, 2011, Campina Grande, PB. Anais... Campina Grande, PB, 2011.

NUNES, Camila da Silva. Unidade de Ensino Potencialmente Significativa (UEPS) para o ensino de estatística básica. 128f. 2015. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade Luterana do Brasil, Canoas, 2015.

PEREDA, Ana Sofia Aparício. Aspectos afetivos na aprendizagem da estatística: atitudes e suas formas de avaliação. 2006. 209 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

ROSA, Cleci Teresinha Werner da; KIRCHINER, Rejane Kraemer; ROSA, Álvaro Becker. Formação do orvalho e do granizo: estudo investigativo com estudantes dos anos iniciais. Rencima, v. 7, n. 3, p. 87-101, 2016.

SALVADOR, Wesyllis das Mercês. Análise do conteúdo de estatística descritiva no ensino médio. 2015. 79 f. Dissertação (Mestrado em Matemática) – Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2015.

SPIEGEL, Murray R. Probabilidade e estatística. Tradução de Alfredo Alves de Faria. São Paulo: Mc-Graw-Hill do Brasil, 1994. (Coleção Schaum).

STURION, Leonardo; et al. As dificuldades dos professores de estatística na utilização de tecnologias midiaticas. REnCiMa, v. 9, n.4, p. 78-93, 2018.

Publicado
2020-10-18
Como Citar
RODRIGUES MILEO, M.; TONEZER DA SILVA, J. O ensino da Estatística descritiva para o tratamento da informação no Ensino Médio. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 6, p. 530-551, 18 out. 2020.
Seção
Relatos de Pesquisa