Contribuições do estudo do meio na formação de educadores do campo para o ensino de Ciências no semiárido Piauiense

Palavras-chave: Estudo do meio, Educação do Campo, Ensino de ciências, Formação docente, Semiárido

Resumo

O objetivo desse artigo é discutir sobre as contribuições do estudo do meio para a formação inicial de educadores do campo para o ensino de ciências na região do semiárido piauiense no primeiro semestre de 2018. Os dados foram coletados na forma de questionários e gravações em vídeo de relatórios apresentados em seminários de 19 licenciandos de um Curso de Licenciatura em Educação do Campo. A análise dos dados mostrou que o estudo do meio se coaduna com os fundamentos da Educação do Campo. Os resultados, analisados na perspectiva crítico-social dos conteúdos, indicaram que o estudo do meio pode contribuir para o ensino contextualizado de Ciências; o fortalecimento da identidade campesina; o ensino com pesquisa; o trabalho coletivo e a reflexão crítica da realidade.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Leite dos Santos Silva, Universidade Federal do Piauí (UFPI)
Possui doutorado e mestrado em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), dentro da linha de pesquisa "Educação em Ciências e Matemática". É especialista em Supervisão, Inspeção e Gestão Escolar pela Universidade Candido Mendes. Possui graduação em Física pela UFU. Atua como professor efetivo no curso de Licenciatura em Educação do Campo/Ciências da Natureza da Universidade Federal do Piauí, no Campus Senador Helvídio Nunes de Barros. Está envolvido em pesquisas relacionadas ao Ensino de Física, Formação de Professores de Ciências da Natureza e Educação do Campo.
Suzana Gomes Lopes, Universidade Federal do Piauí (UFPI)
Doutora em Biotecnologia pela Rede Nordeste de Biotecnologia (RENORBIO) - ponto focal Universidade Federal do Maranhão (2015), Mestre em Biodiversidade e Conservação pela Universidade Federal do Maranhão (2011) e graduada em Licenciatura Plena e Bacharelado no curso de Ciências Biológicas da Universidade Regional do Cariri (2007). Atua desde 2014 como professora efetiva do Curso de Licenciatura em Educação do Campo/Ciências da Natureza da Universidade Federal do Piauí, Campus Senador Helvídio Nunes de Barros. Participou como coordenadora de área do PIBID-Diversidade entre 2016 e 2018, e atualmente é coordenadora de área da Residência Pedagógica. Atua na área de Parasitologia Animal, Ensino de Ciências e Educação do Campo.

Referências

ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. Processos de Ensinagem na Universidade: Pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 5. ed. Joinville: Univille, 2007.

ARAÚJO, F. R. F.; CARNEIRO, R. N. Por um olhar geográfico sobre a identidade cultural: breves propostas conceituais através das dimensões espaciais do lugar, paisagem e território. In: ENANPEGE, 11, 2015, Anais... Presidente Prudente, SP: ANPPG, p. 1687-1698, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Grupo Permanente de Trabalho de Educação do Campo. Referências para uma política nacional de Educação do Campo. Caderno de Subsídios, Brasília, 2003. Disponível em: < http://www.gepec.ufscar.br/publicacoes/educa cao-no-campo/referencias-para-uma-politica-nacional-de-educacao.pdf/at_download/file>. Acesso em: 21 abr. 2019.

BRICK, E. M. et al. Paulo Freire: interfaces entre Ensino de Ciências da Natureza e Educação do Campo. In: MOLINA, M. C. (Org.). Licenciaturas em Educação do Campo e o ensino de Ciências da Natureza: desafios à promoção do trabalho docente interdisciplinar. Brasília: MDA, 2014. p. 23-59. Disponível em: <http://nead.mda.gov.br/download.php?file=publicacoes/debate/licenciaturas_em_educacao_do_campo_e_o_ensino_de_ciencias_naturais.pdf>. Acesso em: 21 abr. 2019.

BUENO, M. A. A importância do estudo do meio na prática de ensino em geografia física. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 29, n. 2, p. 185-198, 2009. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/bgg/article/view/9028>. Acesso em: 21 abr. 2019.

CALDART, R. S. Por uma educação do campo: traços de uma identidade em construção. In: ARROYO, M. G.; CALDART, R. S.; MOLINA, M. C. (Orgs.). Por uma educação do campo. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 147-160.

CALDART, R. S. Educação do campo. In: CALDART, R. S. et al. (Org.). Dicionário da Educação do Campo. 2. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012, p. 257-265.

CALVENTE, M. C. M. H. Comunidades tradicionais, identidade territorial e memória: a tessitura do passado comum. Geo UERJ, Rio de Janeiro, n. 31, p. 580-606, 2017. Disponível em: <https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/geouerj/article/view/24648>. Acesso em: 21 abr. 2019.

CARDOSO, G. M. M. Trajetória Formativa: entrelaçando saberes... estudo do meio como lugar de aprendizagem do/discente. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, São Paulo, v. 3, n. 14, p.713-726, 2009. Disponível em: <http://www.scielo. br/pdf/aval/v14n3/a11v14n3.pdf>. Acesso em: 21 abr. 2019.

CRESWELL, J. W. Educational research: planning, conducting, and evaluating quantitative and qualitative research. 3. ed. Columbus, Ohio, U.S.A.: Pearson, 2008.

DALLABRIDA, V. R. Território e desenvolvimento sustentável: indicação geográfica da erva-mate de ervais nativos no Brasil. Informe Gepec, Toledo, v. 16, n. 1, p. 42-59, 2012. Disponível em: <http://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/5095/4670>. Acesso em: 21 abr. 2019.

DEMO, P. Educar pela Pesquisa. Campinas: Autores Associados,1996. FERNANDES, B. M. Diretrizes de uma caminhada. In: ARROYO, M. G.; CALDART, R. S.; MOLINA, M. C. (Org.). Por uma educação do campo. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 133-146.

HAESBAERT, R. Des-territorialização e identidade: A rede “gaúcha” no Nordeste. Rio de Janeiro: EDUFF, 1997.

KENSKI, V. M. Tecnologias e tempo docente. Campinas: Papirus, 2013.

LEITE, C. M. C. O Lugar e a construção da identidade: os significados construídos por professores de geografia do ensino fundamental. 2012. Tese de Doutorado –Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2012. Disponível em: <http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/11250/1/2012_CristinaMariaCostaLeite.pdf>. Acesso em: 21 abr. 2019.

LIBÂNEO, J. C. Democratização da Escola Pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo: Edições Loyola, 1985.

LIMA, E. S. Currículo das escolas do campo: perspectivas de rupturas e inovação. In: LIMA, E. S.; SILVA, A. M. (Orgs.). Diálogos sobre a educação do campo. 2. ed. Teresina: Edufpi, 2014, p. 107-128.

LIMA, E. S.; MENDES SOBRINHO, J. A. C. A formação continuada de professores de ciências naturais: perspectivas para o semiárido piauiense. In: MENDES SOBRINHO, J. A. C. (Orgs.). Práticas pedagógicas em ciências naturais: abordagens na escola fundamental. Teresina: Edufpi, 2008, p. 85-96.

LOPES, C. S.; PONTUSCHKA, N. N. Estudo do meio: teoria e prática. Geografia, Londrina, v. 18, n. 2, 2009.

MACEDO; R. C.; LANDIM NETO, F. O.; SILVA, E. V. Descobrindo o entorno escolar: estudo do meio aplicado na análise da paisagem. Geosaberes, Fortaleza, v. 6, n. 2, p. 33-45, 2015. Disponível em: <http://www.geosaberes.ufc.br/ geosaberes/article/view/409>. Acesso em: 21 abr. 2019.

MOLINA, M. C.; JESUS, S. M. S. A. (Orgs.). Contribuições para a construção de um projeto de Educação do Campo. Brasília, DF: Articulação Nacional Por Uma Educação do Campo, 2004. (Coleção Por Uma Educação do Campo, n 5).

MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA - MST. Inventário da realidade: guia metodológico para uso nas escolas do campo. Guia discutido no Seminário: Educação em Agroecologia nas Escolas do Campo. Veranópolis/RS: IEJC, 2016, (mimeografado).

PONTUSCHKA, N.N. O conceito de estudo do meio transforma-se... em tempos diferentes, em escolas diferentes, com professores diferentes. In: VESSENTINI, J. W. (Org.). O ensino de geografia no século XXI. Campinas, SP: Papirus, 2004, p. 249-288.

SANTOS, E. T.; CARDOSO, L. C. B.; MACIEL, M. R. R. Estudo do meio no ensino de geografia: a bacia hidrográfica como contexto para a aprendizagem significativa. Geofronter, Campo Grande, n. 2, v. 1, p. 80-96, 2016. Disponível em: <https://periodicosonline.uems.br/index.php/GEOF/article/view/1154>. Acesso em: 21 abr. 2019.

SILVA, F. C. V.; ALMEIDA, M. A. V.; CAMPOS, A. F. O trabalho com situação-problema utilizando elementos do ensino por pesquisa: análise das impressões de futuros professores de química. REnCiMa, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 37-48, 2014. Disponível em: <http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/555/711>. Acesso em: 21 abr. 2019.

SILVA, A. L. S. Necessidades formativas de professores de ciências de escolas do campo: um estudo no semiárido piauiense. 2018. Tese de Doutorado – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, Minas Gerais, 2018. Disponível em: <https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/22531>. Acesso em: 21 abr. 2019.

SILVA, D. J. O estudo do meio no ensino de Geografia. Revista Educação Pública, Rio de Janeiro, v.18, n. 1, p. 1-4, 2019.

SUTIL et al. O estudo do meio como estratégia de ensino na educação superior. Revista Internacional de Formação de Professores (RIFP), Itapetininga, v. 3, n.1, p. 109-121, 2018. Disponível em: <https://periodicos.itp.ifsp.edu.br/index.php/RIFP/article/ view/1001>. Acesso em: 21 abr. 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ – UFPI. Projeto Pedagógico de Curso - Licenciatura em Educação do Campo/Ciências da Natureza. Teresina: UFPI, 2017. Disponível em:<https://sigaa.ufpi.br/sigaa/verProducao?idProducao=2472104&key= 95 68 1897701346cebc5135c08393129d>. Acesso em: 06 abr. 2019.

VASCONCELOS, C. A.; ANDRADE, B. S. Abordagem da separação de misturas no ensino fundamental sob o enfoque CTSA visando a contextualização no ensino de ciências. REnCiMa, São Paulo, v.8, n.1, p.1-13, 2017. Disponível em: <http://revistapos.cruzeirodosul. edu.br/index.php/rencima/article/view/1141>. Acesso em: 21 abr. 2019.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

Publicado
2020-11-20
Como Citar
SILVA, A.; LOPES, S. Contribuições do estudo do meio na formação de educadores do campo para o ensino de Ciências no semiárido Piauiense. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 7, p. 220-236, 20 nov. 2020.