A ÊNFASE DA LINGUAGEM NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: DAS PALAVRAS INCERTAS ÀS PALAVRAS COM SENTIDO

Marisa Rosâni Abreu da Silveira

Resumo


Este texto tem o objetivo de discutir o papel das explicações e exemplos no ensino da matemática que acontecem em meio à utilização de normas e descrições. Mesmo que nossa sugestão seja a ênfase da linguagem na educação matemática, reconhecemos a vagueza de nossa linguagem ordinária. A busca de palavras com sentido para evitar palavras incertas pode ser a meta do educador que é atento à linguagem na sua prática docente e assim, privilegia a escuta da voz do aluno para compreender aquilo que foi interpretado por meio de suas explicações. Neste sentido, nos amparamos na filosofia da linguagem de Wittgenstein, mais especificamente no seu segundo momento filosófico, bem como em alguns de seus comentadores e educadores matemáticos que se apóiam em sua filosofia.  


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26843/rencima.v11i1.2238

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2179-426X

Principais Indexadores e Banco de Dados 

   4fscprrsdbplgx1korycxmt8hz22jwbgfztn2wy3tm8yqmxkqtam7cpmcsaml9ttq_400      base_sumarios-org_696      logo-oei_400      latindex_376 diadorimq_600

 

Licença Creative Commons
A REnCiMa está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional