A Ciência na percepção de alunos da primeira etapa do Ensino Fundamental: um enfoque estrutural das representações sociais

Palavras-chave: Representações Sociais, Núcleo Central, Ensino de Ciências, Ensino Fundamental.

Resumo

Fundamentado no referencial teórico-metodológico da Teoria das Representações Sociais, com atenção especial a sua abordagem estrutural, o presente trabalho trouxe como objetivo identificar o conteúdo e a organização das representações da Ciência de um grupo de alunos do 5º ano do Ensino Fundamental de uma escola municipal no Estado do Espírito Santo. Por meios da aplicação de questionário com questões abertas e itens para evocação livre de palavras a partir do termo indutor “Ciência”, aplicado a 51 alunos, com atenção às técnicas aplicadas à Teoria do Núcleo Central, foi possível perceber que a representação se ordena em torno de elementos que se relacionam com conteúdos, procedimentos e agentes na produção do conhecimento científico. As análises permitiram inferir algumas relações dessas representações com a formação científica e pretendem contribuir com reflexões acerca dos processos de ensino e aprendizagens das Ciências nesta etapa da Educação Básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRIC, J. C. A abordagem estrutural das representações sociais. In: MOREIRA, A. S. P.; OLIVEIRA, C. P. (Orgs.). Estudos interdisciplinares de representação social. Goiânia: AB, 1998. p. 27-38.

ABRIC, J. C. Central system, peripheral system: their functions and roles in the dynamics of social representations. Papers on Social Representations – Textes sur lês Représentations Sociales, v. 2, p. 75-78, 1993. Disponível em: http://psr.iscte-iul.pt/index.php/PSR/article/view/126/90. Acesso em: 27 fev. 2018.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. Representações sociais: aspectos teóricos e aplicações à educação. Revista Múltiplas Leituras, v.1, n. 1, p.18-43, jan./jun. 2008. DOI: https://doi.org/10.15603/1982-8993/ml.v1n1p18-43.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BIZZO, N. Pensamento científico: a natureza da ciência no ensino fundamental. São Paulo: Melhoramentos, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação/Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Indicadores Educacionais. Brasília: MEC/INEP, 2016. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/indicadores-educacionais>. Acesso em: 27 fev. 2018.

CACHAPUZ, A.; GIL-PÉREZ, D.; PRAIA, A. M. P. C. J.; VILCHES, A. Importância da educação científica na sociedade atual. In: CACHAPUZ, A.; GIL-PÉREZ, D.; PRAIA, A. M. P. C. J.; VILCHES, A. (Orgs.) A necessária renovação do ensino de ciências. São Paulo: Cortez, 2005. p.19-34.

CAMPOS, P. H. F. O estudo da ancoragem das Representações Sociais e o campo da Educação. R. Educ. Públ., Cuiabá, v. 26, n. 63, p. 775-797, set./dez. 2017. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/4187. Acesso em: 27 fev. 2018.

CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de ciências: tendências e inovações. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

CHAIB, M.. Representações sociais, subjetividade e aprendizagem. Cadernos de Pesquisa, v.45, n.156, p.358-372, abr./jun. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/198053143201.

CHALMERS, A. F. O que é ciência afinal? Tradução: Raul Filker. São Paulo: Brasiliense, 1993.

CHERVEL, A. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, n.2, p.177-229, 1990. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/3986904/mod_folder/content/0/Chervel.pdf?forcedownload=1. Acesso em: 27 fev. 2018.

FRANCO, M. L. P. B. Análise de conteúdo. 2. ed. Brasília: Liber Livro Editora, 2005.

GILLY, M. As representações sociais no campo educativo. Educar - UFPR, Curitiba, n. 19, p.231-252, 2002. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.257.

GOUVEIA, D. S. M.; TESTA BRAZ DA SILVA, A. M. Temas CTSA de interesse dos alunos da EJA: um ponto de partida para uma alfabetização científica multidimensional. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO AMBIENTE, 4., 2014, Niterói. Anais... Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2014.

HEGEL, G. W. F. Fenomenologia do Espírito. Tradução: Paulo Meneses. 5. ed., v. 1, Petrópolis: Vozes, 2000.

JOVCHELOVITCH, S. Psicologia social, saber, comunidade e cultura. Psicologia & Sociedade, n.16, p.20-31, mai./ago. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/psoc/v16n2/a04v16n2. Acesso em: 27 fev. 2018.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Metodologia Científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

MOSCOVICI, S. A psicanálise, sua imagem e seu público. Petrópolis: Vozes, 2012.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

ORNELLAS, M. L. S.. Educação, afeto e representação social. In: NASCIMENTO, A. D.; HETKOWSKI, T. M. (Orgs.) Educação e contemporaneidade: pesquisas científicas e tecnológicas. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 275-293.

PIZARRO, M. V.; BARROS, R. C. S. N.; JUNIOR, J. L. Os professores dos anos iniciais e o ensino de Ciências: uma relação de empenho e desafios no contexto da implantação de Expectativas de Aprendizagem para Ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 16, n. 2, p. 421-448, ago. 2016. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4380. Acesso em: 27 fev. 2018.

PONTE, J. P. Concepções dos professores de matemática e processos de formação. In: PONTE, J. P. (Ed.). Educação matemática: temas de investigação. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 1992. p. 185-239.

POZO, J. I.; CRESPO, M. A. G. A aprendizagem e o ensino de ciências – do conhecimento cotidiano ao conhecimento científico. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

SÁ, C. P. Núcleo central das representações sociais. Petrópolis: Vozes, 1996.

SANTANA, R. S.; FRAZOLIN, F. O ensino de ciências por investigação e os desafios da implementação na práxis dos professores. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 3, p. 218-237, 2018. DOI: https://doi.org/10.26843/rencima.v9i3.1427.

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as ciências. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

SHAW, G. S. L.; SILVA-JUNIOR, G. S. Oficina iniciação à química na cozinha e as concepções de natureza da ciência de estudantes do ensino fundamental. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 4, p. 126-138, 2018. DOI: https://doi.org/10.26843/rencima.v9i4.1388.

VERGÈS, P. L'analyse des représentations sociales par questionnaires. Revue française de sociologie, v. 42, n. 3, p. 537-561, 2001. Disponível em: https://www.persee.fr/doc/rfsoc_0035-2969_2001_num_42_3_5373. Acesso em: 27 fev. 2018.

VITTORAZZI, D. L. A ciência, seu ensino e suas representações: implicações na construção do conhecimento científico no ensino fundamental. 2018. 171f. Dissertação (Mestrado em Ciência, Tecnologia e Educação) – Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, Rio de Janeiro.

VOGEL, M. Influências do PIBID na Representação Social de licenciandos em Química sobre ser “professor de Química”. 2016. 201 f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências) – Pós-Graduação Interunidades em Ensino de Ciências, Universidade de São Paulo, São Paulo.

WACHELKE, J.; WOLTER, R. Critérios de construção e relato da análise prototípica para representações sociais. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 27, n. 4, p. 521-526, out./dez. 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-37722011000400017.

Publicado
2020-10-18
Como Citar
VITTORAZZI, D.; FREITAS, T.; TESTA BRAZ DA SILVA, A. A Ciência na percepção de alunos da primeira etapa do Ensino Fundamental: um enfoque estrutural das representações sociais. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 6, p. 1-17, 18 out. 2020.
Seção
Artigos Gerais