A disciplina de estágio curricular na licenciatura em Ciências Exatas como espaço de reflexões sobre os modelos didáticos na formação docente

Palavras-chave: estágio, Modelo Didático

Resumo

Neste trabalho apresentamos uma pesquisa realizada sobre os Modelos Didáticos e a formação inicial docente. As atividades foram aplicadas em uma turma de Licenciatura em Ciências Exatas na disciplina de Estágio Supervisionado Escolar Específico da Universidade XXX. Para o desenvolvimento da disciplina utilizamos os conceitos de problema prático profissional (PPP) e Modelos Didáticos, todos derivados do projeto Inovação e Renovação Escolar (IRES) da Universidade de Sevilha/ES. Ao longo das 18 semanas de aulas os licenciandos realizaram diferentes atividades teórico-reflexiva com o intuito de repensarem a prática docente de forma crítica e criativa. Com o uso sistemático do diário de campo, os licenciandos realizaram suas reflexões acerca de textos, planejamentos de aula, observações e atividades de grupo. Foi possível identificar um significativo crescimento dos alunos com relação as suas concepções acerca do ensino e da aprendizagem de Ciências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta Chiesa Bartelmebs, Universidade Federal do Paraná
.

Referências

AZCÁRATE, P. 1999. Metodología de enseñanza. Cuadernos de Pedagogía, Madrid, nº276, p.72-78.

BALLENILLA, F. 2003. El practicum en la formación inicial del profesorado de ciencias de Enseñanza Secundaria. 2003. 350f. Tese. (Doutorado) – Departamento de Didáctica de las Ciencias Experimentales y Sociales.Universidad de Sevilla. Sevilla.

CASTRO. A. D. de. 1991. A Trajetória Histórica da Didática. Série Idéias, n. 11. São Paulo: FDE, p. 15-25.

GUIMARÃES, G. M. A.; ECHEVERRÍA, A. R.; M. I. J. 2006. Modelos didáticos no discurso de professores de ciências. In: Investigações em Ensino de Ciências – V11(3), pp.303- 322.

HARRES, J. B. S.; PIZZATO, M. C.; SEBASTIANY, A. P.; FREDEBON, F.; FONSECA, M.C.; HENZ, T.. 2005. Laboratórios de ensino: inovação curricular na formação de professores de ciências. V.1 Santo André: ESETEC.KRÜGER, V. 2001. Evolução das concepções de professores de Ciências e de Matemática sobre metodologia: análise de um caso. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências. v. 1, nº 2.

KRÜGER, V. 2000. Evolução do conhecimento profissional de professores de Ciências e de Matemática: uma proposta de formação continuada. Tese doutoral. Porto Alegre: PUCRS.

NÓVOA, A. 2002. Formação de professores e trabalho pedagógico. Lisboa: Educa.PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. 2008. Estágio e docência 3ª Ed. (Coleção docência em formação. Série saberes pedagógicos). São Paulo: Cortez Editora.

PORLÁN, R. 1994. Las concepciones epistemológicas de los profesores: el caso de los estudiantes de magisterio. Investigación en la Escuela. nº22, p. 155-171.

RIBEIRO, C. 2003. Metacognição: Um Apoio ao Processo de Aprendizagem In:Psicologia: Reflexão e Crítica. n16 (1), pp. 109-116.

RODRIGUES. D. G. 2018. A Importância da Metacognição na Formação de Professores In: Revista Eletrônica do Curso de Pedagogia das Faculdades OPET.

SÓLIS, E. R. 2005. Concepciones curriculares del profesorado de física y química en formación inicial. 1135 f. (Tese Doutorado). Programa de doutorado: Didáctica de las ciencias experimentales y sociales: un enfoque interdisciplinar, Sevilla, 2005.

VIVEIRO, A. A.; CAMPOS, L. M. L. 2014. Formação inicial de professores de Ciências: Reflexões a partir de abordagens das estratégias de ensino e aprendizagem em um curso de Licenciatura. ALEXANDRIA Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.7, n.2.

Publicado
2020-07-22
Como Citar
BARTELMEBS, R. C. A disciplina de estágio curricular na licenciatura em Ciências Exatas como espaço de reflexões sobre os modelos didáticos na formação docente. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 4, p. 22-38, 22 jul. 2020.
Seção
Artigos Gerais