O ensino da segurança química no Ceará: um foco em cursos superiores da área da saúde

  • Marco Antonio Ferreira da Costa Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio - EPSJV / Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ https://orcid.org/0000-0002-7544-7523
  • Carlos Couto Castelo Branco Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem da Universidade Federal do Ceará
  • Cintia Moraes Borba Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ https://orcid.org/0000-0003-3210-0623
  • Maria Eveline Castro Pereira Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ
  • Liana Perdigão mello Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará https://orcid.org/0000-0003-2785-4105
  • Maria de Fátima Barrozo da Costa Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca - Fiocruz https://orcid.org/0000-0001-7348-6310
Palavras-chave: Ensino de Ciências, Educação Profissional, Biossegurança

Resumo

O artigo é derivado de resultados de projetos financiados pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico), envolvendo profissionais da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV) / Instituto Oswaldo Cruz (IOC), Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP), todos localizados na Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) / RJ, em parceria com a Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem (FFOE), da Universidade Federal do Ceará (UFC), e do Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará (LACEN/CE). Teve como objetivo pesquisar a situação atual do ensino da segurança química em cursos superiores da área da saúde no Estado do Ceará. Foi uma pesquisa realizada em dois momentos; o primeiro foi uma pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa e que teve como sujeitos profissionais, professores e alunos de cursos da área da saúde. Como instrumentos de coleta de dados foram utilizados questionários; o segundo constou de uma pesquisa webgráfica em sites de cursos da área da saúde de instituições do Ceará. Os resultados obtidos apontam para uma ausência preocupante da segurança química nas grades curriculares dos cursos estudados, o que torna esta pesquisa um instrumento importante, para se alavancar essa área, não apenas na região Nordeste, mas também, nas demais regiões do Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Antonio Ferreira da Costa, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio - EPSJV / Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ
Professor, Doutor em Ciências
Carlos Couto Castelo Branco, Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem da Universidade Federal do Ceará
Professor, Doutor em Ciências
Cintia Moraes Borba, Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ
Professora, Doutora em Ciências
Maria Eveline Castro Pereira, Instituto Oswaldo Cruz - FIOCRUZ
Professora, Doutora em Ciências
Liana Perdigão mello, Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará
Diretora, Doutora em Ciências
Maria de Fátima Barrozo da Costa, Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca - Fiocruz
Professora, Doutora em Ciências

Referências

ANDRADE, J.E.P. Visão de Futuro da Indústria Química no Brasil - Desafios e Oportunidades. Rio de Janeiro: Clube de Engenharia, 2020.

ANDRADE, G.B.; WEYKAMP, J.M.; CECAGNO, D.; PEDROSO, V.S.M.; MEDEIROS, A.C.; SIQUEIRA, H.C.H. Biossegurança: fatores de risco vivenciados pelo enfermeiro no contexto de seu trabalho. Revista Online de Pesquisa – Cuidado é Fundamental/UFRJ, v.10, n.2, p.565-571, 2018.

ANUÁRIO DO CEARÁ 2018/2019. Instituições de Ensino Superior. Disponível em: http://www.anuariodoceara.com.br/instituicoes-de-ensino-superior/ > Acesso em julho de 2018.

ARBONE, R.M.; TEIXEIRA, A.C.D.; SITOLINO, C.T.; RARIZI, J. L.S.; NAI, G.A. Riscos ocupacionais químicos no conhecimento de cirurgiões dentistas. Colloquium vitae, v. 4, n. 1, p. 38-52, 2012.

ARDOINO, J. Nota a propósito das relações entre a abordagem multirreferencial e a análise institucional. In: BARBOSA, J.G. (Org.). Multirreferencialidade nas ciências e na educação. São Carlos: UFSCar, p. 24-41, 1998.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Segurança Química. Disponível em: http://www.mma.gov.br/informma/itemlist/category/20-seguranca-quimica?start=28. Acesso em junho de 2018a.

BRASIL. Ministério da Educação. Edital N.1 de 28 de março de 2018. Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior. Brasília, 2018b.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares – Cursos de Graduação. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/component/tags/tag/33297-cursos-de-graduacao. Acesso em junho de 2018c.

BUNGE, M. La investigación científica: su estrategia y su filosofia. Barcelona: Ariel, 1980.

CACHAPUZ, A.; PRAIA, J.; JORGE, M. Da educação em ciências às orientações para o ensino das ciências: um repensar epistemológico. Ciência & Educação, Bauru, v. 10, n. 3, 363-381, 2004.

CARVALHO, P.R. O olhar docente sobre a Biossegurança no ensino de ciências: um estudo em escolas da rede pública do Rio de Janeiro. 2008. Tese de Doutorado - Programa em Ensino em Biociências e Saúde, Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2008.

CARVALHO, P.R.; COSTA, M.A.F. Segurança Química: entre a experiência e a vivência sem limites. In: TEIXEIRA, P.; VALLE, S. Biossegurança: uma abordagem multidisciplinar. 2. Edição. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2010.

CFF (Conselho Federal de Farmácia). Faculdades de Farmácia no Brasil até 2017. Informação por email da Assessoria da Presidência do CFF, em 12 de julho de 2018.

CFMV (Conselho Federal de Medicina Veterinária). Faculdades de Medicina Veterinária no Brasil. Disponível em: www.cfmv.org.br/portal/ensino.php > Acesso em junho de 2018.

CLEMENTE, D.C.S.; OLIVEIRA, A.A.; LEITE, J.J.G. Elaboração e implantação dos mapas de riscos ambientais dos laboratórios dos cursos de saúde da Faculdade Metropolitana da grande Fortaleza. Revista Diálogos Acadêmicos, Fortaleza, v. 6, n. 1, p. 29-38, 2017.

COSTA, M.A.F. Construção do Conhecimento em Saúde: o ensino de biossegurança em cursos de nível médio na Fundação Oswaldo Cruz. 2005. Tese de Douitorado - Programa em Ensino em Biociências e Saúde, Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2005.

COSTA, M.A.F.; COSTA, M.F.B. Biossegurança e o símbolo do perigo biológico. USA: Amazon, 2020.

______;______. Biossegurança, perigos e riscos: reflexões conceituais. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 03, Ed. 08, v.10, p. 53-71, 2018a.

______;______. Laboratórios didáticos de Química: de Liebig (1803-1873) aos processos de Qualidade e Biossegurança no século XX. Revista Ciências & Ideias, v.9, n.2, p.39-59, 2018b.

______;______. Biossegurança em saúde no ensino de ciências. Revista Práxis, v.5, n.9, p. 11-15, 2013.

______;______. Entendendo a biossegurança: epistemologia e competências para área de saúde. 3. Edição. Rio de Janeiro: Publit, 2012.

______;______. Segurança Química – para áreas da saúde, ensino e indústrias. Rio de Janeiro: Publit, 2011.

______;______. Educação em biossegurança: contribuições pedagógicas para a formação profissional em saúde. Ciência e Saúde Coletiva, v.15, supl.1, Rio de Janeiro, p. 1741-1750, 2010.

______;______. Profissionalização da biossegurança: contribuições para a educação profissional em saúde. In: PRONKO, M.A.; CORBO, A.A. A silhueta do invisível: a formação de trabalhadores técnicos em saúde no MERCOSUL. Caderno de Debates 2: Rio de Janeiro: EPSJV, 2009.

______;______. A Biossegurança na Formação Profissional em Saúde: ampliando o debate. In: PEREIRA, I.B.; RIBEIRO, C.G. (Coord.). Estudos de Politecnia e Saúde, v.2. Rio de Janeiro: EPSJV, p. 253-272, 2007.

______;______. Educação e Competências em Biossegurança. Revista Brasileira de Educação Médica, v.28, n.1, p. 46-50, 2004.

COSTA, M.A.F.; VENEU, F.; COSTA, M.F.B. Discussão de controvérsias sociocientíficas em sala de aula: o ensino da biossegurança em foco. Revista Práxis, v. 10, n. 19, p. 9-20, 2018.

COSTA, M.A.F.; COSTA, M.F.B.; MURITO, M.M.C.; CARVALHO, P.R.; PEREIRA, M.E.C. Biossegurança, livros didáticos de ciências e práticas docentes: uma ausência intrigante no ensino médio. In: PEREIRA, I.B.; DANTAS, A.V. (Orgs). Estudos de Politecnia e Saúde. Rio de Janeiro: EPSJV, 2008.

COSTA, T.F.; FELLI, V.E.A. Exposição dos trabalhadores de enfermagem às cargas químicas em um hospital público universitário da cidade de São Paulo. Revista Latino Americana de Enfermagem, v.13, n.4, p. 501-508, 2005.

DOS SANTOS, P.B.; HERMES, D.M.; SUSIN, L.; MOREIRA, T.R. Análise do conhecimento em biossegurança de acadêmicos formandos da área da saúde. Revista UNINGá, v. 53, n. 1, p. 45-50, 2018.

FESTINGER, L. A Theory of Cognitive Dissonance. Stanford, CA: Stanford University Press; 1957.

FUNDACENTRO (Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho). Conhecimento sobre segurança química precisa ser disseminado. Semana de Segurança Química, São Paulo, 2017. Disponível em: http://www.fundacentro.gov.br/noticias/detalhe-da-noticia/2017/10/conhecimento-sobre-seguranca-quimica-precisa-ser-disseminado. Acesso em julho de 2020.

GARDIN, A.J.I; GARDIN, C.A.S.; FERREIRA, N.F.; SALIBE, M.T.A. Ergonomia e o cirurgião-dentista: uma avaliação do atendimento clínico usando análise de filmagem. Revista Odonto Ciência, v.23, n. 2, p. 130-133, 2008.

HUNGARO, A.A.; MARTINS, B.F.; SANTANA, C.J.; SENA, H.A.A.D.; ROSA, N.M.; OLIVEIRA, M.L.F.; SILVA, D.M.P.P. Riscos ocupacionais químicos e enfermagem: análise de produção científica sobre o tema. Revista UNINGá Review, v.19, n.1, p. 44-48, 2014.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Brasil/Ceará. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ce/panorama. Acesso em junho de 2018.

INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira). Relatórios 2016. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/relatorios. Acesso em julho de 2018.

LACERDA, A.; MELO, S.C.S.; MEZZADRI, S.D.; ZONTA, W.G. Nível de pressão sonora de consultório odontológico: uma análise ergonômica. Tulita: Ciência e Cultura, n.26, p. 17-24, 2002.

LEITE, R.F., RODRIGUES, M.A. Aspectos sociocientíficos e a questão ambiental: uma dimensão da alfabetização científica na formação de professores de química. Revista de Ensino de Ciências e Matemática – RenCiMa, v. 9, n.3, p. 38-53, 2018.

MACIEL, M.D. Alfabetização científica e tecnológica sob o enfoque da Ciência, Tecnologia, Sociedade (CTS): implicações para o currículo, o ensino e a formação de professors. Revista de Ensino de Ciências e Matemática – RenCiMa, v.3, n.3, p. 152-156, 2012.

MARZIALE, M.H.P.; ROBAZZI, M.L.C.C. O Trabalho de enfermagem e a ergonomia. Revista Latino Americana de Enfermagem, v. 8, n.6, p. 124-127, 2000.

MESTRINHO, M.G. Teoria e Prática: uma relação possível. Sinais Vitais, n.11, p. 35-38, 1997.

NETO, J.A.C.; LIMA, M.G.; SANTOS, J.L.C.T.; COSTA, L.A.; ESTEVANIN, G.M.; FREIRE, M.R.; FERREIRA, R.E. Conhecimento e adesão às práticas de biossegurança entre estudantes da área da saúde. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research, v.21, n.2, p. 82-87, 2018.

PELOGGIA, M.C.; SANTOS, L.F.T. Conhecimentos, atitudes e comportamento frente aos riscos operacionais dos cirurgiões-dentistas do Vale do Paraíba. Revista Biociências, v.8, n.1, p. 85-93, 2002.

PEREIRA. M.E.C. Um olhar sobre a capacitação profissional em biossegurança no Instituto Oswaldo Cruz: o processo de transformação. 2010. Dissertação de Mestrado - Programa de Ensino de Biociências e Saúde, Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2010.

PEREIRA, M.E.C.; TEIXEIRA, P.; COSTA, M.A.F.; JURBERG, C.; BORBA, C.M. A importância da abordagem contextual no ensino de biossegurança. Ciência e Saúde Coletiva, v.17, n. 6, p. 1643-1648, 2012.

PEREIRA, M.E.C.; COSTA, M.A.F.; BORBA, C.M.; JURBERG, C. Construção do Conhecimento em Biossegurança: uma revisão da produção acadêmica nacional na área de saúde (1989-2009). Revista Saúde e Sociedade, v.19, n.2, p.395-404, 2010.

PEREIRA, M.E.C.; COSTA, M.A.F.; COSTA, M.F.B.; JURBERG, C. Reflexões sobre conceitos estruturantes em biossegurança: contribuições para o ensino de ciências. Ciências & Cognição, v. 14, n. 1, p. 296-303, 2009.

ROZA, M.R.; COSTA, M.A.F.; COSTA, M.F.B.; GAMA FILHO, J.B.; OLIVEIRA, A.L.A. Biossegurança aplicada aos serviços de odontologia veterinária. MEDVEP – Revista Científica de Medicina Veterinária de Pequenos Animais e Animais de Estimação, v.8, p.293-296, 2010.

SALHA, L.A. Conhecimento de graduandos de Farmácia. 2014. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal de Goiás – Faculdade de Farmácia, Goiânia, 2014.

SANTOS, M.J.; PEREIRA, M.E.C.; JUNQUEIRA, A.C.V.; BORBA, C.M.; JURBERG, C. Reflexões sobre o ensino online de Biossegurança à luz da Teoria da Aprendizagem Significativa. Ciências & Cognição, v.21, n.1, p. 100-111, 2016.

SIGMANN, S. Chemical safety education for the 21st century — Fostering safety information competency in chemists. Journal of Chemistry Health and Safety, v. 25, n.3, p. 17-29, 2018.

SILVA, A. D.R.I.; MASTROENI, M.F. Biossegurança: o conhecimento dos formandos da área da saúde. Revista Baiana de Saúde Pública, v.33, n.4, p. 654-665, 2009.

TEIXEIRA, P.; VALLE, S. Biossegurança: uma visão multidisciplinar. 2. Edição. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2010.

TOLEDO JÚNIOR, A.C.C.; RIBEIRO, F.A.: FERREIRA, F.G.F.: FERRAZ, R.M.; GRECO, D.B. Conhecimento, atitudes e comportamentos frente ao risco ocupacional de exposição ao HIV entre estudantes de medicina da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v.32, n.5, p. 509-515, 1999.

Publicado
2020-10-18
Como Citar
DA COSTA, M. A.; CASTELO BRANCO, C.; BORBA, C.; PEREIRA, M. E.; MELLO, L.; DA COSTA, M. DE F. O ensino da segurança química no Ceará: um foco em cursos superiores da área da saúde. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 6, p. 552-570, 18 out. 2020.
Seção
Artigos Gerais