A FORMA, A PROPORÇÃO E O DESENHO DO CORPO EM KANDINSKY: POTENCIALIDADES PARA DISCUTIR ARTE E EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

João Carlos Pereira de Moraes

Resumo


Neste artigo, analisa-se as potencialidades de oficinas com alunos do quinto ano do Ensino Fundamental sobre os estudos da forma e do desenho do corpo em Kandinsky para relacionar Arte e Educação Matemática e discutir questões relativas à proporção. A pergunta norteadora é “como o trabalho de Kandinsky pode contribuir para discussões no campo da Arte e Educação Matemática?”. Inicialmente, enfocamo-nos em questões teóricas elaboradas pelo artista, bem como no momento histórico-epistemológico a qual pertencia. Aprofundamo-nos no pensamento artístico-matemático de Kandinsky sobre os conceitos de ponto, linha e plano, presentes em sua Teoria da Forma e em suas produções referentes ao corpo humano. Em seguida, debatemos a abordagem teórico-metodológica da cartografia, ressaltando os seus usos para a composição e a análise das oficinas junto com os estudantes. O grupo escolhido para pesquisa foi composto por 25 alunos do quinto ano do Ensino Fundamental do Colégio Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina, sendo realizada no período de dois meses. Por fim, consideramos que o entrelaçamento entre Arte e Educação pode se mostrar potente para a produção de discussões no campo da Educação Matemática e, mais especificamente neste trabalho, do conceito de proporção.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26843/rencima.v8i5.1245

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2179-426X

Principais Indexadores e Banco de Dados 

   4fscprrsdbplgx1korycxmt8hz22jwbgfztn2wy3tm8yqmxkqtam7cpmcsaml9ttq_400      base_sumarios-org_696      logo-oei_400      latindex_376 diadorimq_600

 

Licença Creative Commons
A REnCiMa está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional