Avaliação de objetos virtuais de aprendizagem no ensino de Matemática

  • Marcio Eugen Klingesnchmid Lopes dos Santos Universidade Cruzeiro do Sul
  • Luiz Henrique Amaral Universidade Cruzeiro do Sul
Palavras-chave: Objetos Virtuais de Aprendizagem, Ensino de Matemática, Avaliação

Resumo

O presente artigo faz parte de uma pesquisa de doutorado em andamento, neste trabalho apresentamos a avaliação dos objetos virtuais de aprendizagem segundo o instrumento de avaliação proposto por Nesbit (2003). O objetivo é analisar as características e contribuições dos objetos virtuais de aprendizagem no ensino de matemática e sua importância como ferramenta pedagógica. Para tal, nosso referencial teórico esta baseado nas definições encontradas na literatura sobre objetos virtuais de aprendizagem, repositórios de objetos virtuais de aprendizagem e avaliação de softwares educacionais. Os objetos analisados pertencem aos repositórios BIOE (Banco Internacional de Objetos Educacionais) e CESTA (Coletânea de Entidades de Suporte ao uso de Tecnologia na Aprendizagem), ambos os repositórios de acesso livre e gratuito. Os resultados apontam que os objetos virtuais de aprendizagem podem contribuir de forma significativa na melhoria da aprendizagem de nossos alunos, o que nos leva a intensificar esforços na busca por alternativas de análise e desenvolvimento de materiais que possam potencializar a aprendizagem de nossos estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARRETO, RG. Tecnologia e educação: trabalho e formação docente. Educação e Sociedade. 2004; v. 25, p. 1181 – 1201.

BRASIL .BIOE: Banco Internacional de Objetos de Aprendizagem. MEC/MCT. Brasília 2012, disponível em: < http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/> Acesso em: 12 de Janeiro de 2012.

CESTA – Coletânea de Entidades de Suporte ao uso de Tecnologia na Aprendizagem – CESTA/UFRS.Rio Grande do Sul 2012, disponível em: < http://www.cinted.ufrgs.br/CESTA/cestaconsulta.html> Acesso em: 12 de Janeiro de 2012.

FAVARIN, AM. Proposta de uso de simulador no ensino da contabilidade geral. Cadernos FACECA. v.12: p. 5-22, 2003.

IEEE - Institute of Eletrictal and Eletronics Engineers. Learning Objects. Disponível em:<http://www.hsc.ieee.org/wg12>.Acesso em: 04. fev. 2012

MCCLINTOCK R. El alcance de lãs posibilidades pedagógicas. In McClintock, R et al. Comunicación, tecnologia y deseños de instrucción, Madrid: CIDE-MEC; 1993.

MORAN, J.M. Os novos espaços de atuação do professor com as tecnologias. In: Romanowski et al (org). Conhecimento local e conhecimento universal: diversidade, mídias e tecnologias na educação. Curitiba: Champagnat,. p. 245 – 254, 2004

NESBIT, J. Learning Object Review Instrument. - User Manual LORI 1.5. Disponível em:<http://www.elera.net/eLera/Home/Articles/LORI%201.5.pdf> Acesso em: 2 de Fevereiro de 2012

PERALES, F.; JAVIER, J. M. Imagen y educacion cientifica. C&C. Cultura y Educación, v.16,n.3, p. 289-304, 2004.

TAVARES, R. Aprendizagem significativa, codificação dual e objetos de aprendizagem. IV ESUD, Brasília, Maio/2006.

ROUILLER, A. C.; MACHADO, C. Â. F. Computador Tutor. Lavras: UFLA:FAEPE, 2003. (Apostila da disciplina de Informática Educativa, ministrada no curso de Pós- Graduação, da Universidade Federal de Lavras)

SANTOS, M. E. K. L. Objetos e Ambientes virtuais de aprendizagem no ensino de matemática: um estudo de caso para o estágio supervisionado de docência. 2007. 103p. Dissertação de mestrado - Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo, 2007.

SILVA, E. L. Os objetos educacionais, os metadados e os repositórios na sociedade da informação. Ci. Inf., Brasília, v. 39 n. 3, p.93-104, 2010. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-19652010000300008&script=sci_arttext> Acesso em: 01 de Março de 2012.

Publicado
2012-07-01
Como Citar
SANTOS, M.; AMARAL, L. Avaliação de objetos virtuais de aprendizagem no ensino de Matemática. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 3, n. 2, p. 83-93, 1 jul. 2012.
Seção
Artigos Gerais