MAPAS CONCEITUAIS E SUJEITOS DA EXPERIÊNCIA EM AULAS DE CÁLCULO 1

  • Sonia Maria da Silva Junqueira Universidade Federal do Pampa - RS
  • Ana Lúcia Manrique

Resumo

O presente artigo tem como objetivo apresentar uma pesquisa realizada com 186 estudantes matriculados em cursos da área de Ciência Exatas de uma Universidade Pública Federal Brasileira. Como instrumento de produção de dados da pesquisa foram empregados os primeiros mapas conceituais elaborados pelos sujeitos investigados, o que se denominou de Mapas Conceituais Iniciais (MCI) e se procedeu uma análise qualitativa com dados quantitativos. Buscou-se uma classificação inicial desses mapas a partir da apropriação da compreensão das Estruturas Hierárquicas Inapropriadas ou Limitadas. A partir dos resultados observados, foram expostos elementos que remeteram à experiência dos estudantes investigados na construção do conhecimento sobre o tema Derivada, no entanto, tem-se de antemão a impossibilidade de saber a real dimensão da experiência de cada um dos sujeitos investigados. Verificou-se que alguns mapas indicaram que sujeitos com formações básicas distintas estão construindo mapas similares sobre Derivada. Aparentemente adentram a esse conhecimento pelo caminho das Técnicas de Derivação, embora, não seja essa a única abordagem a que são expostos durante o processo de formação. Aspectos que remetem à superficialidade do conhecimento construído em aulas de Cálculo 1 também foram evidenciados por meio dos mapas elaborados. Transcender a simples coisificação do objeto e/ou do sujeito deve pautar os processos formadores.
Publicado
2015-05-20